A luta pela posse da terra em Mongaguá

Amigos,

Líderes de trabalhadores rurais lutam pela posse da terra em Mongaguá.

São posseiros da região da área indígena da Aldeia Itaóca, que tiveram que sair do local durante o processo de demarcação de área indígena.

Esses trabalhadores querem a garantia do uso das áreas da Fazenda Itaóca, declarada como improdutiva pelo INCRA.

A intenção é promover um assentamento rural na área em questão (Fazenda Itaóca). Os trâmites legais estão bem adiantados, uma vez que contam com o apoio de órgãos do Governo Federal para esse fim, inclusive com linhas de crédito  e financiamento de projetos auto-sustentáveis.

Como necessitam do apoio do Poder Executivo de Mongaguá para que o processo avance, trabalhadores rurais, lideranças sindicais e de associações estiveram no Gabinete do Prefeito Paulinho Wiazovscki, para expor a situação e conseguir junto a prefeitura o compromisso de auxiliar no processo de assentamento.

Foi relatado o sucesso de outros assentamentos, como em Itanhaém, onde os trabalhadores já produzem produtos que são comercialixzados, como por exemplo o mel, proveniente da apicultura. Ficou evidenciado que não há risco de degradação do local, uma vez que as famílias estão todas cadastradas no INCRA, não tendo a possibilidade de pessoas estranhas ocuparem a referida área.

O encontro contou com a participação do Deputado Estadual Simão Pedro (PT), fundamental neste processo de organização dos trabalhadores rurais.

Ao final da reunião, as lideranças locais sairam bem otimistas e aguardam para breve a conquista definitiva da posse da terra.

Da esquerda para direita: Timóteo (assessoria Deputado Simão Pedro), Neti (Direção Estadual do MST), Roberto (posseiro), Luisão (Presidente da Associação dos Produtores Rurais da Mata Atlântica), mais dois posseiros, Professor Guilherme (CAPESP), posseira, Deputado Simão Pedro (PT) e outro posseiro.