Arquivo da tag: Coutinho

A conquista definitiva da Taça Brasil

A conquista definitiva da 1ª Taça Brasil (50 anos)

A Taça Brasil, precursora do atual Campeonato Brasileiro, era a competição oficial da CBD que reunia os campeões estaduais para definir o Campeão Brasileiro. Disputado em sistema eliminatório em melhor de três pontos (com as vitórias valendo dois pontos), tinha em seu regulamento que o clube que vencesse em três ocasiões (consecutivas ou não) levaria o Troféu em definitivo, em semelhança a Taça Jules Rimet.

O Santos FC vencedor da Taça em 1961 e 1962 partia para o Tricampeonato em 1963. No entanto, por conta do calendário brasileiro da época, a Taça Brasil de 1963 avançou no calendário civil e terminou apenas em 1964, quando foram disputadas as fases finais da competição.

Como campeão do ano anterior, o alvinegro entrou direto na fase de semifinais, em janeiro de 1964.

O adversário seria o forte Grêmio Porto-alegrense (que havia eliminado o Metropol – SC e o Atlético Mineiro).

A tabela indicava que o Peixe teria que se deslocar até Porto Alegre e encarar o tricolor gaúcho. O estádio Olímpico (atualmente demolido) recebeu um público recorde de 50 mil pessoas, e os torcedores testemunharam a maior apresentação de um time de futebol no Rio Grande do Sul até então.

Com Coutinho e Pelé fazendo diabruras em altas dosagens, o SFC venceu por 3×1. A partida foi muito disputada e o Grêmio abriu o placar logo no início do 1º tempo. Mas naquela noite, os craques santistas mostraram porque eram bicampeões mundiais. Jogadas inesquecíveis, como a tabelinha de cabeça de Coutinho e Pelé da intermediária até a área tricolor e um show de bola durante os 90 minutos provocaram os aplausos de uma multidão embevecida ao final do espetáculo.

Na partida da volta num Pacaembu lotado, mais um jogo alucinante. Pepe abre a contagem num canhão de falta logo aos 6 minutos. E surpreendentemente, Paulo Lumumba vira a partida e o valente Grêmio faz três gols em 10 minutos!

O Pacaembu, atônito, via o Grêmio abrir 3×1.

Mas o Santos tinha o Rei do Futebol… E Ele marca outras três vezes e vira novamente o Placar: 4×3.

No entanto, logo após o quarto gol santista, Gylmar é expulso de campo por ofensas ao árbitro. O tricolor teria 5 minutos para conseguir outra proeza no mesmo dia… Naquela época era permitida apenas uma substituição (que havia sido realizada com a entrada de Joel Camargo para dar jeito na defesa), e assim algum jogador  de “linha” deveria assumir o cargo de goleiro.

E lá foi Pelé para o gol…

O Grêmio partiu para o abafa…

A defesa santista fazia de tudo para impedir as conclusões das jogadas do ataque gaúcho. Nas poucas ocasiões que furaram o bloqueio santista encontraram Pelé!

fonte: www.acervosantista.com.br

O Rei realizou algumas defesas, entre elas a antecipação num cruzamento que poderia resultar numa jogada perigosa no interior da área santista.

E foi com Pelé no gol que o Santos segurou o 4×3 e classificou-se para as finais.

Após a partida, os santistas viram a  tabela e leram: Bahia!

Os baianos já não causavam arrepios como em 1959 ou 1961. Mesmo assim impunham respeito, pois para chegar até a final eliminaram o Ceará, o Sport Recife e nada menos que o Botafogo, com todos os seus craques.

A primeira partida da final foi no Pacaembu.

Com um novo uniforme e com Pepe barbarizando na esquerda, o Peixe goleou o campeão baiano por 6×0!

Na partida de volta, recorde de renda na Bahia e trinta e cinco mil baianos esperavam um novo milagre do Senhor do Bomfim para vencer o Santos e provocar uma 3ª partida (pelo regulamento, bastava um simples 1×0 para que houvesse um jogo extra, não havia decisão por saldo de gols).

Porém o Santos tinha aprendido a lição de 1959 e com um gol em cada tempo não deu chances para a zebra e conquistou o tricampeonato brasileiro. Mais que isso, conquistou de maneira definitiva a “Taça Brasil”, que se encontra em exposição do Memorial das conquistas.

Foto: Wesley Miranda

Veja o vídeo produzido por Wesley Miranda com imagens da final, vale a pena:

https://www.youtube.com/watch?v=5vDRB5imbE8

Conheça a campanha da conquista da “Taça Brasil” (e do tricampeonato brasileiro):

16/01/1964 Santos FC 3×1 Grêmio FPA (Porto Alegre)

L: Olímpico – Porto Alegre (RS)

D: 5ª feira

Competição: Campeonato Brasileiro (Taça Brasil 1963)

R: Cr$ 21.327.000,00 (Recorde de renda no RS)

P: 50.000 (estimado) (Recorde de público no RS)

A: Eunápio de Queiroz

G: Coutinho 25′, Pelé 37′ e Coutinho 70′ – Paulo Lumumba 6′

SFC: Gylmar; Dalmo, João Carlos e Geraldino; Haroldo e Zito; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Batista.

Técnico: Lula.

Uniforme: Camisas brancas.

GFPA: Alberto; Valério, Airton, Aureo e Ortunho; Cleo e Milton; Marino (Madureira), Joãozinho, Paulo Lumumba e Vieira.

Técnico: Carlos Froner

19/01/1964 Santos FC 4×3 Grêmio FPA (Porto Alegre)

L: Pacaembu – São Paulo (SP)

D: Domingo

C: Campeonato Brasileiro (Taça Brasil 1963)

R: Cr$ 11.931.500,00

Pe (Público estimado pelo valor médio dos ingressos): 31.000

Árbitro: Teodoro Nitti (ARG)

Expulsão: Gylmar (SFC) expulso aos 41’ do 2º tempo (4×3)

G: Pepe (f) 6′ , Pelé (p) 30′, 58′ e (p) 85′ – Paulo Lumumba 9′ e 11′ e Marino 14′

SFC: Gylmar (Pelé); Dalmo, João Carlos (Joel Camargo) e Geraldino; Haroldo e Zito; Batista, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe.

Técnico: Lula.

Uniforme: Camisas brancas.

GFPA: Alberto; Valério, Airton, Aureo e Ortunho; Cleo e Milton; Marino, Joãozinho, Paulo Lumumba e Vieira.

Técnico: Carlos Froner

25/01/1964 Santos FC 6×0 EC Bahia (Salvador)

L: Pacaembu – São Paulo (SP)

D: Sábado

C: Campeonato Brasileiro (Taça Brasil 1963)

R: Cr$ 12.432.800,00

Pe: 33.000

Árbitro: Armando Marques

G: Pepe 7′ e 91′ Pelé (p) 28′ e (p) 87′, Coutinho 63′ e Mengálvio 81′

SFC: Gylmar; Ismael, Mauro e Geraldino; Haroldo e Lima; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.

Técnico: Lula.

Uniforme novo: branco com listras verticais finas em preto

ECB: Nadinho; Hélio, Henrique, Roberto e Ivan; Nilsinho e Mário; Valença (Vermelho), Vevé, Hamilton e Biriba

Técnico: Geninho

28/01/1964 Santos FC 2×0 EC Bahia (Salvador)

L: Fonte Nova – Salvador  (BA)

D: 3ª feira

C: Campeonato Brasileiro (Taça Brasil 1963)

R: Cr$ 21.083.300,00 (Recorde de Renda na BA)

P: 35.365

Árbitro: Armando Marques

G: Pelé (f) 26′ e 85′

SFC: Gylmar; Ismael, Mauro e Geraldino; Haroldo (Joel Camargo) e Lima; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.

Técnico: Lula.

Uniforme: Camisas brancas

ECB: Nadinho; Hélio, Henrique, Roberto e Russo (Ivan); Nilsinho e Mário; Miro, Vevé, Hamilton e Biriba

Técnico: Geninho

SFC Tricampeão da Taça Brasil 61/62/63. O Santos FC conquista de maneira definitiva a “1ª Taça Brasil”


Fichas técnicas

07/02/1970 Santos FC 3×2 CD Universidad Católica (CHIL)

Local: Estádio Nacional Santiago – Santiago (CHI)

Competição: Hexagonal do Chile

Renda : 970.834 pesos

Público: 63.648

Árbitro: Rafael Hormazabal

Expulsões: Joel Camargo, Ramos Delgado (SFC) e Petckovic (CDUC) expulsos

Gols: Pelé 25′ e 46′ e Coutinho 16′ – Sarnari 27′ e 92′

SFC: Joel Mendes; Haroldo, Ramos Delgado, Joel Camargo e Rildo; Lima e Nenê; Manoel Maria, Coutinho (Marçal), Pelé e Abel (Djalma Dias).

Técnico: Antoninho

CDUC: Trepiana; Adriazola, Laube, Villarroel e Diaz; Sarnari e Salinas (Varas); Petkovic, Carvallo, Messe (Fernandez) e Fouilloux.

Pelé e Coutinho reviveram as tabelinhas na decisão do Hexagonal. Alguns já apontavam a possibilidade da convocação de Coutinho para a Copa… mas não passou de um balão de ensaio.

24/04/1970 Santos FC 1×1 SE Palmeiras(São Paulo)

Local: Parque Antártica – São Paulo (SP)

Competição: Taça Cidade de São Paulo

Renda: NCr$ 97.420,00 (rodada dupla SPFC x SCCP na preliminar)

Público: 17.571 + 1.847 gratuitos (19.418 total)

A: Wilmar Serra

Gols: Manoel Maria 88′ – Cesar 48′

SFC: Joel Mendes; Turcão, Ramos Delgado, Djalma Dias e Rildo; Léo Oliveira e Pitico (Lima); Manoel Maria, Picolé, Djalma Duarte e Abel (Douglas).

Técnico: Antoninho

SEP: Neuri; Neves, Luis Pereira, Nelson e Dé; Dudu e Cabralzinho; Copeu, Jaime, César e Pio.

Técnico: Rubens Minelli

“Meninos da Vila”, geração 70. O único que conseguiu um certo destaque na equipe principal foi Léo Oliveira. Picolé apareceu bem, marcou muitos gols em 70,  mas fez sucesso na Bahia, junto com Douglas.

16/08/1970 Santos FC 1×0 AA Ponte Preta (Campinas)

Local: Moisés Lucarelli – Campinas (SP)

Competição: Campeonato Paulista

Renda: Cr$ 144.717,00

Público: 28.992 + 4.236 menores (33.228 total)

J: José Faville Neto

Gol: Douglas 63′

SFC: Joel Mendes; Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel Camargo e Rildo; Clodoaldo e Lima; Manoel Maria, Douglas, Pelé e Edu (Abel)

Técnico: Antoninho

Ponte Preta: Wilson, Nelson, Samuel, Araujo e Santos; Teodoro e Roberto Pinto; Alan (Nelson Oliveira), Dicá, Manfrini e Adilson (Ézio).

Técnico; Cilinho

Recorde de renda em Campinas. Grande partida decidida numa jogada de Pelé, que cruzou para Douglas marcar.

Observação: Em maio a moeda voltou a ser o cruzeiro. Não houve cortes de “zeros”.

56 -26/08/1970 Santos FC 2×2 EC São Bento (Sorocaba)

Local: Humberto Realli – Sorocaba (SP)

Competição: Campeonato Paulista

Renda: Cr$ 21.035,00

Público: 5.952 + 1.664 menores (7.616 total)

J: Vilmar Serra

Gols: Coutinho 25′ e Pelé 56′ – Marco Antonio 27′ e Carlinhos 59′

SFC: Edvar; Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel Camargo e Rildo; Leo Oliveira e Negreiros (Lima); Manoel Maria (Abel), Coutinho, Pelé e Edu

Técnico: Antoninho

São Bento: Lourenço; Aranha, Ercilio, Gibe e Fernando; Roberto e Bazaninho; Carlinhos, Jorge Costa, Wilson (Gilberto) e Marco Antonio.

Técnico: Wilson Francisco Alves

Gol anulado do Carlos Alberto, Coutinho estaria em ”impedimento”. Neste dia nascia Edinho, filho de Pelé. Edinho jogaria no gol santista em 1994.

27/09/1970 Santos FC 1×1 Cruzeiro EC (Belo Horizonte)

Local: Mineirão – Belo Horizonte (MG)

Competição: Campeonato Brasileiro (Taça de Prata – Torneio Roberto Gomes Pedrosa)

Renda: Cr$ 218.155,00

Público: 50.513

A: José Aldo Pereira

Gols: Nenê 27’ – Tostão 70’

SFC: Cejas; Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias e Turcão; Clodoaldo e Lima; Manoel Maria, Douglas (Picolé), Nenê e Abel (Léo Oliveira)

Técnico: Antoninho

CEC: Raul; Pedro Paulo, Brito, Wilson Piazza e Vanderley; Zé Carlos, Dirceu Lopes e Tostão; Natal, Evaldo (Eduardo) e Hilton Oliveira (Rodrigues).

Técnico: Filpo Nuñes

Estreia espetacular de Cejas… Partida excepcional de dois supertimes… um desfile de grandes carques: Brito, Tostão, Dirceu Lopes, Zé Carlos, Cejas, Clodoaldo, Lima, Nenê… “um jogo de deuses”…

25/10/1970 Santos FC 5×0 Seleção de Alagoas

Local: Estádio Rei Pelé – Maceió (AL)

Competição: Amistos (Inauguração do Estádio)

Renda: Cr$ 314.000,00

Público: 45.865 – recorde de público

A: Armando Marques

Gols: Douglas, Pelé (2) e Nenê (2)

SFC: Cejas (Edvar); Carlos Alberto Torres (Turcão), Djalma Dias (Ramos Delgado), Marçal (Joel Camargo) e Rildo; Clodoaldo (Lima) e Nenê; Davi, Douglas, Pelé (Luis Carlos Feijão) e Abel

Técnico: Antoninho

AL: Mocorozi (Zé Luis); Ciro (Gulater), Dida, Djalma e Lourival II; Aranha e Zito; Zezinho, Canavieira (Brás), Adeírton e Canhoteiro.

Capacidade atual do Estádio de 25.000 (2010)

O Rei Pelé era chamado também de "Trapichão". Bela vista aérea do estádio (fonte: templos do futebol)

As grandes partidas de 1959

Amigos,

Seguem as fichas técnicas do ano de 1959:

17/05/1959 SAntos FC 3×0 CR Vasco da Gama (Rio de Janeiro)

Local: Pacaembu – São Paulo (SP)

Competição: Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Torneio Rio/São Paulo)

Renda: Cr$ 905.695,00

Público: calculado em 21.000

Juiz: Frederico Lopes

Gols: Coutinho (2) e Pelé

SFC: Laércio; Ramiro, Getúlio e Mourão; Álvaro e Zito (Fioti); Dorval, Jair Rosa Pinto, Coutinho, Pelé e Pepe.

Técnico: Lula

CRVG: Barbosa, Viana, Coronel, Dario, Russo, Laerte, Sabará, Robson, Zé Henrique (Cabrita), Rubens e Roberto Peniche (Osvaldo) Técnico: Gradim

O SFC foi campeão com 6 vitórias, 1 empate  e 2 derrotas.

17/06/1959 Santos FC 3×5 Real Madrid CF (ESP)

Local: Santiago Bernabeu – Madrid (ESP)

Competição: Amistoso

Público: 70.000

Árbitro: Leo Horn (HOL)

Gols: Pelé 10′, Coutinho 74′ e Pepe (p) 55′ – Mateos 15′, 17′ e 37′, Puskas 61′ e Gento 75′

SFC: Lalá; Getúlio, Pavão, Dalmo, Ramiro, Zito, Dorval, Álvaro (Afonsinho), Pagão (Coutinho), Pelé e Pepe.

Técnico: Lula

RMCF: Berasaluce; Marquitos (Atienza II 74´), Santamaría, Casado; Santisteban, A. Ruiz; Gento (Gento II 46´), Mateos (Puskas 54´), Del Sol, Gainza, Di Stéfano.

* Gainza emprestado pelo Atlético de Madrid.

Essa partida o Real guardou na sua história, como um tesouro… durante todo o reinado do Santos, o Real se recusou a uma nova partida… usavam esse amistoso como vitrine para vender suas excursões, amistosos e chamar a atenção da imprensa européia… No fundo, morriam de medo de tomarem uma goleada como o rival Barcelona….

21/06/1959 Santos FC 4×1 Botafogo FR (Rio de Janeiro)

Local: Estádio RiazorLa Coruña (ESP)

Competição: Troféu Tereza Herrera

Público: 45.000

Árbitro: Blanco Peres

Gols: Pepe (p) 39′ e 77′, Pelé 60′ e Coutinho 66′ – Zagalo 69′

SFC: Lalá; Pavão (Formiga) e Mourão; Getúlio, Ramiro e Zito; Dorval (Alfredinho), Jair Rosa Pinto (Álvaro), Afonsinho (Coutinho), Pelé e Pepe.

Técnico: Lula

BFR: Ernani; Tomé e Airton (Pampolini); Chicão. Borges e Nilton Santos; Garrincha, Didi, Paulo Valentim, Waldir e Zagalo.

Constelação de craques brasileiros em solo espanhol: Nilton Santos, Zito, Garrincha, Pelé, Didi, Pepe e Zagallo… todos campeões na Suécia.

Sem dúvida, uma foto histórica, na Espanha. Sete campeões mundiais em campo.

E como na maioria das partidas decisivas entre Santos e Borafogo, deu  Santos.

Imagem: blog.maismemoria.net

26/06 /1959 Santos FC 7×1 Internazionale FC (ITA)

Local: Nestala – Valência (ESP)

Competição: Torneio de Valência (Trofeu Naranja)

Árbitro: Ortiz de Mendevil

Gols: Coutinho 18′, Pepe (p) 30′ e 77′ e Pelé 48′, 53′, 68′ e 69′ – Angelillo 71′

SFC: Lalá; Pavão e Mourão; Getúlio, Ramiro e Zito (Formiga); Dorval, Jair Rosa Pinto (Álvaro), Coutinho, Pelé (Alfredinho) e Pepe.

Técnico: Lula

IFC: Mateucci; Guarniere, Fadalé e Polchi; Cardetilli e Galdiach; Robatti, Castiavilatti, Mascabriato, Angelillo e Sagionni.

Com esse baile, o Santos levou o Troféu Naranja

29/06/1959 Santos FC 5×1 FC Barcelona (ESP)

Local: Camp Nou – Barcelona (ESP)

Competição: Amistoso

Público: 40.000

Árbitro: Ramon Azon

Gols: Pelé 56′ e 71′, Dorval 4′ e 74′ e Coutinho 10′ – Evaristo de Macedo 15′

SFC: Lalá; Pavão (Formiga) e Mourão; Getúlio, Ramiro e Zito; Dorval (Alfredinho), Jair Rosa Pinto (Álvaro), Coutinho, Pele (Afonsinho) e Pepe.

Técnico: Lula

FCB: Larraz, Rife, Bartoli, Pinto (Martinez), Verges, Recaman, Villaverde (Hermes), Kocsis, Evaristo, Ribelles, Czibor.

Uma goleada histórica no Barcelona… show santista!

02/08/1959 Santos FC 4×0 CA Juventus (São Paulo)

Local: Rua Javari – São Paulo (SP)

Competição: Campeonato Paulista

Renda; Cr$ 622.225,00

Público: 10.000

Árbitro: Sebastião Mairinques

Gols: Pelé 23′, 53′ e 87′ e Dorval 72′

SFC: Manga; Pavão e Mourão; Formiga, Ramiro e Zito; Dorval, Jair Rosa Pinto, Coutinho, Pelé e Pepe.

Técnico: Lula

CAJ: Mão de Onça; Julinho e Homero; Lima, Clóvis e Pando; Lanzoninho, Zeola, Buzzone, Cassio e Rodrigues.

Jogo do famoso gol de Pelé (o mais bonito de sua carreira: o 3º), imagem digitalizada em Pelé Eterno. Várias lendas, umas delas é que foi nessa partida que Pelé socou o ar para comemorar o gol espetacular que marcara… isso porque a torcida grená estava pegando no pé do Rei do Futebol… vaiando, xingando… a resposta do Rei foi simples (para os gênios): a bola pingou na área, ele aplica 3 chapéus nos zagueiros, quando chega o goleiro desesperado, ele toca de cabeça por cima do arqueiro… um gol que poucos viram… mas milhões afirmam que testmunharam o fato  naquela tarde, na Rua Javari.

Imagem: Miltonneves

Como o gol não foi filmado, os computadores modernos solucionaram a falta de imagens…

No filme “Pelé, eterno”, foi feita a reprodução gráfica deste gol, segue o link:

Em 23 de agosto, ao enfrentar o Noroeste, no campo do Bauru AC (clube que revelou Pelé), o Santos recebeu um troféu pela vitória por 4×3.

No dia 7 de setembro, Ramiro despede-se do Santos FC, com uma bela vitória sobre a Portuguesa de Desportos, na Vila Belmiro:    5×0.

Imagem: tubaroesalvinegros.blogspot.com

17/11/1959 Santos FC 4×1 Grêmio FPA (Porto Alegre)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Taça Brasil

Renda: Cr$ 668.550,00

Público: calculado em 18.000

Árbitro: Alberto Gama Malcher

Gols: Jair Rosa Pinto 25′ e 31′, Coutinho 82′ e Urubatão 89′ (SFC) – Gessi 60′ (GFPA)

SFC: Manga, Getúlio, Pavão e Mourão; Urubatão e Formiga; Dorval, Jair Rosa Pinto, Coutinho, Pelé e Pepe .

Técnico: Lula

GFPA: Henrique; Orlando, Airton e Ortunho; Elton e Calvet; Giovani, Gessi, Cardoso, Milton e Juarez (Vieira).

Primeira partida do SFC numa competição de nível nacional… Calvet ainda atuava pelo tricolor gaucho.

19/11/Santos FC 12 x1 AA Ponte Preta (Campinas)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Campeonato Paulista

Renda: Cr$ 166.720,00

Público: calculado em 3.700

Árbitro: Telêmaco Pascoal

Gols: Coutinho 1′, 44′, 55′, 72′ e 75′, Pepe 12′, 16′, (p) 58′ , 72′, Agnaldo 71′ e 77′ e Domingos (contra) 75′ – Célio 66′

SFC: Manga; Dalmo e Pavão; Formiga, Mourão e Zito; Dorval, Jair Rosa Pinto, Coutinho, Agnaldo e Pepe.

Técnico: Lula

AAPP: Walter; Mingão e Derém; Wilse, Pitico e Brade; Nivaldo, Paulinho, Célio, Jansen e Dinho.

Maior goleada do Santos FC em todos os tempos… Pelé não participou, e Coutinho fez a festa…

30/12/1959 Santos FC 2×0 EC Bahia (Salvador)

Local: Fonte Nova – Salvador (BA)

Competição:Taça Brasil

Renda: Cr$ 2.487.230,00

Público: Calculado em 40.000

Árbitro; José Monteiro Alencar (DF)

Gols: Coutinho 53′ e Pelé 76′
Expulsão: Dalmo (SFC)

SFC: Laércio; Feijó, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Urubatão, Coutinho, Pelé e Pepe

Técnico: Lula

ECB: Nadinho, Leone, Henrique, Vicente e Beto; Flávio e Bombeiro; Marito, Alencar, Leo e Biriba.
Técnico: Geninho

Parecia que o Santos venceria a primeira Taça Brasil… mas, ao transferir a decisão para março de 1960, o cansaço derrotou o alvinegro… e lógico, méritos para o EC Bahia que entrou para a história como o primeiro campeão brasileiro.

Pelé, Zito e Pepe Campeões Mundiais… e o Santos não para: 80 partidas em 1958

Santistas de todo Mundo, Uni-vos!

O ano de 1958 é um marco no futebol brasileiro!

A Seleção do Brasil sagra-se Campeã Mundial pela primeira vez (Suécia) e Pelé é proclamado REI!

Enquanto isso o Santos joga.

E como joga… são 80 partidas ao longo do ano.

Logo no início de 58, recebe a Taça “A Tribuna”, por ter sido a melhor equipe santista no Campeonato Paulista de 1957.

São diversos amistosos por todo 1958, só contra o C Atlético Mineiro foram 5!!!!!

A primeira competição oficial foi o Torneio Roberto Gomes Pedrosa (o Rio/São Paulo). Uma campanha com poucos destaques, como a vitória no Maracanã, contra o America por 5×3 e a alucinante partida contra a SE Palmeiras, com a vitória por 7×6!!!!!!!!!

Veja a campanha santista:

America FC – 5×3 – Maracanã

Botafogo FR – 2×2 – Pacaembu

SE Palmeiras – 7×6 – Pacaembu

CR Flamengo – 2×3  – Pacaembu

A Portuguesa D – 2×3 – Pacaembu

São Paulo FC – 2×4 – Pacaembu

CR Vasco da Gama –  0x1 – Maracanã

SC Corinthians P – 1×2  – Pacaembu

Fluminense FC – 3×0 Vila Belmiro

Termina na 7ª colocação (Vasco da Gama foi o campeão)

Em seguida, participa do Torneio Charles Miller (promovido pela FPF), com os 3 melhores do Campeonato Paulista de 1957:

13/04 – SC Corinthians P – 2×2

24/04 – São Paulo FC – 2×1

Em seguida, a participação no Torneio Início. Que é resumida a uma única apresentação: 0x3 A Portuguesa D ( América FC, de São José do Rio Preto, foi Campeão).

Enquanto  Zito, Pelé e Pepe servem à Seleção Brasileira, o Santos FC parte para excursões pelo interior do Brasil.

Seleção que perderá seu complexo de “vira-latas”, como dizia Nelson Rodrigues.

Seleção que só embalou na Copa do Mundo a partir da 3ª partida, quando Zito, Pelé e Garrincha entraram no time. Pepe ficou de fora por sentir uma contusão na véspera da competição.

Os jogos da seleção foram: 3×0 Aústria; 0x0 Inglaterra e 2×0 URSS (1ª fase)

1×0 País de Gales (gol de Pelé)

5×2 França (3 gols de Pelé)

5×2 Suécia (2 gols de Pelé)

Na foto ao lado (copadomundo.uol.com.br), Pelé campeão do Mundo aos 17 anos, chora copiosamente no peito de Gilmar.

Gilmar, que atuaria no Santos FC a partir de janeiro de 1962.

Brasil, Campeão do Mundo de 1958!

Voltando ao Santos FC:

em 04/05 vence a AA Caldense (4×1), no dia 11/05 bate o combinado AA Caldense/Rio Branco FC (Andradas) (4×1).

Duas partidas em Goiás: 7×1 no Sírio Libanês FC e 1×1 com o Goiânia EC.

E é na partida entre Santos FC e Sírio Libânes FC que aparece para o futebol, o mago da pequena área: Coutinho.

Antonio Wilson Honório, faz a sua 1ª partida pelo alvinegro, com 15 anos incompletos (exatamente, 14 anos, 11 meses e 7 dias) !!!! Coisa que apenas o Lula (técnico do SFC) poderia promover.

Coutinho é uma das lendas santistas…

Jogou até 1967, saiu do Santos e voltou em 1969, ficando até 1970.

Foi o melhor companheiro de Pelé!

Realizou 450 partidas e marcou 368 gols.

É o 3º maior artilheiro da história do SFC, e poderia ter feito ainda mais gols, se não fosse o problema físico que tinha (tendência para engordar e contusão sofrida no joelho).

Participou da Copa do Mundo no Chile, em 1962, sagrando-se bicampeão mundial.

Imagem: footbook.com.br

De Goiás, para o Paraná. Em Ponta Grossa, mais duas apresentações: 5×2 no Guarani e 2×0 no Operário.

Dali, uma nova excursão pelas Minas Gerais:

Primeira parada: BH (0x0 e 2×5 C Atlético Mineiro). Depois pelos caminhos da Gerais…

2×1 Valerio (em Itabira); 0x1 Acesita (Acesita); 3×0 Ateneu (Montes Claros);

Uma esticada no interior do Paraná: 4×2 Comercial (Cornélio Procópio) e 2×1 Londrina (Londrina).

e finalmente retorna à Minas na última partida antes da estreia no campeonato Paulista: Uma vitória sobre a Seleção de Itajubá, por 2×1.

Essas partidas foram disputadas durante o período da Copa na Suécia, e as fichas técnicas de algumas delas não estão completas (partidas no interior de MG) . Desde já esse blogueiro pede ajuda aos amigos que acompanham a saga santista, qualquer informação será bem recebida.

No Campeonato Paulista foi uma farra de gols e goleadas… o Título foi conquistado com recordes sobre recordes. Pelé foi o artilheiro com 59 gols em 33 partidas!!!!!!

O ataque santista é demolidor, são 143 gols em 38 jogos!

Em pé: Ramiro, Airton Pavilhão, Veludo, Geraldo Scotto, Dalmo e Zito; .Agachados: Dorval, Jair Rosa Pinto, Pelé, Pagão e Pepe.

Repare no escudo… não era um novo modelo, mas o uniforme que estava desbotado!

A Campanha do Campeão:

Jabaquara AC – 7×3 (VB); 6×2 (VB)

CA Juventus  – 2×0 (Javari); 7×1 (VB)

EC XV de Novembro (Piracicaba) – 6×0 (VB); 5×0 (Roberto Gomes Pedrosa)

Botafogo FC – 2×2 (Luis Pereira); 4×0 (VB)

Comercial FC – 1×1 (Parque São Jorge); 9×1 (VB)

América FC – 0x0 (São José do Rio Preto); 3×1 (VB)

A Portuguesa D – 4×3 (VB); 1×1 (Canindé)

Noroeste EC – 0x1 (Alfredo Castilho); 3×0 (VB)

A Ferroviária E – 4×3 (VB); 1×2 (Fonte Luminosa)

São Paulo FC – 1×0 (VB); 2×2 (Pacaembu)

AA Ponte Preta – 4×0 (VB); 2×1 (Moisés Lucarelli)

SE Palmeiras – 1×0 (Parque Antártica); 2×1 (VB)

EC XV de Novembro (Jaú) – 5×2 (VB); 0x0 (Artur Simões)

AA Portuguesa – 2×1 (Ulrico Mursa); 6×1 (VB)

EC Taubaté – 3×0 (VB); 2×3 (Joaquim de Moraes)

CA Ipiranga – 4×1 (Américo Guazelli – Santo André); 8×1 (VB)

Nacional AC – 10×0 (VB); 4×3 (Comendador de Souza)

SC Corinhtinas P – 1×0 (Pacaembu); 6×1 (VB)

Guarani FC – 8×1 (VB); 7×1 (Brinco de Ouro)

Nada menos que 18 goleadas!!!!!!!

Observações:

* O Ipiranga passa a mandar seus jogos em Santo André;

* A AA São Bento muda novamente de nome, retorna a Comercial FC mandando seus jogos em São Paulo);

* Durante o Campeonato, uma desastrosa excursão ao Rio Grande do Sul (1×5 SC Internacional e 0x4 Grêmio FPA);

* O Campeonato Paulista com 20 clubes, em turno e returno, foi muito criticado… excesso de jogos era o motivo das críticas. A média de público em toda competição foi baixa: 4.877 pessoas.

* Na partida contra o América, em São José do Rio Preto, o Santos recebeu a Taça “Café Cimo”.

Fichas Técnicas Selecionadas:

30/01/1958 Santos FC  2×5 C Atlético Mineiro (Belo Horizonte)

Local: Independência – Belo Horizonte (MG)

Competição: Amistoso

Renda: Cr$ 292.280,00

Árbitro: João Etzel

Gols: Pelé 11′ e Guerra 44′ – Tomazinho 32′ e 77′, Jair 13′ e 54′ e Márcio 82′

SFC: Manga; Dalmo e Fiote; Hélvio, Zito e Urubatão (Brauner); Dorval, Afonsinho, Guerra (Raimundinho), Pelé e Pepe (Alfredinho).
Técnico: Lula

CAM: Arizona (Zé Maria); Anísio e Grilo (William); Benito, Jair e Nilsinho; Márcio, Nilson, Tomazinho, Alvinho e Dino (Amorim)

Técnico: Newton Anet.

Nesta partida Pelé perdeu penalti (Arizona defendeu). provavelmente foi o 1º pênalti perdido por Pelé, enquanto atleta profissional. Além desse amistoso, ocorreram também: 2×0 (em 02/02); 2×2 (em 05/02); 0x0 (em 03/06) e 2×5 (em 05/06)… não foram bons os resultados contra o Galo Mineiro, em 1958.

06/03/1958 Santos FC 7×6 SE Palmeiras (São Paulo)

Local: Pacaembu – São Paulo (SP)

Competição: Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Torneio Rio/São Paulo)

Renda: Cr$ 1.676.995,00

Público: 43.068

Árbitro: João Etzel Filho

Gols: Pelé 21′, Pagão 25′, Dorval 32′, Pepe 38′, 45′ + 1′, 83′ e 86′ – Urias 18′ e 79′, Nardo 26′, Paulinho 61′, Mazzola 64′ e 72′

SFC: Manga; Hélvio (Urubatão) e Dalmo; Fioti, Ramiro e Zito; Dorval, Jair Rosa Pinto, Pagão (Afonsinho), Pelé e Pepe.

Técnico: Lula

SEP: Edgard (Vitor), Waldemar Carabina e Édson; Formiga (Maurinho), Valdemar de Fiúme e Dema; Paulinho, Nardo (Caraballo), Mazzola, Ivan e Urias.

Técnico: Oswaldo Brandão

Falar do ano de 1958 e não comentar essa partida é uma heresia… Mas os 7×6 merecem uma postagem à  parte.

17/05/1958 Santos FC 7×1 Sírio Libanês FC (Goiânia)

Local: Pedro Ludovico (provável) – Goiânia (GO)

Competição: Amistoso

Renda: Cr$ 120.000,00

Árbitro: Francisco Moreno

Gols: Jair Rosa Pinto (2), Álvaro (2), Dorval e Coutinho e Getúlio – Bil Brair

SFC: Manga (Laércio); Getúlio (Pinduca) e Dalmo; Feijó, Ramiro e Fioti; Dorval, Álvaro, Guerra (Raimundinho), Jair Rosa Pinto (Coutinho) e Hélio.

Técnico: Lula

SLFC: Miguel; Sergio e Barreto; Otaviano, Jonas e Badaria; Zezé, Da Guia, Bil Brair, Zezinho e Pedrinho.

Estreia de Coutinho no SFC. Uma partida histórica, sem dúvida.

11/09/1958 Santos FC 10×0 Nacional AC (São Paulo)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Campeonato Paulista

Renda: Cr$ 165.505,00

Árbitro: Juan Brozzi

Gols; Pelé 19′, 70′, 87′ e 89′, Guerra 20′, 55′ e 63′, Dorval 77′ e ??? e Urubatão 43′

SFC:Manga; Ramiro e Feijó; Getúlio, Urubatão e Zito; Dorval, Álvaro, Guerra, Pelé e Pepe.

Técnico: Lula

NAC: Valentino; Nino e Mario; Gonçalves, Pixo e Roderlei; Edgard, Jorge, Lavorato, Elson e Vasco.

Maior goleada do SFC no Campeonato Paulista

07/12/1958 Santos FC 6×1 SC Corinthians P (São Paulo)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição:  Campeonato Paulista

Renda: Cr$ 849.200,00

Árbitro: Esteban Marino

Gols: Pelé 5′, 15′, 36′ e (p) 73′, Pepe 52′ e Pagão 82′ – Zague 41′

SFC: Manga; Ramiro e Dalmo; Getúlio, Urubatão e Zito; Dorval, Jair Rosa Pinto, Pagão, Pelé e Pepe

Técnico: Lula

SCCP: Cabeção; Idario, Olavo e Oreco; Valmir e Roberto; Bataglia, Indio, Zague, Rafael e Tite.

Técnico: Cláudio

Pepe marcou um gol de calcanhar! Uma surra santista no alvinegro paulistano… fato corriqueiro nos próximos 10 anos!!!!!