Arquivo da tag: Recordes de renda e público

Nuvens pesadas cobriam o Brasil, mas o Santos continuava ganhando

Santistas de Todo Mundo, uni-vos!

A temporada futebolística de 1963 só acaba em 1964, com a fase final da Taça Brasil (Campeonato Brasileiro).

E logo em janeiro, Santos e Grêmio protagonizaram um duelo sensacional… primeiro no estádio Olímpico, onde 50.000 gauchos se comprimiam e viram uma das maiores exibições de futebol em Porto Alegre. O Santos vence por 3×1 e sai aplaudido… Pelé e Coutinho estavam numa noite magistral e proporcionaram uma tabela (de cabeça)  do meio de campo até a área gremista…

Na partida de volta, no Pacaembu, o Grêmio joga muito e abre 3×1, obrigando o alvinegro a jogar tudo que sabia… e jogou. Virou para 4×3… porém aos 86′ Gilmar é expulso e Pelé vai para o gol… sim, meus amigos o Rei Pelé maior artilheiro de todos os tempos também sabia fazer o papel inverso… e numa partida árdua como aquela contra o Grêmio, Pelé foi para o gol e ainda realizou algumas defesas… ele que já tinha marcado 3 gols naquela tarde!

O Rei em ação no gol .

Passado o Grêmio, o adversário na final seria novamente o EC Bahia.

E o Bahia desta vez não ofereceu resistência: 6×0 no Pacaembu, e 2×0 na Fonte Nova.

Santos, tri-campeão brasileiro (61, 62 e 63)… era a 10ª conquista em 11 competições oficiais!

Destaque para a bela  nova camisa usada pelo SFC, branca com finas listras pretas na vertical:

Com a conquista de mais brasileiro, segue o alvinegro para a sua tradicional excursão de início de ano, e uma enorme surpresa… derrotas contundentes para o Independiente e para o Peñarol (1×5 e 0x5, respectivamente)

Retorna ao Brasil , joga em Santa Catarina (3×1 no Metropol) e parte para o Peru:

3×2 Sport Boys (Peru)

3×2 Alianza (Peru)

2×3 Colo-Colo (Chile)

3×2 Godoy Cruz (Argentina)

4×2 Colo-Colo (Chile)

2×1 Tallares (Argentina)

Ao final da excursão trouxe o atacante Angel Ruben para testes em Vila Belmiro, mas o craque não ficou em Santos.

Em seguida, começou o Torneio Roberto Gomes Pedrosa, cuja decisão se daria apenas em 1965… Santos e Botafogo empataram na 1ª posição, chegaram a realizar uma partida da decisão-extra, mas por falta de datas não realizaram a última partida, e assim resolveram dividir o título… coisa estranhas começavam a acontecer no futebol brasileiro…

Em março de 1964, começava a campanha santista em mais um Rio/São Paulo:

SC Corinthians P – 3×0 (Pacaembu)

Fluminense FC – 1×0 (Maracanã) – partida da gratidão. Neste dia o time do SFC entrou com as camisas dos clubes cariocas em agradecimento ao apoio dos torcedores na decisão contra o Milan, em 1963.

CR Vasco da Gama  – 2×0 (Pacaembu) – partida realizada em 29 de março, antevéspera da quartelada de 1º de abril… a chamada “redentora”, que de redentora não teve nada.

Bangu AC – 2×1 (Pacaembu)

SE Palmeiras  – 2×1 (Pacaembu)

A Portuguesa D – 2×5 (Pacaembu)

São Paulo FC – 4×1 (Pacaembu)

Botafogo FR – 3×1 (Maracanã)

CR Flamengo – 2×3 (Maracanã) – realizada no dia 1º de maio (dia do trabalhador). Inaugurando uma prática comum nos anos da ditadura militar, não houve cobrança de ingressos, e 132.550 ingressos foram distribuídos (e usados) e os torcedores tomaram conta do Maracanã.

Como o título foi dividido, era a 11º conquista em 12 competições.

E o Santos parte para mais jogos na Argentina: 4×3 Boca Juniors; 2×1 Racing; e 1×2 Colon (no mesmo ano o Colon subiu para a divisão principal do Campeonato Argentino… a partir daí, seu estádio ficaria conhecido como “cemitério de elefantes, pois os grandes caiam naquele estádio).

Em junho um curioso amistoso em Ulrico Mursa, contra a simpática AA Portuguesa… curioso porque a arrecadação fazia parte da campanha “ouro para bem do Brasil”, promovido pelo regime militar… nunca se soube ao certo o destino do ouro da tal campanha…

Imediatamente após, um rápido giro pela Europa:

1×3 BV Borussia Dortmund (Alemanha Ocidental) – Torneio de Paris  – o destaque foi  a grande torcida do SFC, compostas por brasileiros exilados na França devido ao golpe de 1º de abril.

1×1 Stade Reims C (França) -Torneio de Paris

4×3 AS Saint-Etiene (França)

2×1 Borussia VfL Moenchengladbach (Alemanha Ocidental)

Volta ao Brasil, para disputar o Campeonato Paulista e a Libertadores de América.

Na Libertadores, novamente entra na fase de semi-finais, para enfrentar o forte Independiente (Campeão Argentino).

Normalmente, já seria uma partida difícil, quanto mais sem Mauro Ramos de Oliveira, Mengálvio, Coutinho e Pelé… e sem os craques o alvinegro tomou a virada no Maracanã (2×3) e não conseguiu superar o quadro argentino numa Avellaneda abarrotada de “hinchas”(1×2). O sonho do tri seria adiado por 47 anos…

No meio de tudo isso, Athiê promovia a ampliação sistemática de Vila Belmiro… desde os anos 50 era assim… até que em 1964, as arquibancadas (e os 3 lances) do retão ficam prontas elevando a capacidade da Vila para teóricas 30.000 pessoas.

Assim, no campeonato Paulista de 1964 grandes públicos tomam Vila, retornam os clásicos para a cidade de Santos , e o SFC recupera a hegemonia no futebol Paulista com mais um título:

América FC  – 1×2 (São José do Rio Preto); 3×1 (VB)

Comercial FC  – 2×1 (VB); 3×2 (Francisco Palma Travassos)

São Paulo FC – 5×1 (VB); 2×3 (Morumbi)

A Prudentina EA – 1×1 (PP); 8×1 (VB)

A Esportiva Guaratinguetá – 3×1 (VB); 0x2 (Guaratinguetá)

CA Juventus – 2×1 (Rua Javari); 5×2 (VB)

EC XV de Novembro (Piracicaba) – 1×0 (VB); 6×3 (Piracicaba)

Guarani FC – 6×1 (VB); 1×5 (Brinco de Ouro)

SE Palmeiras – 2×1 (Morumbi); 2×3 (VB)

A Ferroviária E – 2×1 (VB); 0x0 (Araraquara)

Botafogo FC – 0x2 (Luís Pereira); 11×0 (VB)

EC Noroeste – 4×2 (VB); 3×0 (Bauru)

EC São Bento – 1×1 (Sorocaba); 6×0 (VB)

A Portuguesa D – 3×4 (Pacaembu); 3×2 (VB)

SC Corinthians P – 1×1 (Pacaembu); 7×4 (Pacaembu)

Observações:

* O time do SFC continuava sendo a grande atração do Campeonato: quebrou o recorde de renda/público contra o América em São José do Rio Preto (22.225 pessoas); inaugurou o novo estádio do Comercial FC (14/10); bateu o recorde de público/renda em Campinas (25.258 pessoas); bateu o recorde de renda em Bauru (Cr$ 12.187.000,00) e Guaratinguetá (Cr$ 5.089.400,00) e teve o recorde de renda e público do Campeonato: SFC 7×4 Corinthians, no Pacaembu, com 56.476 torcedores, gerando uma arrecadação de Cr$ 36.437.800,00.

* No dia 19 de julho foram entregues as arquibancadas do lado oposto das sociais, o chamado “retão”: 19.889 santistas viram o Peixe massacrar o São Paulo por 5×1.

* No dia 23 de agosto, dia do soldado, o Santos vence o Palmeiras e recebe o Troféu “Caxias”, recebido das mãos do Comandante do II Exército… coisas do tempo da “revolução”…

* O Botafogo vence o SFC por 2×0 e coloca o Peixe na roda… a vingança viria no 2º turno: Uma sonora goleada por 11×0!!!!!!! Com direito a 8 gols de Pelé e um gol olímpico de Pepe. Ganhar do SFC era um grande risco…

* O alvinegro teve uma partida anulada. Foi contra o Corinthians, na Vila Belmiro. Na realidade a partida foi suspensa e tranferida para o Pacaembu. O Motivo da suspensão foi a queda do alambrado no gol de fundo da Vila Belmiro (muitos repetem erradamente que caiu a arquibancada… as arquibancadas da Vila nunca sequer racharam…). Naquela tarde de domingo houve a maior presença de público em todos os tempos no histórico estádio. Quase 33.000 pessoas se comprimiram  tanto que derrubaram os alambrados… houve confusão, core-corre, tumulto… vários torcedores entraram no campo para se proteger da avalanche humana que derrubava a grade aramada… fraturas, escoriações, desmaios… muitos feridos (mais de 100), mas nenhuma morte.

Imagem: botadegaucho.blogspot.com

* Pelé foi mais uma vez artilheiro do Campeonato Paulista e o SFC o melhor ataque.

Na reta final do Campeonato Paulista, o Santos começava sua campanha na Taça Brasil.

O primeiro adversário foi o C Atlético Mineiro… recorde de público e renda no Independência (Belo Horizonte) e 4×1 para o SFC. No Pacaembu, foi  5×1!

Eliminado o Galo mineiro, o próximo obstáculo seria o Palmeiras (campeão Paulista de 1963). Se no Campeonato Paulista o Palmeiras encrespou, no Campeonato Brasileiro, não teve chance: 3×2 e 4×0.

Último desafio seria o popular CR Flamengo. Primeira partida no pântano do Pacaembu… baile santista: 4×1!

Vale a pena ver as imagens para conhecer o estado do gramado (sic)

No Maracanã foi só tocar a bola e deixar o tempo correr… 0x0 e o tetra campeonato brasileiro estava garantido. Era a 13ª conquista em 16 competições oficiais.