Arquivo da tag: Mongaguá

Andanças Políticas (04/10/2012)

Amigos,

A campanha eleitoral chega à sua reta final… e num clima de total indefinição!

Particularmente, e os amigos que acompanham o blog sabem disso, desde o início do ano tinha essa convicção: que as eleições de 2012 seriam imprevisíveis!

(confirme aqui: http://prof-guilherme.capesp.org/?p=3161 e aqui: http://prof-guilherme.capesp.org/?p=3341 as análises realizadas)

Pois bem, hoje 04 de outubro, ainda não temos um favorito destacado… tudo pode acontecer.

Mas, vamos tentar colocar na tela o que percebo para os próximos dias…

Em ordem alfabética:

Artur (PSDB) –  Teve sua candidatura contestada nos tribunais, foi enquadrado no ficha limpa e entrou com recurso. Conseguiu um despacho favorável (mas não definitivo) pelo MP, o que na visão de seus correligionários significa uma vitória no TSE. Na realidade ainda falta o parecer defitivo do Ministro, porém sua candidatura segue e tudo indica que realmente não haverá troca de nomes na urna. Porém, o desgaste em sua campanha foi evidente. A campanha tucana escorregou bastante e, de levemente favorita, hoje corre para obter o voto “útil” para derrotar o candidato situacionista (Paulo – DEM). A chapa de vereadores sentiu muito o desgaste e fala-se que o PSDB fará apenas 2 vereadores… e que o filho do candidato a Prefeito estaria com sérias dificuldades em emplacar seu nome entre os eleitos… mas, pesquisa, sondagem ou enquetes sobre vereadores é algo extremamente difícil de se aproximar da realidade, então qualquer prognóstico quanto a nomes, é muita especulação. Mas, há um entendimento geral que o PSDB deverá fazer apenas 2 vereadores eleitos em 7 de outubro. A coligação PDT e PC do B poderá fazer mais 2 vereadores e a coligação encabeçada pelo PV terá grandes dificuldades em eleger um único vereador.

Paulo (DEM) – Quando todos falavam que estava préviamente derrotado, eu e outros companheiros de partido afirmávamos que não…  e estávamos corrretos! Com uma rejeição recorde, na ordem de 70%, Paulinho foi aos poucos revertendo sua impopularidade… Obras como a conclusão da Plataforma de Pesca, a conclusão do Ginásio de Esportes da Vila Atlântica e o asfaltamento de inúmeras vias na periferia de Mongaguá (às custas de um endividamento de 12 milhões de reais), alavancou a candidatura do Prefeito à reeleição… chegando na véspera das eleições em condições de estreito favoritismo. Suas ações na justiça eleitoral com as tentativas de impugnação da candidatura tucana provocou reações díspares na população… os eleitores simpáticos à candidatura tucana estão entre os que preferem ver o diabo na frente e não o  Prefeito… Sua coligação deve eleger 2 ou 3 vereadores… mas, assim  como na chapa do PSDB, o irmão do prefeito também estaria com dificuldades para manter-se na câmara de vereadores… A coligação encabeçada pelo PSB pode fazer ouros 2 vereadores e a coligação em torno do PPS esta com riscos de não atingir o quociente elitoral… caso atinja,fará apenas 1 cadeira.

Pedro (PTB) – O “azarão”…. Algumas vezes sua campanha foi a “anti-campanha”, dentro do estilo introspectivo e calmo do candidato. Criticado por muitos pela não participação no debate da TV Santa Cecília, mostrou que sua estratégia tinha sido coerente… o debate foi um festival dfe “pancadarias” entre os outros candidatos e com uma troca de acusações que frustou e irritou grande parte daqueles que acompanharam pela TV.  Assim, em silêncio, em constantes caminhadas, Dr Pedro (como é conhecido) foi consolidando a “3ª via”. Sua candidatura ganhou apoio entre os sindicalizados do serviço público municipal e estadual.  A evidente falta de recursos financeiros é, por mais paradoxal que seja, sua maior aliada… esta em condições de apresentar todas as mazelas que os grandes finaciadores de campanha podem produzir numa administração… um discurso de grande impacto no eleitorado, principalmente quando conversado na base do “olho no olho”. Uma de suas bandeiras é o fato de ser o único candidato totalmente “ficha limpa”. tem o apoio do PT, que permitiu temperaturas elevadíssimas nas redes sociais… onde alguns diziam que “ainda bem que o PT esta nas eleições, do contrário o debate não teria graça”. Sua coligação deve fazer 3 cadeiras na câmara, podendo chegar a 4.

Andanças Políticas (23/09)

Foto: Mariza Munhoz

Amigos,

Ontem tive a oportunidade de participar de uma bela carreata!

Uma quantidade enorme de veículos (automóveis, vans, traillers, caminhões, carretas, carros, bicicletas e motocicletas) fizeram um alegre cortejo pelas avenidas de Mongaguá.

Partindo da divisa com Itanhaém, chegando a Vila São Paulo, retornando pelo Centro e culminando na Vila Operária.

Um trajeto que levou horas para ser percorrido… Mais de quatro horas de buzinaço, bandeiras agitadas, animação… com a receptividade da população, aplaudindo e sorrindo ao ver a imensidão de veículos…

A carreata tinha um grande diferencial… não houve combustível liberado… quem compareceu, o fez por acreditar na vitória da coligação PTB/PT… eram militantes, e não “milipagos”.

E isso assustou os adversários…

Continue lendo

Andanças Políticas (04/09/2012)

Amigos, a grande novidade da campanha em Mongaguá, foi a divulgação pelo TSE do deferimento do recurso contra o candidato Artur (PSDB), tornando-o momentaneamente inelegível.

Ainda cabe recurso pelo candidato, num prazo de 3 dias, mas sem dúvida a situação do PSDB em Mongaguá fica muito delicada.

Ainda que consiga reverter no Judiciário a decisão (que na 2ª instância foi pela inegilibilidade), sem dúvida sua imagem ficará arranhada. Parte de seus correligionários (candidatos do PRP – partido coligado)  já divulgam como substituto o vice, Márcio Cabeça.

Tudo isso, numa campanha equilibrada como a atual, deverá servir para embolar ainda mais a disputa pela cadeira no prédio da Avenida Getúlio Vargas.

Por outro lado, o candidato a reeleição, Paulo Wiazowski comemorou o resultado (ainda não definitivo) como se a eleição estivesse decidida… o que considero um engano.  Primeiro, óbviamente, que ainda não esta definido (é provável o indeferimento, mas ainda cabe recurso), segundo que caso ocorra a inegibilidade, o PSDB manterá um concorrente… não tão forte, porém com mais juventude e com um discurso que pode cair no gosto popular, e finalmente que é possível que uma parte considerável dos eleitores do PSDB possam apoiar a candidatura do PTB/PT, Dr Pedro (que conta com a menor rejeição entre os 3 candidatos) em represália ao atual prefeito.

Até o feriado as coisas estarão quentes em  Mongaguá, numa eleição nunca antes vivenciada na cidade.

Para saber mais: http://www.atribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=164137&idDepartamento=5&idCategoria=0

Prefeitura de Mongaguá

Largada parelha

Amigos do Blog, foi dada a largada para a corrida ao prédio da Avenida Getúlio Vargas.

E como já havíamos comentado, não há um favorito destacado…

Pesquisa realizada pelo jornal “A Tribuna” (em 17/07), indicam empate triplo no 1º lugar, com uma diferença de apenas 3,2 p.p entre o 1º e o 3º colocado.

Na pesquisa espontânea, a diferença fica um pouco maior: 7,5 p.p

Vamos conhecer alguns números:

Na pesquisa espontânea, é Paulinho quem fica na frente entre os 3 candidatos, porém o “não sei” é disparado o mais respondido :

Paulinho (DEM) é candidato a re-eleição

Não sei  – 63, 5%

Paulinho – 13, 2%

Artur – 11, 8 %

Pedro  –  5,6 %

Na estimulada, os números mudam:

Artur – 25, 9%

Paulinho  –  23,5 %

Pedro –  22,7 %

Não sei  – 20,3 %

Nenhum/nulo/branco – 7,6 %

No quesito rejeição, o equilíbrio se desfaz, pois Artur e Paulinho são bem mais rejeitados do que Dr Pedro:

Dr Pedro (PTB) tenta pela segunda vez ser eleito prefeito de Mongaguá

Artur – 26%

Paulinho – 22,2%

Dr Pedro – 10,3 %

Quanto a certeza do voto,  o eleitor de Paulinho é o mais convicto:

Paulinho – 58, 8% de seus eleitores não pretendem mudar de voto

Artur – 51,7 %

Dr Pedro – 44 %

Ou seja, mais da metade dos atuais eleitores do Dr Pedro admitem a possibilidade mudar de voto até o dia da eleição, é o voto mais volátil entre os 3 candiatos.

Outros dados bem interessantes são que Paulinho e Dr Pedro são os preferidos entre os eleitores mais jovens (de 16 a 24 anos); Artur lidera na ampla faixa dos 25 aos 59 anos, e a liderança volta para Paulinho entre o pessoal sexagenário.

Artur (PSDB) tenta voltar à Prefeitura

Na pesquisa podemos verificar que Artur é o candidato dos ricos (46% entre aqueles que recebem de 4 a 8 mil reais) e Dr Pedro é o preferido na faixa de renda familiar entre 1 e 2 mil reais.

Veja a matéria na íntegra, aqui: http://www.atribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=158254&idDepartamento=5&idCategoria=0

A pesquisa por completo , você procurar aqui: http://ipat.atribuna.com.br/downloads.asp?pagina=1&titulo=&idCategoria=&anoBuscar=&mesBuscar=

Eles estão de volta

Amigos,

Mais uma volta completa deste pequeno ponto azul ao redor de uma estrela amarela de meia idade.

Chegamos ao ano 2012.

São cerca de 2020 voltas ao redor do Sol, após o início da contagem de tempo a partir de evento arbitrariamente determinado como “ano zero”.

Aqui ,na pequena Mongaguá, a população deverá ser multiplicada por 7, 8 ou mais, nestes dois dias.

E com o aumento da população, o aumento dos problemas… Sinal de celular, filas em todos os lugares (supermercado, restaurantes, vagas de estacionamento  e até mesmo lugar na praia ou nas passarelas).

Mas, eles não desistem…

Ano sim, outro também eles retornam … eles, os turistas.

Turistas que trazem soluções e problemas.

O turista é a alma de Mongaguá… ainda não seja  é o turista que muitos sonham, aquele que gera muita renda  e pouco custo.

Ainda há o turista de “um dia”, o turista de casa de veraneio… aquele turista que aluga uma casa de 3 quartos e ocupa com 15 a 20 pessoas, que superlota uma kitnet com 8 pessoas e por aí vai…. É o turista que gasta o mínimo na cidade… porém deixa inúmeros vestígios de sua passagem… nossos ouvidos e praias que digam…

Claro, nem todos são assim… há turistas de um dia ou de casa de veraneio que usam de maneira conscienciosa o espaço coletivo… que respeitam os ouvidos alheios e que sempre é um prazer recebê-los.

Tempos onde os acidentes são mais frequentes, e que visitas indesejáveis ao PS ou Hospital podem ser necessárias… Hoje, em Mongaguá temos o atendimento do SAMU, um grande avanço sem dúvida, patrocinado  pelo Governo Federal.

Para usar a UPA (outra ação do Governo Federal), o turista deverá esperar um pouco mais, pois as obras ainda não começaram… Portanto, quem precisar usar o sistema de saúde, reze bastante… eles estarão lotados e o atendimento e estrutura será o mesmo do ano passado, o que não é exatamente uma boa notícia…

Nas estradas, uma pequena novidade: a 3ª pista na  faixa de rolamento, uma 3ª pista alternativa, pois trata-se do acostamento liberado para o trânsito (com baias de estacionamento e SOS) na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega (entre a Imigrantes e a “curva do S”).

Chegando em “Monga”, finalmente o turista poderá usar a Plataforma de Pesca. Depois de anos interditada, ela esta reformada, bonita e pronta para receber milhares de visitantes.

Plataforma de Pesca de Mongaguá que já foi cenário de propaganda da GM e, mais recentemente do Guaraná Antártica (com a presença de Neymar).

O asfalto da cidade melhorou, mas o motorista deverá encontrar com velhos conhecidos, os buracos crônicos … e aumentou a quantidade de radares (é o custo da ausência de semáforos).

Nas praias, a mesma confusão… muitos gostam, alguns não (quem não gosta ou saiu da cidade ou ficará em “retiro” em sua própria residência.

Cuidado com os custos… nos quiosques são vendidas apenas latas,  o comércio de refrigerantes e cervejas em vidro foi proibido… e um “latão” de  cerveja pode chegar a R$ 7,00…. uma porção de batata frita, fica em “módicos” R$ 15,00 …  20 mini-coxinhas saem por “apenas” R$ 20,00… e em alguns deles, pagamento apenas em dinheiro.

Nas pousadas, ainda é possível arrumar hospedagens de última hora… mas, neste caso prepare o cartão de crédito, pois os valores serão bem salgados.

Nas colônias de férias, reze por improváveis desistências… quem sabe, nas menores e naquelas que recebem não associados…

Os mais jovens encaram uma virada de ano sem hospedagem… afinal, praia, quiosque, areia e um amor de litoral muitas vezes é mais que suficiente para alegria daqueles que estão com 18, 19  ou 20 anos…

E quando chegar meia-noite, haverá celebração…

Sete pulos em sete ondas…

Vestir branco (ou amarelo, ou vermelho, ou rosa, ou sei lá que cor…)

Brindar…

Abraçar os amigos (as), parentes ou a pessoa amada..

Beijar os amigos (as), parentes e a pessoa amada…

Lembrar daqueles que se foram e que não mais comemoram conosco…

Tomar um grande fôlego para 2012.

Para quem fica na cidade, momento de descanso.

Para quem pega a estrada… paciência, paciência  e paciência.

Final de 2012 terá mais!

Feliz Ano Novo aos leitores do blog!

Poeira do Vulcão chileno chega ao Litoral Sul?

Amigos,

Ontem as cidades do Litoral Sul, incluída Mongaguá, amanheceram cobertas por uma fina camada de poeira.

A principal suspeita é que sejam cinzas do vulcão chileno atingindo o Sul do Brasil.

É necessária a confirmação, porém que a poeira é muito diferente da que estamos acostumados por aqui, não tenho dúvidas. Meu carro é testemunha disto…

A tal poeira, chegou também ao Vale do Ribeira, Peruíbe, Itanhaém e Praia Grande, sendo destaque na imprensa da região:

http://www.atribuna.com.br/noticias.asp?idnoticia=98889&idDepartamento=5&idCategoria=8

Imagem: http://actividadesonline.blogspot.com

O PSDEMB

Amigos,

FHC e Alckmim defendem a fusão entre o PSDB e o que resta do DEM… seria o PSDEMB. A Suposta agremiação ainda poderia contar com os ex-comunistas do PPS (e como diria uma tio meu, nada pior que comunista arrependido).

Fico imaginando como ficariam as coisas na cidade onde moro, Mongaguá…

Mongaguá é administrada pelo DEM e a oposição na Câmara é comandada pelo PSDB.

Nas eleições passadas foi o inverso, isto é, a “oposição” era o DEM e a situação era o PSDB… esquerda em Mongaguá, apenas os eleitores canhotos.

Será que seria tão absurdo assim a fusão nessa  calma estância balneária?

Creio que não…

Históricamente, Mongaguá é o celeiro do conservadorismo da região.

Apenas na 2ª eleição, no distante ano de 1963 pode-se afirmar que houve uma polarização “esquerda x direita”… nas demais, a disputa se reduziu a “direita x direita”

Em 1963, a esquerda representada pelo PSB perdeu a eleição por meros 18 votos, veja o resultado final:

João  de Barros Teixeira (PTB) – 439 votos

Joaquim Monteiro (PSB) – 423 votos

Jacob Koukdjian  – 200 votos

Obs: Não foi possível identificar o partido político de Jacob Koukdjian (avó do atual vereador Jaco Neto)

Nas eleições seguintes, tivemos resultados curiosos e surpreendentes:

Em 1968, a ARENA (Partido de sustentação da Ditadura Militar) deu um baile :

Atilio Fumo (ARENA) 692 votos; José Dantas (ARENA) 550; Milton Melo (MDB) 200 (Milton Melo tinha sido candidato a Vice-Prefeito na Chapa de Joaquim Monteiro,  em 1963). Na Cãmara foram eleitos 8 vereadores da ARENA e apenas um do MDB.

Em 1972, depois da tentativa de guerrilha no Vale do Ribeira, da fusão da VAR-Palmares em Mongaguá, da prisão de mongaguaenses pela Operação Bandeirantes (Oban), tivemos uma única candidatura… pela ARENA, é claro… o “eleito? Cassimiro com 1.593 votos. Entre os Verteadores eleitos, dois nomes conhecidos até hoje: Lazinho (261 votos) e Jaco Koukdjian Filho (235 votos)… ambos pela ARENA.

Chegamos em 1976, o MDB já havia dado uma surra eleitoral em 74, e ganhava nas principais cidades do País… mas não em Mongaguá. Com a possibilidade de sub-legendas, a ARENA vence com enorme folga as eleições naquele ano. O eleito foi Jaco Koukdjian Filho, com 1.635 votos. Lazinho (também pela ARENA), ficou em 2º lugar (1.515 votos). A oposição, o MDB, lançou Ivone Monteiro (esposa de Joaquim Monteiro) e teve 465 votos.

As eleições de 1978 são adiadas para 1982. Uma eleição sem AI-5, com pluralidade partidária e sob o comando de Paulo Maluf (PDS) no Governo do Estado de São Paulo. São tempos de abertura política, onde se respira e transpira-se democracia…  O PMDB dá uma surra eleitoral no PDS em todo Estado… menos em Mongaguá, onde o PDS disputa com o PDS (as tais sub-legendas) e a diferença de votos para o PMDB é astronômica. Cassimiro é eleito novamente, agora pela Neo-ARENA, o PDS. Cassimiro teve 3.140 votos, contra 3.049 votos de Lazinho (também pelo PDS). O candidato mais votado do PMDB foi Cláudio Kirsten com  340 votos. Na Câmara de Vereadores o quadro se repetiu: todos os vereadores eleitos foram do PDS, entre eles Artur Parada Prócida e Redó.

Chega 1988, o multipartidarismo se estabelece. O PT é organizado na cidade, entre os fundadores membros da família Koukdjian.

O PT propõe coligação com Jaco Koukdjian (PFL), mas a Executiva do Partido é destituída pela Regional do PT, desautorizando uma coligação com o PTB, PFL, PSD e PDC. É nesta coligação que Jaco Koukdjian retorna a Prefeitura (5.637 votos) com Artur Parada P?ocida como vice. Lazinho (coligação PMDB, PDS e PL) atinge 2.538 votos. Entre os vereadores o multipartidarismo se estabelece, com a distribuição de cadeiras entre o PTB (3), PFL (2), PMDB (2), PDS (1) e PDT (1). Entre os vereadores Zé Pedro (PTB), Redó (PFL), José Fernando (PMDB), Cabeça (PDS).

Eleições diretas em 1989 e a eleição de Collor, que óbviamente vence em Mongaguá. A campanha de Lula em Mongaguá é “sui-generis”…. fiz boca-de-urna sozinho no Aracy (e um mar collorido em volta)… numa determinda ocasião, para que fosse possível a visita de lideranças católicas em Mongaguá, os automóveis vindos de Itanhaém ficaram escondidos em minha residência, e assim foram buscar votos para Lula no Vera Cruz sem que a cúpula da Igreja de Mongaguá soubesse… em outra oportunidade fui com a Dona Ivone (candidata do MDB em 76) e o Professor Paulo conversar com um grupo de mulheres que estavam se organizando politicamente, fomos fazer campanha do Lula… quando chegamos, encontramos automóveis com adesivos de Collor até na calota…

Mesmo assim , a votação de Lula foi surpreendente, fato que permitiu a reorganização partidária do PT em 1990, ano que me filiei ao partido.

Ao chegar o ano de 1992, as lideranças conservadoras se unem a Artur e Redó, numa coligação de mais de uma dezena de partidos. O resultado é praticamente igual a o de 1972, com uma candidatura praticamente única, Artur (PSD) vence as eleições com 9.482 votos, contra 869  de Arnaldo Taverna (PT). A candidatura petista prometia IPTU gratis para os moradores (sic)… O Estado de São Paulo já era governado pelo PMDB, e o PSD era base de apoio ao Governo Fleury na Assembléia Legislativa. Todos os vereadores eleitos eram de partidos aliados de Artur.

Em 1993, os professores da rede pública fazem o que seria a maior greve em sua história. Em Mongaguá, o movimento grevista atingiu 100% de paralisação durante quase um mês! A mobilização era intensa, com  atos públicos, assembléias e culminou com uma incrível passeata, reunindo cerca de 100 trabalhadores da educação. Este blogueiro estava entre os organizadores daquele movimento…

Ao chegar nas eleições de 1996, a polarização entre os conservadores se repetiu: Jaco Koukdjian (PFL) é novamente reconduzido ao Paço Municipal com 6. 692, contra os 5.040 de Zé Pedro (PTB). A candidatura petista de chapa pura, com Frank, chegou a 201 votos. Zé Pedro teve o apoio de Artur, que nesta ocasião já pertencia ao PSDB (partido que se filiou após a vitória de Mario Covas – ou durante a campanha –  ao Governo do Estado). Na Câmara de vereadores, a base de apoio de Jaco era muito ampla (PSB -3/ PFL -2/ PMDB -3 e PL -1) a “oposição”, PSDB,  2 cadeiras

No ano de 2000, novamente a polaridade entre Artur (PSDB) e Jaco (PFL) em torno dos quais os partidos políticos se coligaram. O PT sai, novamente, em chapa pura. O resultado foi a vitória de Artur, com 13.009 votos, retornando ao cargo de Prefeito. Jaco  teve 4.676 votos e a candidatura petista (Guilherme Nascimento) alcançou 791 votos. Entre os vereadores, a base de apoio ao Executivo contava com: PRP (2); PST (1); PSDB (3); PSL (1); PSB (1) e PL (1). A “oposição” ficou com: PFL (3), PMDB (2) e PP(1).

Em relação as eleições de 2004 e 2008, sugiro que os leitores vejam os dados no site da Justiça Eleitoral.

Portanto meus amigos, a criação do “PSDEMB”não traria nenhum trauma profundo aos profissionais da política em Mongaguá.  O “PSDEMB” e o PSD de Kassab são retratos fiéis do pensamento dominante por essas praias…

Mas, um dia a modernidade chegará… e eu estarei na Praça, para comemorar.

Fontes de Pesquisa: Reminiscências de Mongaguá (Joaquim e Ivone Monteiro)

Hemeroteca de “A Tribuna”

http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/eleicoes_anteriores.htm

Foto: www.guiadapesca.com.br