Arquivo da tag: intolerância

Rede Social e a disseminação do ódio.

Absolutamente enojado de ler determinadas postagens.
Pregam a intolerância, o ódio de classes, na mais absoluta e revoltante desfaçatez.
Pregam o golpismo, o militarismo, a volta da ditadura.
Distorcem os fatos históricos e atuais… Inventam e mentem.
De certa forma isso sempre existiu…
Porém a “cara de pau” de alguns nos dias de hoje, absolutamente me deixa inconformado.
O que me enoja são aqueles que repetem mentiras sabendo que são mentiras.
O que enoja é a desonestidade intelectual daqueles que deveriam ter um mínimo de responsabilidade naquilo que escreve/ou posta.
Apostam e pregam o aumento da violência…
O individualismo sempre falando mais alto…
Fingem-se de “bonzinhos” mas semeiam o ódio… Hipócritas!
São fascistas dos mais diversos matizes, nas mais diversificadas formas. Infelizmente alguns são meus “amigos” (apenas na rede social)… felizmente apenas na “rede social”.
Se auto-intitulam “democratas”, não são!
Definem-se como patriotas, não são!
Dizem que são defensores da ordem e dos valores da família, não são!
Na verdade, são falsos como um nota de 3 reais, são violentos, preconceituosos e mesquinhos.
São pessoas que gostariam de viver num sistema escravocrata (desde que fossem os senhores de escravos, claro), se usasse imagem bíblica diria que são como sepulcros caiados.
Por fora, “limpos”, “alvos” e “puros” (até mesmo postando belas mensagens de “amor”)… por dentro fétidos e decompostos, como um sepulcro, destilando seu ódio e inconformismo.
Ah, caso tenha vestido a carapuça, por favor não venha comentar por aqui. Tenha um mínimo de amor próprio e não queira contra-argumentar. Não quero debate, não pretendo debater. Que guarde seus ódios e rancores em suas páginas (as quais não visito).

Ah, a elite paulistana…

Amigos,

A Prefeitura de São Paulo instalou faixas exclusivas para ciclistas em Moema, bairro de classe média alta.

E os comerciantes da região protestam…

Uma das proprietárias reclama que “suas clientes, milionárias, de salto alto, não usam bicicletas…”

Acredite a declaração é verdadeira, foi vinculada na TV Globo!!!!!

Veja abaixo, o vídeo desta senhora indignada:

Hilário, se não fosse trágico!

Mais uma prova da mentalidade tacanha da elite paulistana… isso explica muita coisa..

Skinheads ameaçam na USP

Grupos de skinheads agora ameaçam estudantes da USP.

Parabéns, fascistas de plantão, vocês conseguiram o que queriam… a possibilidade de sangue de estudantes escorrendo na Cidade Universitária.

Os skinheads mais atuantes no Brasil são conhecidos por ações racistas, violentas e ligadas a extrema-direita (o que não significa que todo skinhead seja neonazista).

E são esses grupos violentos que espalharam cartazes na USP ameaçando eventuais usuários de maconha com agressões… junto dos cartazes do skinheads, outros cartazes identificados pela triste sigla “CCC”…

Lei a matéria, aqui: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1009022-skinheads-colam-cartazes-com-ameacas-a-estudantes-na-usp.shtml

Tristes tempos para a USP.

O fascismo roda pela Universidade de São Paulo.

A extrema direita ataca… e mata.

Amigos,

O atentado direitista na Noruega é um caso que deve ser bem observado… a escalada da intolerância cresce a olhos vistos…querem varrer os valores humanistas.

A questão não é meramente religiosa como quer passar o noticiário da grande mídia, é política e econômica.

Pobre Europa, tão rica e sem rumo…

Texto publicado no portal do Nassif segue nesta linha de raciocínio:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-crise-o-atentado-na-noruega-e-o-extremismo-de-direita#more

Como o fascismo se recicla

Amigos,

“O moderno reacionário é a porta de entrada do velho fascismo”

Se você não entendeu a piada de Rafinha Bastos afirmando que para a mulher feia o estupro é uma benção, tranquilize-se. O teólogo Luiz Felipe Pondé acaba de fornecer uma explicação recheada da mais alta filosofia: a mulher enruga como um pêssego seco se não encontra a tempo um homem capaz de tratá-la como objeto.

Assim começa o pertinente artigo de Marcelo  Semer, publicado no portal “Vermelho”

clique aqui, e leia o restante: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=159342&id_secao=8

Imagem: contextolivre.blogspot.com

Rubens Paiva e a DiogoMainardização…

Amigos,

Texto direto e objetivo de Rubens Paiva publicado no Portal Vermelho (http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=6&id_noticia=154890), sobre os “políticamente incorretos”.

Segue o texto:

“Como comentou uma leitora, Natália, no post anterior:

Cara, acho tão engraçada essa mania das pessoas de falarem com orgulho que são “politicamente incorretas” quando dizem absurdos… o sujeito vem, fala um monte de merda e diz que faz isso porque é inteligente (é um livre pensador, não segue o pensamento burro e dirigido das massas, etc) e porque não liga de ser “politicamente incorreto” porque afinal esse é o certo, a sociedade de hoje que está deturpada.

Por Marcelo Rubens Paiva, em seu blog

Eu tinha pensado na mesma coisa. O governador e o secretário municipal de segurança reconheceram que tanto a PM quanto a Guarda Municipal exageraram na repressão à Marcha da Maconha, que virou Marcha pela Liberdade de Expressão.

Alckmin chegou a dizer que não compactua com a ação da PM na Marcha. Mas muitos leitores e alguns blogueiros continuam achando que o certo mesmo era enfiar o cacete nos manifestantes.

A onda agora é ser bem reaça. Se é humorista, e uma piada ultrapassa o limite do bom gosto, diz ser adepto do ideal do politicamente incorreto. Que babaca é fazer censura contra intolerância. Pode zoar com judeu, gay, falar palavrão, é isso, que se foda, viva a liberdade!

Se alguém defende a Marcha da Maconha, faz apologia, é vagabundo. Se defende a descriminalização do aborto, é contra a vida. Se aplaude a iniciativa da aprovação da união homossexual, quer enviadar o Brasil todo, país que se orgulha de ser bem macho, bem família! Se defende a punição de torturadores, é porque pactua com terroristas que só queriam implodir o estado de direito e instituir a ditadura do proletariado. Deu, né?

Esta DiogoMainardização da imprensa e da pequena burguesia brasileira tem um nome na minha terra: má educação. Esta recusa ao pensamento humanista que ressurgiu após a leva de ditaduras que caiu como um dominó a partir dos anos 80 tem outro nome: neofascismo.

É legal ser de direita? Tá bacana desprezar os movimentos sociais, aplaudir a repressão a eles? Eu não acho. Apesar de considerar o termo “politicamente correto”, do começo dos anos 90, a coisa mais fora de moda que existe, diante do que vejo e leio, afirmo: eu, aleijado com tendências esquerdizantes, não era, mas agora sou totalmente politicamente correto.

Protesto e gafe

Foi uma semana marcada pelo protesto da gente diferenciada e gafes nas redes sociais, que têm 600 milhões de vigilantes no Facebook e 120 milhões no Twitter. Postaram:

Rafinha Bastos, no dia das mães: “Ae órfãos! Dia triste hoje, hein?”

Danilo Gentili, sobre os “velhos” de Higienópolis que temem uma estação de metrô: “A última vez que eles chegaram perto de um vagão foram parar em Auschwitz.”

Amanda Régis, torcedora do Flamengo, time eliminado da Copa do Brasil pelo Ceará: “Esses nordestinos pardos, bugres, índios acham que têm moral, cambada de feios. Não é à toa que não gosto desse tipo de raça.”

Ed Motta, ao chegar em Curitiba: “O Sul do Brasil como é bom, tem dignidade isso aqui. Sim porque ooo povo feio o brasileiro rs. Em avião dá vontade chorar rs. Mas chega no Sul ou SP gente bonita compondo o ambiance rs.”

Quando um leitor replicou que Motta não era “um arquétipo de beleza”, ele respondeu que estava “num plano superior”. “Eu tenho pena de ignorantes como vc… Brasileiros…”, escreveu. “A cultura que eu vivo é a CULTURA superior. Melhor que a maioria ya know?”

E na MTV, a Casa dos Autistas, quadro humorístico, chocou pelo mau gosto.

Todos pediram desculpas depois. Danilo, um dos maiores humoristas de stand-up que já vi, recebeu telefonema do departamento comercial da Band, pedindo para tirar o comentário. Ed Motta se revoltou contra a imprensa. Pergunta se temos o direito de reproduzir seus escritos particulares.

A internet trouxe a incrível rapidez na troca de informações e espaço para exposição de ideias. Alguns se lambuzam. Dizem que são contra as patrulhas do politicamente correto. Mas como ficam as domésticas ofendidas, os órfãos recentes, aqueles que perderam parentes em Auschwitz, os nordestinos e os pais de autistas?

Tomara que, depois do pensamento grego, democracia, Renascença, a revolução industrial e tecnológica nos iluminem. O preconceito não é apenas sintoma de ignorância, mas lapsos de um narcisista. Ele nunca vai acabar?

Enquanto no Itaú Cultural, um símbolo de excelência em apoio às artes e alta tecnologia, em plena Avenida Paulista, uma mãe foi expulsa por amamentar o filho em público na exposição do Leonilson, artista que sofreu inúmeros preconceitos, morto vítima da Aids.

Ou melhor, viadão que morreu da peste gay, porque era promíscuo, diriam os reaças. Os ânimos estão acirrados.”

Há vida nas Universidades Paulistas!

Amigos,

Há vida inteligente nas Universidades Paulistas.

O DCE da UNESP divulga matéria em repúdio ao preconceito e ações racistas praticadas por estudantes (ou não) recentemente.

Dois bons artigos foram divulgados: –  DCE da UNESP e FATEC repudia os casos de violência contra homossexuais;

– Chamado aos artistas! Construamos o festival-ato INTERUNESP contra a opressão!

Leia os textos em: http://dceunespfatec.blogspot.com/

Ato público em defesa ao migrante

Amigos,

Será no próximo dia 11 de novembro o ato público em apoio ao migrante. Seja nordestino, negro, índio ou  nortista.

O local será na Câmara Municipal de São Paulo, às 17:00, no plenário da Câmara, 1º andar.

É necessário demonstar que o paulistano/paulista é tolerante e amistoso… que estes poucos neo-fascistas racistas não representam a população que nasceu, vive, trabalha e estuda na maior cidade do Brasil.

Eu estarei lá,  e você?