Arquivo da tag: PT

Soninha, lembram-se dela?

Amigos,

Lembram-se de Soninha Francine, ex VJ da MTV, ex-vereadora pelo PT, ex Candidata a Prefeita pelo PPS, ex coordenadora virtual da Campanha Serra?

Aquela que disse durante a camapanha eleitoral do ano passado que os problemas no Metrô de São Paulo eram causados pelo PT?

Pois é, agora Soninha é superintendente da SUTACO!!!!!

Ganhou um cargo no Governo do Estado de São Paulo, na cota do PPS, pelas mãos do deputado  David Zaia…

Quer saber o que é SUTACO?

clique aqui: http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/soninha-na-sutaco-nao-e-aparelhamento.html#more-9551

Pensando a política de Mongaguá

foto: blog caiçara

Amigos,

Estamos a 18 meses da eleição municipal.

A atual administração apresenta enormes dificuldades para “emplacar” uma marca…

Os aspectos negativos superam os positivos… buracos nas principais vias de acesso da cidade (alguns chamados de buracos crônicos); um sistema de saúde com inúmeros problemas, que não inspira confiança na população; uma municipalização que ainda apresenta situações inusitadas, como falta de carteiras ou classes superlotadas no início do ano letivo; um concurso público para Professores, logo após a atribuição de aulas (o que sem dúvida, provocará alterações no quadro de professores das escolas durante o ano letivo – o que pedagógicamente, não é a melhor solução); a escandalosa zona azul, onde a Prefeitura terceirizou o serviço, ficando com apenas 16% do arrecadado, o mesmo ocorrendo nas lombadas eletrônicas; a sujeira cumulada nas ruas; a eterna reforma da plataforma de pesca (símbolo maior de Mongaguá);os Conselhos Municipais com a estrutura excludente da sociedade civil; a ausência de diálogo; as promessas não realizadas…

Se tudo isso não fosse o suficiente, a Câmara de Vereadores ameaça uma CPI que resultaria na cassação do Prefeito… (o que poucos acreditam que acontecerá)

Os possíveis aspectos positivos são tão poucos… a retomada da construção do esqueleto do Ginásio de Esportes na Vila Atlântica (depois de 10 anos de abandono), a reforma do Hospital Municipal, a municipalização das escolas (defendidas por uns, repudiada por outros), a ligação da Avenida Marina com a passagem de nível da Pedreira, algumas poucas ações no trânsito, uma UPA que ainda esta só na placa…

Diante disso tudo, fica um tanto evidente que a oposição deve encontrar campo fértil para 2012.

No entanto, hoje, o principal nome da “oposição” é do PSDB (o ex-prefeito Artur), ou numa eventual desistência, do atual vereador Márcio Cabeça (também do PSDB).

Antes de continuar, alguns esclarecimentos: Artur é um político experiente, rodado… foi eleito vereador em 1982, pelo PDS (de Paulo Maluf), passou para o PDC, foi eleito Vice-Prefeito (1988) em dobrada com Jacob Koukdjian (PFL), Prefeito em 1992 com apoio de Jacob, rompeu com seu aliado e retornou em 2000 (já aninhado no PSDB), foi reeleito em 2004 por pequena margem de vantagem sobre Paulo Wiazowski (PFL).

Márcio Cabeça (filho do ex-vereador Cabeça), foi eleito em 2004 pelo PFL, logo após assumir o cargo, passou a apoiar Artur. Em 2008 é releito pelo PSDB.

O prefeito atual, Paulo (Paulinho) Wiazowski (DEM), é candidato natural à reeleição.

Para quem não conhece Mongaguá, é bom saber que Paulinho elegeu-se em oposição a Artur (PSDB) e seu candidato (Dr Pedro).

O que tivemos foi uma troca de mandatários no espectro político da “direita”. E que tende a se repetir, infelizmente…

E a esquerda? E o PT, PC do B, PSB…? Onde estão esses partidos? PSol, PSTU…?

O PSB, PDT são da base de apoio a atual administração, inclusive ocupando cargos (o Vice-Prefeito, José Fernando, é do PDT; enquanto que o PSB comanda a autarquia PRODESMO – Progresso e Desenvolvimento de Mongaguá)

PSTU, PC do B são inexistentes ou quase isso…talvez o PC do B tenha uma Comissão provisória, porém sequer veio a público durante a a Campanha Presidencial no ano passado.

O PSol de Mongaguá chegou a lançar um candidato a Deputado Estadual, porém sem recursos e com pouca estrutura teve uma votação diminuta… talvez monte chapa para lançar candidaturas a vereador. Pela posição atual do PSol, dificilmente formará alguma aliança eleitoral… o que inviabilizará uma candidatura mais forte.

Sobra o PT.

Com uma votação muito boa obtida por Dilma (a maior, entre as cidades do Litoral Sul), tem o paradoxo de (por enquanto) não apresentar nome forte para a sucessão municipal. Nomes para uma eventual chapa de vereadores estão aparecendo, o que dá um certo ânimo para os militantes e simpatizantes.

O Grande desafio da esquerda de Mongaguá é exatamente esse: Qual será o posicionamento na sucessão?

Apoiar a atual oposição?

Impossível!

Seria um erro absurdo de avaliação (que se repetiria, vide eleições 2008) uma aliança com o PSDB. Uma aliança com o PSDB é algo tão díspar que seria um trabalho hercúleo explicar ao eleitorado que no Brasil, no Estado de São Paulo, PT e PSDB são adversários, mas que em Mongaguá seriam aliados.

O tempo de uma aliança entre PT e PSDB, no Estado de São Paulo, acabou a mais de 10 anos!

E um apoio crítico à atual administração?

Também acho de uma enorme temeridade… Uma administração que não soube aproveitar a enorme expectativa da população em criar um novo paradigma em política na cidade, repetindo os mesmos erros e vícios das administrações anteriores, não poderia receber o aval da esquerda mongaguaense.

O que se pode esperar, então?

Uma 3ª candidatura?

Esse deve ser o caminho daqueles que desejam uma Mongaguá longe das práticas arcaicas e coronelistas, do respeito pela causa pública, da valorização dos movimentos sociais, do diálogo, abandonando a ultrapassada política conservadora e demagógica que somos testemunhas a mais de 20 anos.

Daqui deste blog, faço um apelo à classe política de Mongaguá: que se construa uma alternativa real de poder na cidade!

Que os partidos que formam a base do Governo Dilma sejam capazes de formar uma aliança (heterogênea, é verdade) para enfrentar a mesmice do PSDB ou do DEM.

Que o PMDB, PSB, PDT, façam uma auto-crítica e percebam a oportunidade histórica que possuem.

Que rompam com esse modelo e ajudem a formar um nova alternativa em Mongaguá!

Que o PT tenha humildade o suficiente para não impor um nome ou programa de Governo, que tenha a sabedoria para construir uma política de aliança consequente e transformadora e que supere suas divergências internas.

Que outros partidos como o PC do B, o PR possam discutir em suas bases ou diretórios e que venham compor uma grande frente pela modernidade.

É esse o caminho que acredito como viável para promover as transformações necessárias para Mongaguá.

É essa a forma séria de fazer política em Mongaguá,

É o que sonho para minha cidade!

A política em São Paulo

Amigos, 

No blog do Nassif algumas análises da política e dos políticos paulistas… do PT, PSDB passando pelo DEM.

O texto é de Sergio Saraiva, além de comentários de Moacir Telles Maracaci e Dulce Maria Pereira.

O debate esta posto… os 20 anos de tucanato em São Paulo geram (ao menos) algumas reflexões…

Conheça as opiniões destes articulistas aqui: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-politica-paulista-transicao-ou-crise#more

Verdade x Mentira

Amigos,

Na véspera da eleição presidencial, vale a pena a leitura do texto publicado no “Blog das cinzas”.

Numa campanha marcada por inúmeras mentiras, Igor Augusto desmonta com fatos e vídeos, o elenco de falsidades que a oposição  tentou fazer valer como verdade nos últimos meses.

Didático, o artigo pode ser encaminhado para aqueles 4% de indecisos, ou mesmo para eleitores de Serra desavisados.

Link: http://koborasan.blogspot.com/2010/10/verdade-vs-mentira.html

Reta final – atividades

Amigos,

Na reta final as atividades de campanha aceleram, assim como o ritmo cardíaco.

Em Mongaguá, depois de uma semana de intensa mobilização (entenda-se intensa, dentro dos parâmetros de uma pequena cidade litorânea), com reuniões, e panfletagens nas feiras-livres (de ótima recepção), neste sábado, após a última panfletagem (na feira-livre do centro da cidade), haverá uma carreata (acompanhada por motos e bicicletas) por Mongaguá em direção a Itanhaém (cidade vizinha).

São aguardados os militantes do PT, PMDB,  PSB, PRP, PRB e da população em geral. Militantes do PT de Itanhaém virão para Mongaguá engrossar a carreata, assim como os pessoal de Mongaguá permanecerá na carreata em Itanhaém.

Bandeiraço, foguetório e buzinaço pelas ruas do Litoral Sul.

Só não haverá bolinha de papel…

No 1º turno, Serra venceu em Mongaguá por apenas 100 votos. Acredita-se que a possibilidade de virar o jogo é muito grande.

Mongaguá e Itanhaém estão fazendo a parte que lhes compete. Juntos para buscar a vitória de Dilma!

Metrô de SP. “Culpa é do PT!” (Soninha)

fonte: http://noticias.terra.com.br

Amigos,

A ex-petista e atual auxiliar do DEMO (Kassab), Soninha Francine, postou em seu micro-blog que a causa do “apagão” do Metrô de São Paulo foi sabotagem com fins eleitorais. E que o PT sabota as ações do PSDB.

Soninha afirmou tal absurdo, baseado em suas convicções políticas…

Ela quer dizer exatamente o quê?

Que um militante do PT entrou num trem lotado e faz parar o trem? É isso?

Que viagem

Bom, se é assim São Paulo já descobriu as causas de todos os seus problemas…

Acidente na Marginal, trânsito travado? Simples, foi um motoboy petista que se jogou no asfalto causando a paralisação do fluxo de veículos…

Estação da Sé superlotada? Coisa do PT… eles combinaram de irem todos ao mesmo tempo pra lá…

Os pedágios são caros? Não… são baratos. Sâo os petistas que invadem as praças de pedágio e cobram a mais…

Espero que o alagamento das marginais, hoje a tarde em São Paulo, também não seja uma ação de sabotagem dos militantes vermelhos.

Ah, Soninha… que viagem….

Por que não há notícias do Rio Grande do Sul?

Amigos,

Por quê os jornalões, a Globo e a Veja não divulgam o que está acontecendo no Rio Grande do Sul?

Lá temos um caso concreto de “arapongagem” feito pelo PSDB gaúcho.  Lembrando que o Rio Grande do Sul é governado por Yeda Crusius (PSDB).

Leiam o que foi publicado no blog “Os amigos do Presidente”:

“O promotor de Justiça Criminal Amilcar Macedo, do Ministério Público na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul, informou que, além do sargento César Rodrigues de Carvalho, preso na manhã de sexta-feira, outras quatro pessoas também são investigadas pelo acesso irregular a dados sigilosos de políticos do PT, sendo que duas são integrantes da Brigada Militar (BM) e duas são civis ligados ao governo Yeda Crusius(PSDB) do Rio Grande do Sul. Suas identidades serão reveladas nesta segunda-feira.
O promotor garantiu ainda que os nomes já checados daqueles que tiveram seus dados sigilosos acessados pelo sargento também serão divulgados. O sargento, integrante da BM, estava lotado na Casa Militar do Palácio Piratini (sede do governo gaúcho) e foi preso na manhã de sexta-feira (3) em sua residência em Porto Alegre. Ele, que havia sido promovido poucos dias antes, começou a ser investigado há três meses, após denúncia de que extorquia contraventores na região Metropolitana da Capital.
Mas as investigações acabaram levantando que Carvalho acessava dados sigilosos de políticos gaúchos e do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) por meio do sistema Consultas Integradas, da Secretaria de Segurança Pública (SSP).
“Fizemos uma primeira varredura nos nomes mais conhecidos entre os acessados e nesta segunda vamos liberá-los. Pode eventualmente ter mais alguém. Ele fazia muitas consultas via registro Geral (RG). Mas posso adiantar que são muitos nomes”, informou na noite deste domingo o promotor. Entre aqueles que tiveram seus dados consultados estão um ex-ministro e um senador.
Eles seriam o candidato do PT ao governo, Tarso Genro, e o senador Paulo Paim, candidato à reeleição. No sábado, Macedo postou em seu twitter: “Ainda não obtive autorização formal dos envolvidos para divulgar os nomes dos políticos bisbilhotados na operação agregação. Mas o partido político, diretórios e veiculos, assim como integrantes que foram acessados, foi o Partido dos Trabalhadores”.
Além dos espionados, também serão divulgados outros dados referentes aos acessos. Macedo e sua equipe passaram o final de semana trabalhando na checagem de dados da investigação, apelidada de Operação Agregação. O promotor considera que os acessos aos dados de políticos, feitos por meio de senhas do sistema, não se justificam porque a Casa Militar atua na segurança pessoal da governadora e na Defesa Civil.
A equipe está investigando os acessos feitos desde janeiro de 2009. Conforme o promotor, o trabalho é “hercúleo” porque a cada cinco ou seis dias eram feitas aproximadamente mil consultas. “São mais de 10 mil”, assegurou.
Ele adiantou ainda que nesta semana vai ouvir o sargento para que ele fale sobre os motivos dos acessos aos dados sigilosos. Uma das dificuldades encontradas no levantamento é o fato de que as auditorias compreendem períodos de 15 dias em 15 dias e, quando o número de acessos chega a mil, o sistema automaticamente interrompe as checagens. Isso significa que, se em um período de 15 dias foram feitas milhares de consultas, só as primeiras mil irão aparecer. “Vamos fazer uma solicitação no sentido de que seja recuperada a totalidade dos acessos feitos”, adiantou ele.
O secretário geral do PT gaúcho, Carlos Pestana, que coordena a campanha de Genro, informou que a executiva estadual e a bancada do partido na Assembleia Legislativa se reúnem nesta segunda-feira para decidir quais medidas vão tomar a respeito do caso. A executiva petista gaúcha avalia a possibilidade de solicitar uma reunião com a executiva nacional do partido para tratar do caso, e compará-lo aquele do vazamento de dados de contribuintes da Receita Federal, entre eles os de Veronica Sera, filha do candidato do PSDB à presidência da República, José Serra.
“O PSDB faz uma série de acusações ao PT e à campanha de Dilma Rousseff, e não apresenta provas. Enquanto isso, aqui no Rio Grande do Sul temos um sargento que trabalhava na Casa Militar, está preso, e uma investigação feita pelo Ministério Público. Não que já não estivéssemos acostumados porque isso já aconteceu nas eleições municipais de 2008, envolvendo integrantes do governo do Estado”, lembrou Pestana.
A Brigada Militar instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar o caso e na sexta-feira (3) uma equipe da corregedoria da BM procurou pelo promotor Macedo”.