Sylvio Hoffman foi zagueiro do SFC até 1932

Santos FC, CBF e Copas do Mundo: 100 curiosidades

Amigos santistas,

Recebi  um e-mail com um desafio: Listar 100 fatos que unam Santos e as Copas do Mundo.

Como neste ano completa-se 100 anos da fundação da CBF e também teremos a Copa do Mundo em nosso País, pensei em unir as duas efemérides. Sendo assim, ao lado do pesquisador Wesley Miranda, faremos a desafiadora lista, desde a fundação da CBF até a Copa de 2014.


Antes de começar a lista, é necessária uma breve apresentação de Wesley Miranda: Respeitado pesquisador do alvinegro , especialista em imagens e vídeos, foi o responsável pelo site “Santistas Loucos”. Wesley já colaborou no site do Santos FC e no Blog do Odir Cunha, em  inúmeras matérias. Atualmente mantém um acervo de imagens no youtube, sob a conta “o maior de todos os tempos”.

Feita a apresentação, vamos às curiosidades:

Capítulo 1 – Período pré 1958

A CBF (originalmente, CBD  – Confederação Brasileira de Desportos), foi fundada em 1914 e segundo a Wikipédia sua data de fundação é de 20 de agosto de 1914. No entanto, em 21 de julho do mesmo ano realizou-se o que é considerado o primeiro jogo da seleção do Brasil, contra o clube inglês do Exeter City, com a vitória dos brasileiros por 2×0.

E desde então, fatos e curiosidades aproximam o alvinegro praiano do selecionado nacional.

Em 1914 as camisas da seleção eram brancas, como as do Santos FC! (1)

E nesta partida contra o Exeter City, mais uma aproximação: No ataque da Seleção a presença de Friedenreich. Fried jogou pelo Santos FC em duas ocasiões, em 1930 e 1935. (2)

Friedenreich (esquerda) em foto de 1935.

A primeira partida da seleção brasileira foi contra a Argentina em 20 de setembro, em campo dois conhecidos craques: Adolpho Millon e Arnaldo Silveira, atletas do alvinegro que naquele momento estavam emprestados ao CA Paulistano. (3)

Arnaldo Silveira seria o primeiro atleta do Santos FC convocado para a seleção brasileira em 1916 para disputar o Campeonato Sul-americano extra, em Buenos Aires (4).

A véspera  do Sul Americano de 1917, disputado no Rio de Janeiro, a seleção brasileira realizou seu primeiro jogo-treino contra um clube brasileiro. Quem realizou essa primazia? O Santos FC! (5)

24/09/1917 Santos FC 1×5 Seleção do Brasil
Local: Vila Belmiro – Santos (SP)
D: 2ª feira – 15:30
C: jogo-treino
Arbitro: não informado.
Gols: Haroldo (SFC) – Neco, Arnaldo, Amilcar, Dias e Lagreca (penal).
SANTOS: Otto (Andarahy – DF); Artur e  Américo; Pereira, Jarbas e Paula Ramos
(DF); Millon (BRA), Marba, Ary , Haroldo  e Maninho
CBD: Casemiro; Vidal, Chico Netto; Picagli, Lagreca, Gallo; Caetano, Dias, Amilcar, Neco e Arnaldo Silveira.
NOTA: Otto, Paula Ramos, Haroldo e Millon convocados para a seleção jogaram pelo
SFC. Após o jogo a delegação brasileira zarpou a bordo do Leão XIII rumo a Montevideo no Uruguai para disputa do Sulamericano.

A ficha técnica, bem como a descoberta desta partida é fruto do trabalho incansável do pesquisador Walmir Gonçalves, especialista em partidas do Santos FC no período do amadorismo, que ainda terá seu trabalho reconhecido pelo grande público.

Pela primeira vez o Santos enfrenta a seleção brasileira, fato que ocorreria mais 3 vezes ao longo da história, em  1952, 1962 e 2003 (6).

Em 1919 a primeira conquista internacional da seleção brasileira, foi no Sul-americano do Rio de Janeiro, disputado no estádio das Laranjeiras. No ataque da seleção, 3 santistas: Adolpho Millon, Haroldo Domingues e Arnaldo Silveira. Na foto abaixo, a presença de Millon e Arnaldo (agachados a esquerda e a direita) (7).

Em 1922, por ocasião de outro Sul-Americano  disputado no Rio de Janeiro, a Vila Belmiro recebe pela primeira vez uma seleção internacional, o Chile (participante da Copa 2014), num amistoso entre o combinado SFC/CA Ypiranga x Chile (11/10/1922) (8);

No mesmo mês (29/10), o adversário foi a seleção da Argentina (participante da Copa 2014)(9);

E poucos dias depois, um fato único no Brasil: O Santos monta um combinado com  Seleção da Argentina para enfrentar os paraguaios (10)

01/11/1922 Combinado Santos FC / ARGENTINA 3×3 PARAGUAI
L: Vila Belmiro – Santos (SP)
C: Amistoso
A: Servando Perez
G: Martin e Constantino (2) – Fritz (2) e Elisech
SFC/AFA: Randolpho (SFC); Paulino (SFC) e Cataldi (AFA); Médici (AFA), Rosas (SFC) e Renato (SFC); Martin (SFC), Marba (SFC), Constantino (SFC), Chiesa (AFA) e Rivet (AFA).
PAR: Denis; Mena e Gonzalez; Miranda, Solich e Benitez; Scharer, Elizech, Lopes, Rivas e Fritz. Técnico: Manoel Fleitas Solich

Athiê e Feitiço eram capa de "A Gazeta"

Finalmente chegamos ao ano de 1930, ano da primeira Copa do Mundo, em Montevideo (Uruguai). Uma briga entre dirigentes paulistas e cariocas impediu que o Brasil fosse representado por uma autêntica seleção nacional. O Santos poderia ter os seus primeiros atletas numa Copa do Mundo, Athiê e Feitiço estavam no grupo que treinava para ir à Copa (11), quando houve o rompimento entre os dirigentes, e desta forma não foram à Montevideo. Araken Patuska, que foi e jogou contra a Iugoslávia (12) não era mais atleta do Santos FC, estava sem clube na ocasião.

Araken Patuska, era atleta do Santos FC até o início de 1930.

Vale a pena ver o vídeo com depoimento de Araken sobre a Copa do Mundo de 1930:

Terminada a Copa no Uruguai, as seleções da França e dos EUA (que disputam a Copa de 2014) ao retornarem de navio aos seus países, deram uma pausa no porto de Santos e enfrentaram o Santos FC.

Os franceses são goleados por 6×1 (13) e saem do campo indignados, sentindo-se lubridiados pelos dirigentes brasileiros. “Havíamos combinado enfrentar um time local, e não a seleção do Brasil!” Os dirigentes santistas tiveram que levá-los até a sede do clube e mostrar as fotos dos craques praianos… desfeito o equivoco dos franceses, levantou-se uma taça de champagne para brindar os vencedores do amistoso:

30/07/1930 Santos FC 6×1 FRANÇA
L: Vila Belmiro – Santos (SP)
D: 4ª feira
C: Amistoso
A: Eneas Sgarzi
G: Feitiço 33′, 34′, 62′ e 80′ e Mario Seixas 59′ e 63′ – Delfour 57′
SFC: Athiê; Aristides e Meira; Osvaldo, Roberto e Alfredo; Omar, Camarão, Feitiço, Mario Seixas e Evangelista.
Técnico: Platero
Uniforme: Camisa brancas
FRANÇA: Thepot; Mattler (Capelle) e Andoire; Julien Laurent, Delmer e Chantrel; Liberati, Pinel, Machinot, Delfour e Villaplana
Técnico: Raoul Caudron

Poucos dias depois era a vez dos EUA, e talvez por excesso de confiança, o alvinegro apenas empatou em 3×3 com os semifinalistas da Copa de 1930 (14). O fato curioso dessa partida é que o Santos usou uma camisa em cada tempo, a listrada no primeiro e a branca no segundo tempo.

Na Copa do Mundo na Itália, em 1934, novamente um crise atingia o futebol brasileiro, e mais uma vez a seleção não contava com todos os melhores atletas que atuavam no Brasil. Mesmo assim, de modo indireto, o Santos estava representado… Sylvio Hoffman era atleta do Santos FC até 1932 (15), além da presença do mítico Waldemar de Brito, que além de craque foi quem trouxe Pelé para o Santos FC (16).

Sylvio Hoffman foi zagueiro do SFC até 1932
Waldemar de Brito (esquerda) e Leônidas da Silva

Chegamos ao ano de 1938. Sob o comando de Ademar Pimenta, o Brasil consegue uma excelente 3ª posição.

Ademar Pimenta seria técnico do Santos FC em 1943 (17). E por falar em técnico, o atacante Tim, um dos destaques do time brasileiro na Copa, foi técnico do Santos FC nos anos de 1974 e 1975 (18).

O planeta sofre com a tragédia da 2ª guerra mundial e apenas em 1950 haveria uma nova Copa do Mundo. E neste novo tempo de paz (relativa) o palco seria o Maracanã, especialmente construído para a ocasião. Além do Rio de Janeiro, São Paulo (Pacaembu), Curitiba (Durival de Brito), Porto Alegre (Eucaliptos), Belo Horizonte (Independência) e Recife (Ilha do Retiro) recebem jogos da Copa de 1950. E nestes estádios a marca do Santos estará presente com quebras de recordes de público (19):

Durival de Brito: Santos x Atlético Paranaense – 1968 – 24.303 pessoas

Independência: Santos x Atlético MG – 1964 – 36.000 pessoas

Pacaembu: Santos x Palmeiras – 1977 – 73.532 pessoas

Ilha do Retiro: Santos x Naútico – 1966 – 34.234 pessoas (Recorde até a data da partida)

Maracanã: Santos x Milan – 1963 – 132.728 pessoas (Recorde em partidas internacionais entre clubes)   Santos x Flamengo – 1983 – 155.523 pessoas (Recorde em Campeonatos Brasileiros)

Santos x Milan (1963) - Recorde de Público em partidas internacionais interclubes no Maracanã.

Jair Rosa Pinto

Em Campo, o Brasil dá show de bola, até o trágico Maracanazo contra o Uruguai. Um dos destaques da seleção era Jair Rosa Pinto, craque do alvinegro em 1958/1960 e técnico em 1972 (20).

Em 1954, pela primeira vez a seleção brasileira disputa a fase eliminatória para a Copa do Mundo. AInda não seria desta vez que atletas do Santos FC estariam em campo, mas Osvaldo Pizoni, conhecido por Osvaldo “Topete” fazia parte do elenco da seleção, e em 1957 atuou pelo clube de Vila Belmiro (21).

As camisas brancas da seleção são aposentadas e nasce a seleção “canarinho” na Copa do Mundo de 1954 na Suiça. No elenco não há atletas que atuavam no alvinegro, porém na lista dos 40 possíveis convocados enviadas à FIFA, constava o nome do craque Walter Marciano (22).

Walter Marciano foi lembrado na Copa de 1954, mas não viajou para a Suiça.
Castilho (esquerda) foi Técnico do alvinegro e Veludo (direita) defendeu o gol santista. Ambos foram campeões pelo Santos FC.

Em campo um time talentoso, mas confuso, onde os dirigentes sequer conheciam o regulamento do Torneio, cai frente à poderosa Hungria. Nos 22 atletas que foram até a Suiça, presentes Veludo e Alfredo Ramos. Alfredo Ramos, o “polvo”, foi revelado no Santos FC onde atuou de 1947 a 1950 (23). Veludo veio para o alvinegro em 1958, quando foi campeão do Torneio Rio/São Paulo (24). O outro goleiro da seleção brasileira era o lendário Castilho. Carlos Castilho foi técnico do Santos FC em 1984/1985 (25).

E fechamos o 1º capítulo. Foram 25 curiosidades envolvendo o Santos, a seleção brasileira e as Copas do Mundo.

Um trabalho coletivo com a participação de Wesley Miranda, Walmir Gonçalves e Marcelo Fernandes.

Da esquerda para direita: Guilherme Nascimento, Wesley Miranda, Marcelo Fernandes e Walmir Gonçalves.