No ano das “Diretas”, SFC é Campeão!

Santistas de todo Mundo, uni-vos!

1984 não é apenas o título do Livro de George Orwell, mas o ano que marcou profundamente o Brasil e os santistas.

No Brasil,  explodem as manifestações populares exigindo eleições diretas para a Presidência da República, numa demonstração clara e inequívoca que a Ditadura Militar não tinha mais a menor chance de sustentação… Trabalhadores, Estudantes, Intelectuais, a classe média, e mesmo setores conservadores não suportavam mais a censura, a inflação, a decadência econômica e a opressão dos militares.

O povo brasileiro ia às ruas, e em São Paulo, embalados pelas baterias de torcidas do Santos FC e do Corinthians, multidões bradavam: Diretas, Já!

Nos palanques a presença de Osmar Santos, genial e revolucionário locutor de rádio, comandava a massa e abria os microfones para lideranças díspares, como Lula, FHC, Ulisses Guimarães (Ex- dirigente do SFC nos anos 40), Leonel Brizola, Tancredo Neves, Chico Buarque, Fafá de Belém, Sócrates, Casagrande e uma infinidade de brasileiros, inclusive o Rei Pelé.

Nos jogos do Santos, apareciam faixas exigindo : “Diretas, já”… e ao contrário da campanha pela anistia, as faixas não eram mais retiradas e nem seus portadores presos…

A campanha foi tão intensa , que no Maracanã, num Fla-Flu, antes da partida começar, as torcidas se uniram e gritavam: “Diretas, Já! Diretas, Já! Diretas, Já!”

Sócrates, em um dos comícios avisava… se a Emenda pelas Diretas passasse no Congresso, assumia o compromisso de permanecer no Brasil, abrindo mão de qualquer proposta italiana…

E a Rede Globo não mostrava os comícios em seus telejornais...

Para conhecer mais sobre o movimento que arrebatou o Brasil, clique aqui: http://virtualiaomanifesto.blogspot.com/2009/06/diretas-ja-quando-o-povo-voltou-as-ruas.html

Outra referência sobre as Diretas, esta na música “Nome aos bois” (Titãs), onde você pode ver  e ouvir aqui: http://prof-guilherme.capesp.org/?p=2439

No vídeo aparece o General Newton Cruz, que impedia as pessoas de entrarem ou saírem de Brasília por ocasião da votação da emenda pela Diretas…

No Santos algumas novidades… o que era mais que esperado, pois o Vice Brasileiro e a queda nas semi-finais do Paulista foram bem frustantes… o time era um dos melhores do Brasil, mas não havia ganho nenhum título…

Porém o fato de voltar à Libertadores depois de 18 anos, enchia de esperanças a massa  santista e a direção do Clube…

O grande reforço era o uruguaio Rodolfo Rodrigues… um mito no gol santista, o maior goleiro que vi atuar sob os arcos santistas… E Rodolfo chegou ao clube com a ajuda do Rei Pelé, que emprestou dólares ao SFC para que o goleiro assumisse a condição de titular.

Chegava RR, mas João Paulo partia… o Papinha da Vila ia para o Flamengo. Dos meninos da Vila sobrava apenas Pita… Claudinho, outro menino, era um reserva de luxo…

A temporada começa com o Campeonato Brasileiro. Ainda com 40 clubes, divididos em 8 grupos de 5 equipes, mas com mudanças na Taça de Prata. A CBF já tinha achado um jeito de garantir os clubes mais tradicionais na Taça de ouro, instituindo o convite baseado num ranking histórico… assim, aos clubes que participassem da Taça de Prata era garantindo apenas uma vaga ao seu campeão na 3ª fase da Taça de Ouro…

Os 3 melhores de cada grupo se classificavam à 2ª fase, assim como outros 4 provenientes de confrontos entre os 4ºs colocados de cada grupo. Os 28 clubes eram divididos em 7 grupos de 4 equipes e as 2 melhores se classificariam à 3ª fase, assim como o clube que mais pontuasse nas duas primeiras fases e o Campeão da Taça de Prata. As 16 equipes seriam, novamente, divididas em 4 grupos de  4 equipes… as duas melhores de cada grupo seguiam em frente e teríamos as quartas de final, semi -finais e finais. Tudo muito simples…

Na 1ª fase do Brasileirão, o alvinegro terminou invicto… com apenas  um empate:

Campanha:

29/01 – 1×1 Fluminense FC – Morumbi – 24.392 + 1.883 gratuitos (26.275)

02/02 – 2×0 AD Confiança – Batistão – 21.197

05/02 – 2×0 ABC FC – Castelo Branco – 46.111

09/02 – 2×0 Ferroviário AC – Vila Belmiro – 12.206 + 2.396 gratuitos (14.602)

15/02 – 4×1 ABC FC – Vila Belmiro – 8.450 + 813 (9.273)

23/02 – 5×0 Ferroviário AC – Castelão – 4.930

26/02 – 1×0 Fluminense FC – Maracanã – 25.903

29/03 – 3×0 AD Confiança – Vila Belmiro – 11.262 + 1.142 gratuitos (12.404)Para Libertadores a co

Para a Libertadores, a confiança era grande… a primeira partida seria no Rio de Janeiro, contra o Flamengo. Os outros adversários seriam da Colômbia (Atlético Junior e America).

No Rio de Janeiro, foi um desastre… O Flamengo deu um baile e venceu por 4×1!

Tudo seria decidido na Colômbia e nos jogos de volta em São Paulo.

A 2ª fase começava no Brasileirão e os resultados continuavam positivos:

08/03 – 1×1 Fortaleza EC – Vila Belmiro – 19.557 + 3.125 gratuitos (22.682)

14/03 – 0x0 CRB –  Rei Pelé – 31.957

17/03 – 2×2 SE Palmeiras- Morumbi – 33.291 + 2.239 gratuitos (35.526)

21/03 – 2×0 CRB – Vila Belmiro – Vila Belmiro – 8.354 + 915 gratuitos (9.269)

25/03 – 2×3 SE Palmeiras – Morumbi – 41.405 + 3.925 (45.330)

30/03 – 4×1 Fortaleza EC – Castelão – 36.939

Entrava o mês de abril… trágico mês de abril…

Brasília em Estado de Segurança Nacional… ninguém podia entrar na Capital da República e a transmissão de TV foi cortada… A emenda “Dante de Oliveira” que restabelecia as eleições Diretas para Presidente não obteve a quantidade suficiente de votos… o mobilização popular fora  derrotada momentaneamente.

Para o Santos o mês de abril foi uma sucessão de tragédias…

Começou no giro pela Colômbia..  a 1ª apresentação foi uma convincente vitória contra o Atlético Junior de Barranquila (3×0);  em seguida a derrota para o America de Cáli (ox1), e com 3 atletas expulsos. No returno não restava outra alternativa a não ser vencer as 3 partidas restantes…

No Brasileirão, a 3ª fase começava com uma vitória sobre o Náutico por 4×2, depois empatou com o America (RJ) em São Januário, 1×1. O último adversário seria o Flamengo, no Morumbi.

Quase 50.000 pessoas ocuparam o Morumbi

E viram Tita marcar logo aos 3 minutos… depois disso, o Santos tentou mas não conseguiu superar o rubro-negro. Na realidade, se não fosse Rodolfo Rodrigues e as atuações da dupla Márcio Rossini e Davi as coisas seriam piores…

A derrota traria mais consequências: A queda de Formiga!

Quem assume a direção técnica seria Del Vechio.

A derrota para o Flamengo colocava o alvinegro em situação de risco contra o Náutico em Recife.

O Náutico jogou a partida de sua vida e derrotou o Santos por 1×0, assumindo a 2º colocação do grupo.

A única esperança santista seriam duas vitórias seguidas contra o Flamengo, uma pela Libertadores e outra pelo Brasileirão.

O SFC bancou o Judas no Morumbi

E numa sexta-feira Santa, o Flamengo massacrou o Peixe no Morumbi.

5×0!

E vexame maior foi não saber perder… o campeão da técnica e da disciplina apelou feio e distribuiu pontapés… terminando a partida com 9 atletas.

No desespero, o time viajou para o Rio de Janeiro para decidir a classificação no Brasileirão, novamente contra o Flamengo. Com o time carioca jogando com o freio de mão puxado, ao menos o SFC arrancou um empate (2×2).

A última partida seria contra o America, na Vila Belmiro. O time tinha que vencer e torcer para o Flamengo vencer o Náutico no Recife.

Na Vila, o Santos fez sua obrigação e bateu os rubros por 1×0. Porém, no Recife, o embalado Náutico passou por cima do Flamengo (2×1). Náutico e Flamengo classificados e o Santos eliminado

Restavam ainda duas apresentações pela Libertadores…

Num desértico Morumbi (457 testemunhas) novo vexame, 1×0 paro América e mais uma vez o time  apelou, sobrando apenas 8 atletas em campo devido às expulsões.

E para encerrar a deplorável campanha, uma última derrota para o Atlético Junior… 1×3!

Campanha na Libertadores:

11/02 – 1×4 CR Flamengo – Maracanã

04/04 – 3×0 CPD Atlético Junior – Barranquila

06/04 – 0x1 CD América – Cáli

20/04 – 0x5 CR Flamengo – Morumbi

27/04 – 0x1 CD América – Morumbi

08/05 – 1×3 CPD Atlético Junior – Vila Belmiro

Campanha na 3ª fase do Brasileirão:

09/04 – 4×2 C Náutico C – Vila Belmiro – 11.564 + 1.418 gratuitos (12.982)

12/04 – 1×1 America FC – São Januário – 1.756

15/04 – 0x1 CR Flamengo – Morumbi – 45.267 + 3.151 gratuitos (48.418)

18/04 – 0x1 C Náutico C – Arruda -19.072

22/04 – 2×2 CR Flamengo – Maracanã – 46.236

25/04 – 1×0 America FC – Vila Belmiro – 8.602 + 1.250 gratuitos (9.852)

Fora da Libertadores e fora do Brasileiro, o time parte para amistosos.

A direção contrata Castilho para técnico do time.

E será com Castilho no comando que o alvinegro retorna à Ásia para um amistoso com a Seleção de Israel. O  placar apontava a derrota santista (1×2), porém o destaque foi a torcida do SFC. Isso mesmo, meus amigos, A “Torcida Jovem, de Chail” compareceu ao Estádio de Tel Aviv e abriu suas faixas, uma delas com os dizeres: “Diretas, já!”

Voltou ao Brasil e empatou com o Maringá: 0x0

E retornou ao aeroporto… destino: as Antilhas, no Caribe. No roteiro a “Copa Centro Desportivo de Corsow”.

Os participantes seriam 4: Santos FC, Atlético Junior (Colômbia), Seleção da Venezuela  e a Seleção das Antilhas. A seleção antilhana contaria com Clodoaldo, Rivelino e Jairzinho em cada uma de suas apresentações.

Jogos:

31/05 – 1×0 Venezuela  – Curaçao

02/06 – 2×0 Antilhas – Curaçao – Rivelino jogou pela Seleção das Antilhas

04/06 – 1×2 CPD Atlético Junior – Curaçao

O Paulistão de 1984 teria início apenas em julho e finalmente a competição seria a mais racional possível. Pontos corridos… e só!

O time sofria uma alteração importante… Pita seria trocado por Humberto e Zé Sérgio. Outro atleta que chegava era o folclórico ponteiro Ataliba.

E A FPF ressuscitava o Torneio Início.

Numa competição muito parecida com os festivais varzeanos, a maratona de jogos curtos começaram pela manhã e terminaram com o céu já escuro. Umas 60.000 pessoas circularam pelo Morumbi ao longo do dia, porém no momento de maior concentração não mais de 30 mil pessoas estavam no Estádio.

E foi neste dia que Rodolfo Rodrigues começou a fazer história no SFC… não que tivesse ido mal no 1º semestre, mas o mito ainda não tinha sido construído…

No Torneio Início, RR iniciou seus milagres… como as partidas normalmente terminavam empatadas, o desempate ocorria nas disputadas por pênaltis… e aí apareceu a muralha. Em seis cobranças, o estupendo goleiro uruguaio defendeu 2 vezes, uma outra a bola foi para a trave e sofreu apenas 3 gols…

Campanha:

24/06 – No Morumbi, 61.486 pagantes ao longo do dia.

Adversários: 0x0 Taubaté (3×0 nos escanteios) – Quando ocorria empate a decisaõ era na base da quantidade de escanteios conquistados!

0x0 Marília (2×1 nos pênaltis) – Quando ocorria empate até nos escanteios, a decisão ia para os pênaltis… RR defendeu um pênalti;

0x0 Palmeiras (3×2 nos pênaltis) – Mário Sérgio, atacante do Palmeiras, cobrou um pênalti na trave.

0x0 XV de Jaú – (1×0 nos pênaltis) – RR defendeu mais um pênalti e garantiu o Título ao Santos FC!

Imagem: Revista Placar

Com a conquista do Título, RR saia do gramado carregado pelos torcedores e pela Comissão Técnica.

Começa o Campeonato Paulista e o Peixe desanda a ganhar… na 3ª apresentação, uma apresentação fenomenal de Rodolfo Rodrigues.

É contra o América de São José do Rio Preto, na Vila Belmiro.

O Santos vencia por 1×0 e o América vai para o ataque… O chute da intermediária vem forte… RR se estica e toca com a ponta dos dedos e a bola vai na trave… a bola passa por trás de RR e corre sobre a linha fatal… o atacante americano se atira na bola e RR também… a bola explode no goleiro e sobra para o centro-avante livre na pequena área… ele enche o pé e RR ágil feito um leopardo pula para o alto e salva o gol com a bola batendo em seu braço… a bola vai para o meio da área e mais uma bomba em direção ao gol… RR estica-se novamente, e com a ponta dos dedos toca levemente na bola, a bola vai saindo e um outro atacante adversário que se joga de carrinho contra o gol santista… do chão RR pula novamente fechando a única passagem possível para a bola… novamente a esfera choca-se com a trave santista e, finalmente, a zaga santista dá um chutão para escanteio…

Carlos Castilho, técnico santista e que foi goleiro da Seleção Brasileira nas Copas de 58 e 62, afirmava que nunca tinha visto algo semelhante em sua longa carreira de goleiro consagrado.

Não havia mais dúvidas… ali estava um mito, um monstro, uma muralha… algo que somente na Vila Belmiro poderia acontecer…

Veja as imagens da façanha:

E o alvinegro continuou vencendo… ficou 15 partidas invicto e ganhou a Taça dos Invictos, prêmio do jornal esportivo “A Gazeta Esportiva”.

Ironicamente, após ganhar a Taça, perde para o São Paulo de Pita e Casagrande, e fica outras 5 partidas sem vencer, cedendo a liderança para o Palmeiras.

Engata uma nova série de resultados positivos até que chega o clássico contra os verdes… e aquele time  sabia enfrentar jogos difíceis… todos eram experientes, não tinha nenhum “santo” no elenco, mas Castilho sabia controlar aquela coleção de “maladragens e picardia”. E atuando com enorme competência chegou aos 2×0 sem a menor chance ao Palmeiras. Novamente RR fechou o gol e no ataque as coisas ficaram por conta de Chulapa e Paulo Isidoro.

A tabela indicava o São Bento com  próximo adversário na Vila Belmiro.. O SFC era franco favorito, defendia a liderança e todos apostavam numa vitória.

Aos 7 minutos, César abre o placar… São Bento 1×0.

Ainda no 1º tempo, Humberto empata em cobrança de falta. Na etapa final o SFC aluga metade do campo e não sai do campo sorocabano… ao mesmo tempo, o “pau quebra” no gramado… Dema quebra a perna de César numa dividida… o tempo vai passando e tudo na mesma… 30 minutos, e o São Bento segura o empate… 35 minutos, 40 minutos e o SFC continua tentando sem sucesso… 45 minutos  e o banco do São Bento pede o fim de jogo…  Emídio Marques Mesquita consulta seu relógio e manda seguir a partida… os jogadores do São bento, o banco de reservas do time de Sorocaba, todos estão desesperados… 50 minutos do 2º tempo e nada de acabar a partida… Emídio olha o relógio e afirma que ainda tem jogo… 54 minutos, Humberto pega a bola e manda para o fundo do gol…

Um minuto depois, Emídio encerra o jogo… cercado pelos jornalistas e alertado por todos pelo tempo a mais de jogo, Emídio declara que o seu relógio tenha quebrado e que só percebeu depois do gol santista… parece que o relógio de sua senhoria era daquele lote de brindes que o SFC ofereceu em 1983…

Dali para frente a estratégia do alvinegro era uma só: vencer em casa e empatar no interior… se 2 pontos viessem do interior seria ainda melhor… e foi o que aquele time fez… e assim foi mantendo a liderança do campeonato até a última rodada.

O adversário seria o Corinthians… O alvinegro paulistano tinha perdido Sócrates (como a emenda das diretas não passou, o craque foi para a Itália) e Casagrande (emprestado ao São Paulo), assim a “democracia corinthiana” tinha se desmanchado e o time voltava ao comum das outras equipes. Eles tinham arrancado no 2º turno , numa recuperação de time de chegada… contava com Carlos, Juninho, Vladimir, Zenon, Dunga e João Paulo (Ex SFC).

E o Morumbi lotou novamente…

Serginho tinha certeza do Título… e com a constelação de “bad boys” que usavam a imaculada camisa santista, muitos torcedores tinham a certeza que o título viria… e caso não conquistasse o título, o outro alvinegro não daria a volta olímpica…

O Jogo foi nervoso… eles até hoje choram um suposto pênalti em João Paulo… claro que é choro absurdo… o SFC foi cozinhando o jogo até que aos 72′ Zé Sérgio avança pela esquerda e cruza… quem aparece feito um corisco é ele… Serginho Chulapa.

E Chulapa só encosta na bola… e tudo esta encerrado… gol do Santos… gol de Serginho….

Explode metade do Morumbi.

A justiça esta sendo feita… o melhor time de toda a competição esta a um passo de conquistar o título… Serginho é o artilheiro do Campeonato… o Corinthians tenta, mas não há mais tempo.

Fim de jogo, fim de Campeonato. Santos Campeão, do início ao fim.

Veja todos os gols do alvinegro na conquista de 1984:

Campanha do Campeão:

Comercial FC -1×0 (VB); 3×0 (Francisco Palma Travassos)

Guarani FC – 1×0 (VB); 1×2 (Brinco de Ouro)

América FC – 2×0 (VB); 0x0 (SJRP)

EC São Bento  – 3×0 (Sorocaba); 2×1 (VB)

AA Ponte Preta – 1×0 (Brinco de Ouro); 2×1 (VB)

A Ferroviária E – 2×2 (VB); 1×0 (Araraquara)

Botafogo FC – 3×1 (Santa Cruz); 1×1 (VB)

SE Palmeiras – 1×1 (Morumbi); 2×0 (Morumbi)

EC XV de Novembro (Piracicaba) – 3×0 (VB); 0x0 (Piracicaba)

EC Taubaté  –  3×0 (Taubaté); 2×0 (VB)

CA Taquaritinga – 0x0 (Taquaritinga); 3×1 (VB)

Marília AC -1×0 (VB); 0x0 (Marília)

CA Juventus  – 4×2 (Pacaembu); 0x0 (Pacaembu)

A Portuguesa D – 1×1 (Pacaembu); 1×0 (Pacaembu)

EC Santo André -2×0 (VB); 0x1 (Santo André)

São Paulo FC  – 1×4 (Morumbi); 0x0 (Morumbi)

AA Internacional – 0x0 (Limeira); 2×0 (VB)

EC Xv de Novembro (Jaú) – 1×1 (Jaú); 3×0 (VB)

SC Corinthians P – 0x0 (Morumbi); 1×0 (Morumbi)

Comments Closed

Uma opinião sobre “No ano das “Diretas”, SFC é Campeão!”

  1. Pois é, caro Guilherme, em 1984 fiz parte da massa anônima presente na Praça da Sé (1º ato com 300 mil pessoas) e da Caminhada de 2 milhões de participantes no Vale do Anhangabaú. Com bandeira na mão: “Por um Brasil Socialista”. Manifestações em todo o país. Infelizmente a mídia em mãos da elite não deram o devido valor e hoje descaracterizam o que foi esse período de nossa história e de nossas vidas.

Os comentários estão encerrados.