Arquivo da tag: Educação

Skinheads ameaçam na USP

Grupos de skinheads agora ameaçam estudantes da USP.

Parabéns, fascistas de plantão, vocês conseguiram o que queriam… a possibilidade de sangue de estudantes escorrendo na Cidade Universitária.

Os skinheads mais atuantes no Brasil são conhecidos por ações racistas, violentas e ligadas a extrema-direita (o que não significa que todo skinhead seja neonazista).

E são esses grupos violentos que espalharam cartazes na USP ameaçando eventuais usuários de maconha com agressões… junto dos cartazes do skinheads, outros cartazes identificados pela triste sigla “CCC”…

Lei a matéria, aqui: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1009022-skinheads-colam-cartazes-com-ameacas-a-estudantes-na-usp.shtml

Tristes tempos para a USP.

O fascismo roda pela Universidade de São Paulo.

A lei, ora a lei

Amigos,

Um dos legados do governo Lula foi a lei 11738, em vigor a partir de 1º de janeiro de 2009, que estabelece um piso nacional do magistério, bem como uma jornada de trabalho para esse piso. O valor deste piso é de R$ 1.187,00 para uma jornada de 40 horas e  33%  da jornada fora da sala de aula… o que convenhamos não é nenhuma fortuna.

Lembramos que à época da aprovação da lei, diversos Governadores entraram com uma ADIN (Ação direta de inconstitucionalidade) contra o piso. Perderam em carater definitivo… entre os Governadores estavam Serra, Aécio…

Estamos no final de 2011, dois anos após a lei entrar em vigência e 17 Estados da Federação não cumprem a lei.

Matéria do Portal Vermelho apresenta os estados que não cumprem o que prometaram cumprir, ou seja, cumprir a Lei.

Clique aqui: http://www.vermelho.org.br/editorial.php?id_editorial=1000&id_secao=16

Veja, também quadro geral dos Estados publicado no Folha.com:

http://www1.folha.uol.com.br/saber/1007195-estados-nao-cumprem-lei-do-piso-nacional-para-professor.shtml

Parece que seguem a máxima: A lei? Ora, a lei.

Ainda a USP

Amigos,

O assunto USP ainda não acabou… e gostaria de expor algumas ponderações:

Não estudei na USP… no máximo fiz um curso de extensão (Astronomia) e usei sua biblioteca… meu curso Universitário foi feito em Faculdade Particular às custas das aulas que lecionava. Sou professor da Rede Pública Estadual. Meus filhos estudam (estudaram) em Universidades Públicas… um deles ainda estuda na USP… Faz o curso de Física , que possui uma média de, no máximo, 8 formandos por ano… o curso previsto para 5 anos, costuma durar  7 ou 8 anos… ele trabalha, sempre trabalhou (IBGE, Estação Ciência e agora aulas)… mora no CRUSP… Não creio que possa ser considerado um “filhinho de papai”… apesar do estereótipo (barba, cabelos compridos ao melhor estilo anos 70, bermuda  e camiseta), não tem automóvel, depende do bandejão para se alimentar e do CRUSP para morar… não passa todos os finais de semana em casa, pois muitas vezes não há dinheiro o suficiente para isso… estuda, e muito… não só Física, mas tudo que vê pela frente… só consegue fazer isso pois estuda numa das melhores Universidades do País… tem senso crítico (vive me dizendo sobre as falhas que vê no meio acadêmico)… e tentou conhecer melhor o movimento estudantil, mas a partidarização de alguns grupos o afastou (o que ele reconhece como sendo uma falha sua).

Conversando com ele sobre os últimos acontecimentos, ele mostrava o absurdo que foi a desocupação da reitoria… o gigantesco aparato policial, onde o CRUSP foi cercado e diversos estudantes impedidos de sairem para trabalhar ou estudar.

(Sim, meus amigos, os estudantes da USP trabalham!)

Foram impedidos… todos os moradores do CRUSP foram tomados por “perigosos extremistas” que poderiam auxiliar os estudantes acampados na reitoria.

Desde o início, ele falava que o caso dos 3 estudantes pegos com maconha não era o problema principal… mas, que havia uma situação que estava insustentável… ele dizia que era um sentimento contraditório… ver a PM (ao longe) dava uma sensação de segurança, porém eram frequentes os casos de abordagens onde os alunos sentiam-se mais desprotegidos ainda… as imagens da Repressão à Greve de 2009 eram recentes aos olhos do universitários, e que a convivência entre PM e os estudantes não era das mais tranquilas… falou sobre abordagens aos estudantes com PMs sem identificação… sobre a não aceitação da escolha do Reitor (que ele avalia como ruim, por suas posturas autoritárias e mercantilistas, no interior da Universidade)… ficou surpreso com a decisão da assembleia da ocupação e das críticas recebidas pelo DCE (Rotulado de “direita” por grupos que defendiam a ocupação da reitoria)… criticou aqueles que foram na Praça do Relógio para dar apoio à presença da PM (hipócritas e manipuladores)… falou das propostas de melhorar a segurança e que era necessário maior diálogo… também dizia que o jornal dos alunos da ECA era fonte de informações bem interessante.

Escrevo tudo isso para destacar artigo publicado na “Carta Capital” de Matheus Pichonelli (Ocupação Patética, reação tenebrosa) e a moção dos alunos da ECA sobre a cobertura jornalística.

São dois artigos para reflexão…

http://www.cartacapital.com.br/sociedade/ocupacao-patetica-reacao-tenebrosa/

http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/alunos-da-ecausp-esta-sendo-praticado-o-antijornalismo.html

Sobre a USP

Amigos,

Vou entrar (de leve) na polêmica desta confusão na USP.

Creio que existem mais coisas que a nossa imprensa quer divulgar…

Por outro lado, ainda não consigo entender com clareza o que os estudantes querem…

O consigo entender, é que muitos problemas estão camuflados na USP… e problemas sérios… Afinal não seria a simples detenção de 3 rapazes fumando maconha que provocaria uma ocupação, e mais grave ainda… agora a noite 3.000 estudantes aprovaram greve geral e nova ocupação.

Não é possível que tudo isso seja para fumar maconha livremente… Não acredito em 3.000 maconheiros militantes na Universidade… não, a crise não é pelo direito de fumar maconha…

Texto no blog do Juca Kfouri é para refletir: http://blogdojuca.uol.com.br/2011/11/usp-autonomia-seletiva/

Leia também a nota divulgada pelo DCE Livre da USP “Alexandre Vanucchi Leme”:

http://www.dceusp.org.br/2011/11/nota-sobre-a-tropa-de-choque-na-usp-e-a-prisao-de-70-estudantes/

LDO – 2012 – A vez de Assis e Presidente Prudente

Amigos,

A Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa começa a série de audiências Públicas pelo Estado de São Paulo.

É muito importante a participação da população, e em particular do funcionalismo, para garantir na peça orçamentária de 2012 os recursos necessários para as demandas do serviço público.

Respeito a data-base de 1º de março; reajuste salarial obrigatório por lei; contra-partida de 2% para o IAMSPE e fim das políticas de prêmios e gratificações são algumas das bandeiras que os membros do CAPESP defenderão durante as audiências.

Veja matéria no portal do CAPESP sobre a audiência de Assis e Presidente Prudente: http://www.capesp.org.br/portal/lendonews/2283/

Governo do Estado pretende quebrar as férias dos professores

Amigos,

A última novidade da Secretaria da Educação do Estado é quebrar as férias dos professores.

Hoje, como qualquer outro trabalhador, os professores gozam seus 30 dias de férias,  de maneira ininterrupta, no mês de janeiro.

Agora, a Secretaria de Educação pretende dividir as férias dos professores em dois blocos: 15 dias em janeiro e outros 15 dias em  julho.

Além do reajuste parcelado em 4 anos, agora as férias parceladas!

Tal decisão, sem nenhuma concordância das entidades representativas da educação!

Será que a Secretaria de Educação julga que medidas como essa garantiriam melhor qualidade de ensino?

Duvido…

Dá a impressão que tal medida foi feita, exclusivamente, para atrapalhar os professores…

Mais uma medida tecnocrática, saída da cabeça de alguém que (provavelmente), esta muito tempo longe das salas dos professores e das salas de aulas, ou seja a muito tempo sem pagar num giz…

Pobre São Paulo… nas mãos de técnicos assim, a Educação caminhará para onde?

Imagem: camocimonline.com