Arquivo da tag: Mauro Ramos de Oliveira

Surge Pelé e a seleção brasileira perde o complexo de vira latas

Amigos santistas, dando continuidade ao primeiro texto (http://prof-guilherme.capesp.org/archives/4515), vamos conhecer mais 25 curiosidades, agora no período 1954/1962.

Capítulo II

Evaristo Macedo (quando jogador e como técnico)

Assim como em 1954, novamente o Brasil teve que  disputar as eliminatórias para a Copa da Suécia. E Oswaldo Brandão, que comandou o alvinegro no vice-campeonato paulista de 1948 foi o técnico da Seleção (1). Enfrentando o Peru em duas partidas, o Brasil elimina o concorrente sul-americano e segue para Estocolmo. Em campo, Evaristo de Macedo, que também seria técnico do Santos FC em 1993 (2), atua pelo selecionado.

Continue lendo

A Europa se rende ao Santos

Santistas de todo mundo, uni-vos!

O ano de 1960 foi bem estranho…

Começou sem ter acabado 1959…

Como já vimos, em janeiro de 60 o SFC estava disputando as partidas finais do Campeonato Paulista de 1959.

Em seguida, partiu para a excursão para a América do Sul.

Peru, Equador e Colômbia receberam o alvinegro, cujos resultados foram:

O Peixe usou uma camisa semelhante a essa contra o Universitario de Lima , na derrota por 2x3 (ver em "Passado de glórias", escrito por Guilherme Guarche) .

Universitario (Peru) – 2×2

Sporting Cristal (Peru) – 3×3

Alianza (Peru) – 2×1

Unversitário (Peru) – 2×3

Independiente Medelin (Colômbia) – 2×1

América (Cáli – Colômbia) – 1×0

Millionarios (Colômbia) – 1×2

Deportivo Cali (Colômbia) – 4×0

América (Cali – Colômbia) – 1×0

Aucas (Equador) – 6×2

Voltou ao Brasil e já participava do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Torneio Rio/São Paulo).

Mas, ainda havia “tempo” para enfrentar o Bahia na decisão do Campeonato Brasileiro de 1959 (Taça Brasil), e como sabemos, o alvinegro foi derrotado pelo tricolor baiano.

Derrotado em sua segunda decisão em 3 meses, cansado, o alvinegro relaxa e tem uma participação pálida no Rio /São Paulo, ficando apenas na 8ª posição.  A campanha sofrível, foi assim:

SE Palmeiras – 0x0 (Pacaembu)   

SC Corinthinas P – 1×2 (Pacaembu)

CR Flamengo – 0x1 (Pacaembu)

America FC – 5×4 (Vila Belmiro)

Fluminense FC – 2×4 (Maracanã)

Botafogo FR – 0x3 (General Severiano)

A Portuguesa D – 2×2 (Pacaembu)

São Paulo FC – 1×1 (Pacaembu)

CR Vasco da Gama – 0x0 (Maracanã)

Acima, foto de General Severiano, modesto estádio do Botafogo FR, onde o SFC atuou pela última vez em 1960 (imagem: futrio.net)

Com o final do Rio/São Paulo o elenco teve finalmente um Mês de férias!

E em maio, o time partia para a Europa. Com os jogadores descansados, podendo atuar sem ter o peso de uma competição, o time se entrosa e começa uma fase tão ganhadora que nunca mais seria vista em qualquer equipe do planeta. Uma fase que começa em maio de 1960 e dura até novembro de 1966. Um período incontestável de vitórias e títulos.

Nesta excursão à Europa não foi tão longa quanto em 1959. Apresentou um saldo de vitórias tão massacrantes e placares estonteantes que faziam os olhos dos torcedores franceses, alemães, italianos, espanhóis brilharem… assim como dos dirigentes de clubes. Pelé cansou de ser seduzido pelas liras, pesos, marcos, dólares, libras e qualquer outra moeda imaginada… mas sempre teve o apoio da direção firme do SFC (e em especial do comando de Athiê), que sabia que não poderia vender a sua principal marca.

E o grupo de campeões continuava a ser reforçado… três grandes craques chegam ao elenco:

Mauro Ramos de Oliveira.

Vindo do São Paulo FC,  era um grande zagueiro, veio já veterano (com quase 30 anos), mesmo assim permaneceu no SFC até 1967.  Participou das Copas de 1954, 1958 e 1962.  Foi técnico do SFC após a saída de Antoninho, em 1971.

Imagem (santosfc.com.br)

Outro que chegava à Vila Belmiro era Mengálvio. Meia direita clássico, versátil (chegou a atuar como volante), era o chamado “falso lento”. Veio do futebol sulino, do Grêmio, tendo sido revelado pelo Aimoré (que sob o comando de Mengálvio chegou ao vice-campeonato gaucho). Participou da Copa do Chile em 1962. Jogou no Santos até 1968.

Imagem(santistasloucos.net)

Raul Donazar Calvet, o Calvet.

Também veio de um tricolor, o gaucho (Grêmio). Chegou com 26 anos e ganhou todos os títulos possíveis pelo SFC. Dizem que só não participou da Copa de 1962 por que já havia jogadores demais do SFC (sete)…

Encerrou a carreira no próprio Santos, em 1964, após romper o tendão de aquiles.

Imagem: (tubaroesalvinegros.blogspot.com)

Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Esse ataque foi construído em 1960. Durou até 1966. Foi a fase áurea do Santos FC, do futebol brasileiro e do futebol-arte.

Esse é, sem dúvida, a  maior lembrança que uma equipe de futebol poderia ter deixado às gerações futuras:  Uma Máquina de fazer gols e conquistar títulos!

Voltando à excursão européia, o alvinegro jogou na Bélgica, Alemanha, Itália, Espanha, Polônia, França e ainda uma partida em Marrocos!

Os jogos:

20/05 – Standart Liége (Bélgica) – 4×3

25/05 – Seleção da Polônia (Polônia) – 5×2 – Aqui um fato bem curioso. Os informes pela imprensa sempre deram como autores dos gols santistas, Pelé (2), Coutinho (2) e Sormani. Porém, arquivos da TV Cultura, mostram que Coutinho fez três gols e Pelé, apenas um gol.

Veja as imagens aqui, e tire qualquer dúvida:

27/05 – TSV Munchen 1860 (Alemanha Ocidental) – 9×1

28/05 – Anderlecht (Bélgica) – 6×0

31/05 – Royal Beerschot (Bélgica) – 10×1 – Segundo a revista Placar, nesta partida o ator Anselmo Duarte (que viajava com os santistas, numa espécie de cicerone do elenco), entrou em campo e marcou um gol!!!! Para não dar problemas com a CBD, o SFC informava que Ney tinha entrado no lugar de Mengálvio e marcado o gol santista.

Na foto ao lado, Leonardo Villar, no filme “O pagador de promessas”, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes, em 1962, dirigido por Anselmo Duarte.

Imagem: blogln.ning.com

em 01/06 – AS Roma (Itália) – 3×2 (Troféu Il Giallorosso)

03/06 – AC Fiorentina (Itália)- 0x3

07/06 – Stad Reims C (França) – 5×3 – Torneio de Paris

09/06 – Racing C France (França) – 4×1 – Torneio de Paris – SFC Campeão!!!!

11/06 – KAA Gantoise (Bélgica) – 5×2

12/06 – Seleção de Antuérpia (Bélgica) – 3×1

14/06 – Eintracht Frankfurt (Alemanha Ocidental) – 4×2

16/06 – Combinado Borussia TC/ Hertha SC – Berlim – (Alemanha Ocidental) – 3×1

17/06 – Stad Reims C (França) – 3×1

19/06 – RC Deportivo Español (Espanha) – 2×2 – partida realizada no Marrocos. primeira partida do SFC em solo africano.

23/06 – US Toulouse (França) – 3×0

25/06 – Valência CF (Espanha) – 1×0

02/07 – Barcelona CF (Espanha) – 3×4  – Aqui , o SFC deveria ter disputado o Torneio de Barcelona (Barcelona, Español, Santos e Padova). O Santos enfrentaria o Español e o Barça, o Padova. Porém, a CBD exigia a presença de Zito, Coutinho, Pelé e Pepe na seleção brasileira e ameaçava o SFC de impedir de jogar no exterior… ao mesmo tempo o Barcelona exigia a realização das partidas, e ameaçava o alvinegro com um processo de milhões de cruzeiros… no final, o famoso “jeitinho brasileiro”… não houve o Torneio, mas o confronto direto entre as duas super-potências( Santos e Barcelona), o SFC voltou e os atletas serviram a seleção e ficou tudo como estava…

Ao final de julho, o Santos começa sua participação no Campeonato Paulista, enfrentando a Ponte Preta na Vila Belmiro. Vila Belmiro que apresentava uma novidade: as traves passavam a ser arredondadas no lugar dos perigosos caibros antigos…

O Torneio Início não era mais disputado,  encerrando uma fase do futebol paulista…

A campanha do clube de Vila Belmiro foi a seguinte:

AA Ponte Preta – 6×3 (VB); 4×1 (Moisés Lucarelli)

A Portuguesa D – 1×1 (Canindé); 3×4 (VB)

Guarani FC  – 2×2 (Brinco de Ouro); 1×3 (VB)

Jabaquara AC – 8×3 (VB); 3×2 (VB)

SC Corinthians P – 1×1 (VB); 6×1 (Pacaembu)

Botafogo FC – 5×1 (VB);4×2 (Luis Pereira)

Comercial FC (RP) – 0x2 (Costa Coelho); 2×1 (VB)

EC Noroeste  – 4×1 (VB);3×1 (Ubaldo Medeiros)

EC Corintians de PP – 1×0 (Parque São Jorge – PP); 5×0 (VB)

EC Taubaté – 5×1 (VB); 6×1 (Joaquim de Moraes)

SE Palmeiras – 3×1 (Parque Antártica); 2×1 (VB)

São Paulo  FC – 1×1 (VB); 1×2 (Morumbi)

A Ferroviária E – 0x4 (Fonte Luminosa); 5×0 (VB)

AA Portuguesa  – 0x0 (VB); 1×0 (Ulrico Mursa)

EC XV de Novembro (Piracicaba) – 0x0 (Roberto Gomes Pedrosa); 2×0 (VB)

CA Juventus – 5×2 (VB); 3×1 (Rua Javari)

América FC – 0x1 (Mario Alves Mendonça); 7×0 (VB)

Observações:

* Depois do Ipiranga, foi a vez do Comercial e do Nacional serem rebaixados definitivamente à divisão de acesso;

* Novamente, o melhor ataque do Campeonato foi do SFC (100 gols em 34 partidas), assim como o artilheiro  foi Pelé (33 gols);

* A cidade de Presidente Prudente (oeste do estado de São Paulo), passa a ter um representante na competição: o EC Corintians de Presidente Prudente, o popular “Corintinha”. No entanto, permaneceu apenas um ano da divisão principal, sendo rebaixado em seguida…

* Pela primeira, o Santos atua no recém inaugurado Morumbi, ainda incompleto.

* Uma inovação no Campeonato  foi a permissão de substituições durante a partida. Apenas uma, além do goleiro… mas, atletas contundidos  não precisavam mais ficarem se arrastando em campo e agravando suas contusões.

Principais fichas técnicas:

01/06/1960 Santos FC 3×2 AS Roma (ITA)

Local: Olímpico de Roma – Roma (ITA)

Competição: Amistoso (Troféu Il Giallo Rosso)

Renda: Cerca de Cr$ 12.000.000,00

Público: 85.000

Árbitro: Lo Bello

Gols: Dorval 72′ e 88′ e Pelé 85′ – Ghiggia 30′ e Orlando 43′

SFC: Laércio; Mauro e Zé Carlos; Calvet, Formiga (Urubatão) e Zito; Sormani (Dorval), Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe (Tite)

Técnico: Lula

ASR: Panetti; Zaglio (Giuliano), Griffith e Corsini; Losi e Guarnacco; Orlando, Pestrin, da Costa, Selmosson e Ghiggia (David).

09/06/1960 Santos FC 4×1 Racing C de France (FRA)

Local: Parc des Princes – Paris (FRA)

Competição: Torneio de Paris

Renda: Cerca de Cr$ 9.000.000,00

Árbitro: Guigue

Gols: Coutinho 22′ e 89′, Pelé 55′ e Pepe 66′ – Ujlaki 73′

SFC: Laércio; Mauro e Zé Carlos; Calvet (Getúlio), Formiga e Zito; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe (Tite)

Técnico: Lula

RCF: Thillandier; Lelong, Herbin e Marche; Tibari (Guillot) e JJ Marcel; Grillet, Tocna, Ujlaki, Senac e Heutte.

Paris conhecia Pepe, ou Pepê, le canon.

SFC campeão do torneio de Paris

30/11/1960 Santos FC 6×1 SC Corinthians P (São Paulo)

Local: Pacaembu – São Paulo (SP)

Competição: Campeonato Paulista

Renda: Cr$ 3.035.650,00

Público: calculado em 24.400

Árbitro: Olten Ayres de Abreu

Gols: Pepe (p) 18′, (p) 74′ e 81′, Sormani 25′, Pelé 51′ e Coutinho 62′ – Lopes 59′

SFC: Laércio; Dalmo, Mauro e Zé Carlos; Calvet e Zito; Sormani, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe

Técnico: Lula

SCCP: Cabeção; Egidio, Olavo e Ari; Roberto e Oreco; Bataglia, Luizinho, Almir (Lopes), Rafael e Joaquinzinho.

Técnico: Jim Lopes

O desespero dos dirigentes corintianos era tão grande que pediram a expulsão de Olten Ayres de Abreu do quadro de árbitros da FPF… não se conformavam com a superioridade santista… mas, o pior ainda estava por vir nos próximos anos…

16/12/1960 Santos FC 2×1 SE Palmeiras (São Paulo)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Campeonato Paulista

Renda: Cr$ 2.134.550,00

Público: calculado em 27.400

Árbitro: João Etzel Filho

Gols: Zito 2′ e Pelé 59′ – Chinezinho 33′

SFC: Laércio; Dalmo, Mauro e Zé Carlos; Calvet e Zito; Sormani (Dorval), Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe

Técnico: Lula

SEP: Valdir; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Jorge; Zequinha e Chinesinho; Julinho, Humberto (Nardo), Romeiro e Cruz.

Técnico: Osvaldo Brandão

“Vingança” santista… com a vitória o alvinegro garante o campeonato Paulista de 1960… o público pode ser um pouco menor que o calculado… Mas, a  Vila Belmiro estava totalmente lotada.

Observação: Agradecimentos ao Wesley Miranda (http://www.santistasloucos.net/), que forneceu imagem da montagem da camisa em azul e vermelho do SFC.