Arquivo da tag: Friedenreich

Sylvio Hoffman foi zagueiro do SFC até 1932

Santos FC, CBF e Copas do Mundo: 100 curiosidades

Amigos santistas,

Recebi  um e-mail com um desafio: Listar 100 fatos que unam Santos e as Copas do Mundo.

Como neste ano completa-se 100 anos da fundação da CBF e também teremos a Copa do Mundo em nosso País, pensei em unir as duas efemérides. Sendo assim, ao lado do pesquisador Wesley Miranda, faremos a desafiadora lista, desde a fundação da CBF até a Copa de 2014.

Continue lendo

Friedenreich usa o manto

Santistas de todo Mundo, uni-vos!

Para o Santos FC o ano de 1935 foi sua redenção. Para o Mundo foi um ano de radicalizações e perdas, como a de Fernando Pessoa, que falece em novembro.

O poeta é um fingidor.                                                                                                                         Finge tão completamente                                                                                                                         Que chega a fingir que é dor                                                                                                                     A dor que deveras sente.                                                                                                                               E os que leem o que escreve,                                                                                                                   Na dor lida sentem bem,                                                                                                                       Não as duas que ele teve,                                                                                                                           Mas só a que eles não têm.                                                                                                                        E assim nas calhas de roda                                                                                                                 Gira, a entreter a razão,                                                                                                                       Esse comboio de corda                                                                                                                          Que se chama coração.

O ano começou ainda confuso, fruto da falta de entendimento entre a cartolagem paulista e carioca. Num misto de  oportunismo  e vaidade, a CBD vai revertendo o campo perdido para a FBF, isolando-a e deixando-a em segundo plano.

Continue lendo

E futebol vira profissão!

Santistas de todo Mundo, uni-vos!

O fascismo alemão chega ao poder (janeiro de 1933), com a ascensão de Hitler como chanceler. Em pouco tempo o nazismo iria arrastar a Europa para os horrores de uma nova guerra. 

Se na política os fatos provocavam turbulências sem fim, no futebol brasileiro não era muito diferente. 

O amadorismo marrom corria solto desde o final dos anos 20. Mas, a profissionalização dos “hermanos” argentinos e uruguaios, além do assédio dos clubes italianos sobre os filhos de imigrantes (os “oriundi”) acelerou e tornou inevitável o profissionalismo nas terras brasileiras.

Continue lendo

E a França pensava que o Santos era a Seleção Brasileira…

Santistas de todo mundo, uni-vos!

O ano de 1930 foi marcado por muitas histórias.

No começo do ano era grande a expectativa quanto a participação brasileira na 1ª Copa do Mundo, no Uruguai.

Athiê, Feitiço e Araken (ainda suspenso pela direção santista) eram figuras carimbadas para a Seleção Brasileira. No entanto, pouco tempo antes da Copa, por uma briga de vaidades entre as Ligas de São Paulo e Rio de Janeiro, a APEA rompeu relações com a CBD e impediu que os craques paulistas fossem convocados. Com tal atitude, Feitiço e Athiê perderam a grande oportunidade de participarem de uma Copa do Mundo. Araken foi chamado (por sua conta seguiu no navio da delegação brasileira rumo ao Uruguai) e chegou a atuar na Copa, porém não como atleta do SFC, mas como atleta da CBD. Depois da Copa do Mundo, Araken deixa a Vila Belmiro e retornaria apenas em 1935.

Continue lendo