Surge Pelé e a seleção brasileira perde o complexo de vira latas

Amigos santistas, dando continuidade ao primeiro texto (http://prof-guilherme.capesp.org/archives/4515), vamos conhecer mais 25 curiosidades, agora no período 1954/1962.

Capítulo II

Evaristo Macedo (quando jogador e como técnico)

Assim como em 1954, novamente o Brasil teve que  disputar as eliminatórias para a Copa da Suécia. E Oswaldo Brandão, que comandou o alvinegro no vice-campeonato paulista de 1948 foi o técnico da Seleção (1). Enfrentando o Peru em duas partidas, o Brasil elimina o concorrente sul-americano e segue para Estocolmo. Em campo, Evaristo de Macedo, que também seria técnico do Santos FC em 1993 (2), atua pelo selecionado.

Pepe, Zito, Pelé e Pagão. Só Pagão não foi para a Suécia.

Quando chegou a Copa, o alvinegro estava representado por 3 atletas:  Zito, Pelé e Pepe (3). Além deles Pagão, Dorval e Airton Pavilhão (que jogou no alvinegro em 1957) (4) estavam relacionados entre os 40 inscritos na FIFA.  Por conta de uma distração dos dirigentes da CBD, houve uma pequena confusão na inscrição dos 22 da Copa, e a numeração dos atletas brasileiros foi um pouco diferente.

Veja a numeração dos atletas santistas (5):

Zito – 19

Pelé  – 10

Pepe – 22

Pelé não era titular, daí a surpresa da camisa nº 10 para o menino que não podia ver filmes de Brigitte Bardot no cinema.  Pelé era o atleta mais jovem convocado para uma Copa até então (6).

A seleção brasileira só embalou a partir do 3º compromisso, quando Zito, Pelé e Garrincha assumiram a condição de titulares, e o Brasil venceu a URSS por 2×0.

Passando às quartas de final, a seleção enfrentou o Pais de Gales vencendo por 1×0, gol de Pelé (foto acima). Era o primeiro gol de um jogador do Santos numa Copa do  Mundo (7) e o gol do atleta mais jovem em Copa do Mundo (8).

http://www.youtube.com/watch?v=5OrK7eooj4Y

Contra a França, mais uma vitória, 5×2. Mais três gols de Pelé.

http://www.youtube.com/watch?v=qry8cBt8xEA

E chega a grande final: o adversário, a Suécia (donas da casa).

E aquele menino da Vila, Pelé, não se intimidou com os suecos… Nem ele, nem os outros 10 brasileiros em campo.

O resultado final, todos sabem: Brasil 5×2 Suécia, com mais dois gols de Pelé, que marcando 6 gols foi o artilheiro da seleção na Copa de 1958 (9)

http://www.youtube.com/watch?v=WIXJ9uRWLPQ

Brasil Campeão!

O velho Monarca (o Rei Gustav) cumprimenta o novo Rei (Pelé)

Bellini levantando a Taça e com a camisa do SFC no destaque.

Bellini, o capitão do time brasileiro, levanta a taça Jules Rimet acima da cabeça, num gesto único, sendo copiado por outros inúmeros capitães ao longo do tempo. Para quem não sabe, uma informação: Bellini já tinha usado a camisa santista em 1957, numa partida do combinado Santos/Vasco contra o São Paulo (10).

01/07/1957 Combinado Santos FC / CR Vasco da Gama 1×1 São Paulo FC (São Paulo)

L: Pacaembu – São Paulo (SP)

C: Torneio do Morumbi – Copa São Paulo

R: Cr$ 785.740,00

A: Walter Galera

G: Pelé 11’ – Ney 5’

SFC/CRVG: Manga; Paulinho de Almeida, Bellini e Ivan; Urubatão e Brauner ; Iedo , Pelé, Del Vecchio, Valdemar (Darci), Pepe.

Fim do complexo de “vira-latas” que Nelson Rodrigues combatia em suas colunas na imprensa do Rio de Janeiro.  E Pelé bate mais um recorde, o mais novo atleta a marcar um gol numa final de Copa (11), além de se tornar o mais jovem campeão do Mundo de todos os tempos (12).

Com a vitória brasileira na Suécia, chovem convites do mundo todo para conhecerem Pelé, Zito e Pepe.

E no início de 1959 o alvinegro parte para visitar o Mundo.

Em janeiro vence a Costa Rica (presente na Copa 2014), por 2×1 (13).

Além disso, visita os países: Equador, Costa Rica, México, Chile, Bélgica, Holanda, Itália, Alemanha, Suíça, Espanha e Portugal; em 1960 vai conhecer a Colômbia e a França; em 1961, jogou também na Argentina, Uruguai e na Grécia; em 1962, na Inglaterra, todos estes presentes na Copa 2014.

Em 1961, enfrenta a Colômbia, fato que se repetirá em 1968 (14).

17/07/1968 Santos FC 4×2 COLÔMBIA

L: El Campín - Bogotá (COL)

D: 4ª feira

C: Amistoso

P: 60.000

A: Guilhermo Velázques (COL) (depois, Omar Delgado – COL)

Expulsão: Lima

G: Toninho 4′ e 52′, Pelé 24′ e Pepe 65’– Arango 6′ e Gonzalez 20′

SFC: Gylmar (Laércio), Oberdan, Ramos Delgado, Orlando e Turcão; Mengálvio (Amauri) e Lima (Eliseu); Manoel Maria (Abel), Toninho (Douglas), Pelé e Pepe.
Técnico: Antoninho

Uniforme: Camisas brancas

COL: Quintana; Hernández, Soto, Urrea e Muñoz; Berdugo (Escobar) e Burrito González; Famayo, Escobar, Arango e Santa.

Técnico: Edgar Barona

Famosa partida onde o árbitro foi expulso por Pelé.

Guilhermo Velázques expulsou o Rei ao final do tempo. Ao reiniciar a partida os torcedores percebendo a ausência de Pelé começaram a vaiar o árbitro, houve uma imensa confusão no gramado com Guilhermo brigando com os jogadores do SFC. Ao final, o árbitro foi substituído por Omar Delgado (bandeirinha), que ordenou o retorno de Pelé ao campo.

Veja o vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=WXVFN4_QOPE

Ao chegar o ano de 1962, Santos e Brasil já estão associados como sinônimos de bom futebol. Pelé já havia coroado REI e o alvinegro era o campeão brasileiro.

Desta forma foi natural a convocação de quase todo time santista: Gylmar, Mauro Ramos de Oliveira, Zito, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe (15). Além de Laércio e Calvet que participaram dos treinamentos, mas não seguiram para a Copa (16).A justificativa é que haveria atletas demais do Santos …

a turma chamada para os treinamentos no Maracanã
Dorval (esquerda) ficou novamente na lista dos 40, e não disputou a Copa de 62.

Mas não era apenas na seleção do Brasil que havia santista. Na seleção italiana havia a presença de Sormani (17), que atuou no Santos em 1959/1961. E na seleção da Argentina, a presença de um zagueiro que marcaria época no Santos FC: Ramos Delgado (1967/1972) (18)


Na seleção brasileira os santistas ficaram com a seguinte numeração (19):

Gylmar  – 1

Mauro – 3

Zito – 4

Mengálvio – 17

Coutinho – 9

Pelé – 10

Pepe – 11

No destaque, os santistas na Copa de 1962

O Capitão da seleção era o santista Mauro Ramos de Oliveira , assim como em 1970 foi Carlos Alberto Torres (20).

Também vale a pena lembrar que Jair da Costa (reserva de Garrincha) atuou pelo Santos FC em 1973, quando foi campeão paulista (21)

O Técnico da Seleção foi Aymoré Moreira, que dirigiu o alvinegro em 1951/1952 (22).

O Brasil sagra-se campeão invicto (como em 1958), e na final Zito marca o gol da virada (23) contra a Tchecoslováquia, 3×1! (foto abaixo)

http://www.youtube.com/watch?v=QeQ5XnJyXOk

Na Copa do Chile, Pelé e Zito foram os atletas santistas que marcaram gols na competição (24).

Depois da Copa, o Santos torna-se campeão Mundial de Clubes numa épica decisão contra o Benfica.

Após o título mundial uma passagem pela Europa e no final do ano um polêmico amistoso contra a URSS* (25), envolto em diversos discursos de cunho ideológico típicos da guerra fria.

10/12/1962 Santos 2×1 URSS

L: Pacaembu – São Paulo (SP)

D: 2ª feira

C: Amistoso

R: Cr$ 9.469.500,00

P: 27.839

A: João Etzel Filho

G: Coutinho 34′ e Pelé 78′ – Valery 12′

SFC: Laércio, Mauro e Zé Carlos; Dalmo, Calvet e Zito; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe (Tite)

Tecnico: Lula

URSS: Kotrikadze; Gnodi, Mexey e Danilov; Stanislaw e Vassily; Oleg, Vicot, Yuri (Kanievsky), Anatole (Sabo) e Valery.

Técnico: Solovjev

* A Rússia é a herdeira futebolística da antiga URSS. A Rússia estará no Brasil participando da Copa de 2014.

Texto montado com a providencial ajuda de Wesley Miranda (crédito do acervo de fotos e dicas preciosas) e Marcelo Fernandes.