1990: Collor assume, o dinheiro some e o Santos sobrevive.

Santistas de Todo Mundo, uni-vos!

O Campeonato Paulista de 1990 começou em janeiro, e nem houve tempo para partidas de pré-temporada.

Quem comandava o SFC era José Macia, o Pepe, que na ausência de grandes recursos teria que usar os atletas da categoria de base. Desta forma, sobem para o time titular os defensores Camilo e Flavinho, o volante Axel, e o meia atacante Sergio Manoel. Chulapa estava de volta, assim como o zagueiro Márcio Rossini e a única contratação era o meia Gilmar, vindo do CR Flamengo. Eram mantidos o goleiro Sérgio Guedes, o volante César Sampaio e o goleador Paulinho McLaren.

O time não era ruim, mas ainda longe de disputar títulos… provavelmente faria uma campanha melhor que nos anos de 87, 88 e 89.

E a torcida desconfiada não comparecia… tanto que o público acima de 10.000 só aconteciam em clássicos… é claro que as condições econômicas contribuiram também… afinal, logo na posse de Collor (15/03/1990), houve o confisco do dinheiro da poupança em nome do combate à inflação…. e do dia para noite, o dinheiro sumiu…. depois o que sumiu foi o emprego e cerca de 1.000.000 de brasileiros ficaram desempregados…. cuja causa estava (além da falta de dinheiro para investimentos) na desastrosa política de abertura do mercado para as importações (a propaganda governista falava que os automóveis fabricados no Brasil eram carroças e passamos a importar  carros russos, como o Lada e o Niva…)

Não é necessário dizer que o SFC sofreu, junto com a população brasileira, com a falta de dinheiro…. se antes dependia da presença da torcida para financiar o clube, sem torcida os investimentos eram quase nulos…

E aquela geração de atletas da base não era de craques como em 78… e a campanha santista foi apenas mediana.

O campeonato Paulista de 1990 foi outro prodígio da imaginação da cartolagem…. eram 24 clubes divididos em dois grupos de 12 equipes. Um grupo “forte” (os 12 melhores de 1989) e um outro “fraco”. No “1º turno” os jogos eram de um grupo contra outro, e no “2º turno”, dentro do mesmo grupo. Os 7 melhores do grupo dos fortes passavam para a 3ª fase, junto com os 5melhores do grupo “fraco”. Os 12 desclassificados foram divididos em duas séries de 6 equipes que jogando dentro da mesma série em turno e returno, disputavam mais duas vagas para a 3ª fase.

Por incrível que pareça, o São Paulo FC conseguiu ficar fora dos 7 classificados, foi para a repescagem e … ficou de fora!   Desta forma, em 1991 o tricolor disputaria o Campeonato Paulista no grupo dos “fracos”… oficialmente não era uma segunda divisão, mas o sentimento do orgulhoso torcedor tricolor era como se o time tivesse sido rebaixado….

No Campeonato, dois grandes protagonistas no Santos: Serginho Chulapa e Kazuo!

Serginho Chulapa pela confusões que aprontou na competição… Numa delas foi contra o Juventus, na Vila. Naquela tarde, Chulapa era banco… e o alvinegro estava no 0xz0 contra a equipe da Moóca, Serginho entrou após o intervalo e aos 18 minutos abriu o marcador… aos 20 minutos o Santos amplia, 2×0. Aí,  Serginho deu o ar de sua graça… uma confusão e o árbitro expulsa três atletas, entre eles, Serginho… Não satisfeito, em ficar apenas 20 minutos em campo, Chulapa tentou invadir o vestiário do Juventus para agredir Albéris (que havia sido expulso  também). Ele jogou 31 partidas em 1990 e foi expulso em 4 ocasiões!

E Kazuo…

Ah, o Kazuo…

Ninguém levava a sério aquele japonês baixinho que se matava na ponta… aquele preconceito bobo que japonês não sabe jogar futebol… que só brasileiro sabe (no máximo alguns argentinos)… Kazuo tinha atuado no Santos anteriormente, passou pelo XV de Jaú e pelo Coritiba… mas gostava mesmo é de atuar com a camisa branca santista. Assim, vencendo a má-vontade e o preconceito, Kazuo buscou seu espaço… e Pepe, que sempre entendeu de futebol, sabia que podia contar com a raça e a personalidade de Kazuo.

FSP (30/04/1990)

E no dia 29 de abril,  Kazuo mostrou todo o seu talento… desmontou a defesa do Palmeiras e foi o principal nome do SFC na partida. Marcou um golaço e deu o passe para Paulinho McLaren fazer outro…

Dias depois, marcou mais um contra o Guarani, numa noite onde a torcida esgotou os ingressos na Vila Belmiro.

Veja gols de Kazuo:

Acompanhe os jogos do SFC na 1ª fase do Paulista de 1990:

EC São Bento – 0x0 (VB)

EC Santo André -1×0 (Santo André

EC XV de Novembro (Jaú) – 1×1 (VB)

A Ferroviária E – 0x0 (Araraquara)

Botafogo FC -1×1 (VB)

EC XV de Novembro (Piracicaba) – 0x1 (Piracicaba)

CA Juventus  – 2×0 (VB)

América FC -1×1 (SJRP)

Ituano FC -2×0 (VB)

GE Catanduvense  – 0x0 (Catanduva)

EC Noroeste  -2×1 (VB)

AA Ponte Preta – 0x1 (Moisés Lucarelli)

2º turno:

São Paulo FC – 0x1 (Pacaembu)

São José EC  -1×1 (VB)

A Portuguesa D – 0x0 (VB)

União São João  FC – 0x0 (Araras)

CA Bragantino – 0x2 (Bragança)

SC Corinthians P – 0x1 (Pacaembu)

AA Internacional – 3×2 (VB)

SE Palmeiras  – 2×1 (Morumbi)

Mogi Mirim EC – 1×1 (Mogi Mirim)

Guarani FC – 1×0 (VB)

GE Novorizontino – 0x0 (Novo Horizonte)

Com essa campanha o Peixe se classificou em 4º lugar em seu grupo e em 9º na classificação geral.

Antes de começar a 3ª fase, o alvinegro parte para um giro na Ásia.

Na agenda, a Super Copa Sul Americana, a ser disputada em Taiwan!

Numa viagem estafante que durou 4 dias, via costa Oeste dos EUA, o SFC chegou a Capital (Taipei ) na vépera de enfrentar o Estudiantes (Argentina) e o Nacional (Uruguai).

Depois de penar no percurso, do fuso horário, teve que encarar um fortíssimo temporal quando enfrentou o Estudiantes e venceu.

Em seguida, foi a vez do Nacional, empate e vitória nos pênaltis.

E, finalmente a decisão, contra o mesmo Nacional. Na partida 0x0, sendo necessária uma prorrogação. O Nacional saiu na frente (gol de José Garcia). Faltando apenas 4 minutos, bola levantada na área, Camilo sobe e manda de cabeça pra o gol uruguaio… Enorme confusão se instala no gramado… os jogadores do Nacional cercam o árbitro argentino alegando falta de Camilo no zagueiro uruguaio… o clima esquenta… as discussões mais ainda… o árbitro parte para cima dos uruguaios e agride os atletas uruguaios… a situação é tão caótica que os santistas pensam que o o gol pode ser anulado e se enfiam na confusão… o quebra pau torna-se generalizado… e a grande vítima foi o Troféu, que acabou quebrado. A partida é encerrada… mas, a confusão não. Dulcídio Wanderlei Boschila (convidado da delegação santista) parte para cima de Romualdo Arpi Filho (que bandeirava a partida) afirmando que Romualdo estava fazendo média com os uruguaios… e acabou saindo no tapa…

Tremendo barraco!

Três dias depois, os organizadores se reuniram e proclamaram Santos e Nacional campeões, e forneceram novas Taças para as equipes.

Campanha do SFC:

Estudiantes (Argentina) – 1×0 – Em Taipei

Nacional (Uruguai) – 1×1 (3×2 nos pênaltis) – Em Tainan

Nacional (Uruguai)- 0x0 (1×1 na prorrogação) – Em Taipei - SFC, Campeão da Super Copa Sul Americana

De Taiwan, foi até o Japão. Claro, a grande atração era Kazuo, que atuou  nas duas partidas:

Yamaha FC (Japão)  2×1 – em Iwata

PJM Futeres FC (Japão)  2×2 – em Hamatsu

Ao voltar par o Brasil, a Copa do Mundo já havia acabado… A seleção de Lazaroni havia sido eliminada pela Argentina, numa campanha da mais melancólicas em Copas do Mundo.

No Campeonato Paulista, a 3ª fase começava. Seriam dois grupos de 7 equipes, onde o campeão de cada grupo passava para a final. No grupo do SFCestavam: Bragantino, Corinthians, Botafogo, Ituano, Mogi Mirim e XV de Jaú.  Corinthians era o favorito e o Bragantino podia surpreender… e o Santos?

Bom, o Santos era uma incógnita… se Kazuo, Paulinho McLaren e Chulapa acertassem o pé, e Sergio continuasse a fazer os milagres no gol, podia até ser… mas seria muito difícil não perder pontos no interior e por consequência, alcançar a vaga.

Logo na 4 ª rodada, após perder para Corinthians e Bragantino, a vaga ficava bem distante… e mesmo não perdendo mais, ficou apenas na 3ª posição. Bragantino se classificou e decidiu o Campeonato  com o Novorizontino, fazendo a “final caipira”. Bragantino , cujo técnico era Wanderlei Luxemburgo, foi o Campeão.

Campanha:

Mogi Mirim EC – 1×1 (MM);0x0 (VB)

EC XV de Novembro (Jaú) – 1×0 (Santo André);1×0 (Jaú)

CA Bragantino – 0x2 (Bragança); 1×0 (VB)

SC Corinthians P – 1×3 (Morumbi); 0x0 (Pacaembu)

Botafogo FC -1×1 (Santa Cruz); 2×1 (VB)

Ituano FC – 2×1 (VB); 1×1 (Itu)

Depois de Campeonato Paulista, os tradicionais amistosos…

Quem visita a Vila Belmiro para um desses amistosos é a Universidad de Guadalajara, vice Campeã mexicana na temporada 89/90. Apenas 1.200 testemunhas viram o insosso empate de 0x0.

Segue para a Espanha para 3 jogos:

Ou melhor, segue para o País Basco onde enfrenta o Athletic Bilbao e depois mais duas partidas na Espanha, pelo Ramón Carranza.

A partida contra o Athletic Bilbao era festiva, tratava-se de uma homenagem ao ponteiro Argotte (502 partidas pelo clube Basco, foto ao lado). E o Peixe venceu por 2×0.

Quem fez sucesso, foi o zagueiro França, confundido com o holandês Ruud Gullit, foi alvo incessante de uma torcedora espanhola que queria um autógrafo do “Gullit” santista.

Na disputa do Troféu Ramón Carranza, venceu o Cádiz na disputa por pênaltis e levou a Taça “Ânfora Inclinada”.

A decisão  foi brasileira, contra o C Atlético Mineiro, e a Taça ficou com o Galo (0x1).

E mais uma disputa sem conquista, ficando apenas com a taça ganha em Taiwan.

Na volta já encarava o Brasileiro.

Campeonato que seria um pouco mais simples que a bagunça de 1989. Seriam 20 clubes em dois grupos de 10. No 1º turno, confrontos de um grupo contra outro; no 2º turno, apenas jogos no interior de cada grupo. Os campeões de cada turno em cada grupo estariam, classificados para as quartas de final, assim como os 4 melhores pontuados na soma dos dois turnos, independentemente de grupos. A parir daí os jogos seriam em mata-mata até a decisão final.

Almir. Esse chegou à seleção Brasileira.
Almir. Esse chegou à seleção Brasileira.

Para o campeonato Brasileiro, o Santos recebia o reforço de Edu Marangón, muito bom meia que surgiu na Portuguesa e vinha do Flamengo. Márcio Rossini tinha saído, assim como Kazuo e Chulapa era mais banco que titular, mas Pepe continuava comandando o time que ficava mais ofensivo e perigoso com a chegada de Almir, rápido ponteiro direito revelado pelo Grêmio.

No 1ºturno, o time não foi muito bem, ficando apenas na 6ª posição.

Mas, no returno…

Surpreendentemente, foi o Campeão do Grupo!

Apesar das duas derrotas, ficou na frente das outras 9 equipes, classificando-se para a fase final do Brasileirão… Uma campanha que nem os mais otimista dos santistas poderia conceber no início do campeonato.

Veja a campanha:

1º turno:

C Naútico C – 0x1 (Aflitos)

São Paulo FC – 1×0 (VB)

SE Palmeiras – 0x0 (Parque Antártica)

São José EC – 2×0 (VB)

Fluminense FC – 2×5 (São Januário)

CR Flamengo  – 0x0 (VB)

AA Internacional – 2×0 (Limeira)

Cruzeiro EC -1×1 (Mineirão)

Grêmio FPA – 0x0 (VB)

Vitória EC – 3×0 (VB)

2º turno:

A Portuguesa D – 1×0 (VB)

C Atlético Mineiro – 0x0 (VB)

EC Bahia – 1×0 (VB)

Goiás EC – 0x1 (Serra Dourada)

SC Internacional – 1×1 (Beira Rio)

SC Corinthians P – 0x1 (Pacaembu)

CA Bragantino – 3×0 (VB)

Botafogo FR – 2×1 (VB)

CR Vasco da Gama  – 2×2 (São Januário)

Durante o 2º turno, o Peixe disputava a Super Copa da Libertadores. E começou bem, empatando no Estádio Centenário com o Peñarol, em 0x0. Uma vitória simples colocava o alvinegro na fase seguinte. Apenas empatou na Vila, na partida de volat (2×2), e nos pênaltis foi eliminado. Uma pena…

Restava o mata-mata do Brasileirão…

O adversário seria o São Paulo de Telê Santana, Zetti, Cafu e Raí. Uma vitória era fundamental na Vila Belmiro, para tentar garantir o empate no Morumbi.

Como sempre, Telê reclamava de atuar na Vila… dizia que o Estádio não comportava um clássico daquela altura e outras coisas… falava da segurança e tal… mas, no fundo ele sabia que vencer o Peixe na Vila era tarefa das mais espinhosas…E numa partida cheia de equilíbrio, Mario Tilico conseguiu fazer um golzinho no final do 1º tempo… e mesmo com toda pressão santista, com um atleta a mais (Cafu foi expulso), não foi possível superar Zetti.

No Morumbi, o Santos foi para cima, arriscando tudo…

Logo aos 6 minutos Paulinho abre a contagem… e o time continuou no ataque… ao poucos o tricolor organizava seu jogo, mas Sérgio Guedes era uma barreira no gol santista… e foi assim, com muito equilíbrio, que a partida seguia… tanto o Santos podia abrir 2×0 e pavimentar sua classificação, como tricolor poderia empatar e derrubar o alvinegro… E aos 81′, o atacante Eliel empatou a contagem e terminou com os sonhos santistas… 1×1.

Veja os melhores momentos da partida:

Comments Closed

6 opiniões sobre “1990: Collor assume, o dinheiro some e o Santos sobrevive.”

  1. Amauri,

    O Torneio deveria contar com 4 participantes; Nacional, Peñarol, Santos e Seleção de Taiwan.
    Na véspera da competição a seleção local desistiu… O regulamento previa que as 3 equipes jogassem entre si, e os dois melhores disputariam a final.

    Portanto, foram 3 partidas.

    Irei verificar no SFC tal informação… caso eu esteve errado farei a devida correção. Caso o site esteja errado, pedirei que façam o acerto dos dados.

  2. Guilherme
    Saudações Santistas!
    No site do SFC, aparece: Copa America Tai Pei de 1990
    J – 4/ V – 2/ E – 2/ D – 0/ GP – 4/ GC – 2/ S – 2.
    Qual seria esse jogo?
    Também, seguindo o Walmir, poderia disponibilizar as 2 fichas dos 2 primeiros jogos e as fichas dos amistosos no Japão?
    Abraços

  3. Que fato inusitado… as 42 anos e ainda batendo sua bolinha….

    Uma rápida pesquisa sobre a carreira do craque e achei vários times que Almir atuou depois que saiu do SFC (até o ano de 2008):
    Santos (90 a 93), Belmare-JAP (94 e 96), São Paulo (95 a 96), Vasco (97), Atlético-MG (97), Guarani (98), Palmeiras (98), Internacional (99), Gaziantep Sport-TUR (2000), Sport-PE (2000), Paraná (2001), São Caetano (2001), La Piedad-MEX (2002), Atlas-MEX (2004), Lobus-MEX (2004), Ulbra-RS (2005), Porto Alegre-RS (2006) e União Mogi-SP (2008).
    Almir foi revelado no Grêmio (1988/1990).

    Obrigado, Anderson, pela informação.

  4. o almir jogou pelo esse ano de 2012 aqui em rio preto no paulista da serie a2 , esta com 42 anos , ainda esta bom de bola o problema é o time é muito fraco e não tem estrutura

  5. Guilherme vc tem as fichas técnicas dos dois primeiros jogos da SUPERCOPA SULAMERICANA no TAIWAN? Este Almir era um ponta direita autêntico além de ser muito habilidoso e bom de bola, tanto é que em 1992 quando o São Paulo foi disputar seu primeiro titulo mundial cogitava-se a possibilidade do SFC empresta-lo ao SPFC para reforçar o tricolor, assim como em 1925 quando emprestou Araken ao Paulistano na excursão a Europa.

Os comentários estão encerrados.