Arquivo da tag: Rodolfo Rodriguez

De Pelé a Neymar

Amigos,

Chegamos ao fim do desafio:

Cem (100) curiosidades envolvendo o Santos, a CBF e a Copa de 2014.  Na realidade atingimos mais de 100, o que nos deixou bem contentes. E de certa forma ficamos mais ainda ao percebermos que alguns sites bebem nesta fonte (mesmo que não coloquem a referência).

Um trabalho que só foi possível com a ajuda de amigos como Walmir Gonçalves, Marcelo Fernandes e principalmente, Wesley Miranda, com suas dicas, imagens e incentivo. À todos o reconhecimento e o meu muito obrigado.

Sendo assim, vamos a mais um capítulo (e por favor, se quiserem usar, deem o crédito, ok?)

Os capítulos anteriores estão aqui:

http://prof-guilherme.capesp.org/archives/4515

http://prof-guilherme.capesp.org/archives/4542

http://prof-guilherme.capesp.org/archives/4587

Continue lendo

Santos x uruguaios – parte I

Amigos,

Aproveitando o clima de decisão da Taça Libertadores da América, segue texto com os confrontos históricos entre o SFC e times uruguaios. Uma 2ª parte será escrita, contando os confrontos épicos entre Santos e Peñarol.

Segue o primeiro texto:

Amigos, o futebol uruguaio esteve presente na vida do alvinegro desde os primeiros anos. Nosso primeiro confronto internacional foi exatamente contra um clube uruguaio, o Dublim FC em 1917.

Recebido com enorme festa pelos esportistas de Santos, a apresentação dos orientais foi um enorme sucesso. Tidos como os melhores futebolistas da América do Sul, os uruguaios enfrentaram o entusiasmo santista e venceram por 6×2, levando a Taça ofertada pelo Santos FC. A partida foi uma festa desde a entrada dos times… os atletas entraram lado a lado e os santistas cobriam com guarda-chuvas em preto e branco os craques uruguaios, uma maneira considerada muito cortês de receber os visitantes.

19/01/1917 Santos FC 2×6 Dublim FC (Uruguai)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Amistoso (Taça Comemorativa)

Árbitro: Arechevaleta

Gols: Ary Patuska (2) – Romano (3), Scarone, Gonzalez e Peasalfine

SFC: Odorico; Arantes e Artur; Pereira, Oscar e Ricardo; Marba, Millon, Ary, Haroldo e Arnaldo Silveira

DFC: Margariños; S. Couture e Benincasa; C. Ferreira, J. Bertula, M. Caballero; Carbone, Scarone, Romano, Gonzalez, Pensalfini.

Técnico: Juan Lagomarsino

O SFC chegou a fazer 2×0, porém o gás acabou, e o uruguaios venceram por 6×2.

Outro confronto histórico ocorreu em 1931. A equipe do CA Bella Vista, base da Seleção Uruguaia (Campeã Mundial de 1930), visitou a Vila Belmiro e enfrentou o Santos num confronto épico.

Uma Vila Belmiro superlotada, apesar da chuva, recebeu os campeões mundiais em festa. Era um desfile de craques nos dois lados do campo… Athiê e Ballestero; Feitiço e Castro; Alfredo e Andrade; Evangelista e Iriarte; Mario Seixas e Dorado. O Bella Vista contava com nada menos que 7 atletas campeões mundiais e mais um campeão olímpico! Um timaço, um esquadrão!

A partida seguia equilibrada, até que Camarão abre o marcador: 1×0 para o Santos. A partir daí, “El Manco” Castro abre seu repertório de dribles e jogadas, tornando o jogo espetacular… e o Bella Vista empata… fim de o 1º tempo, 1×1.

O SFC volta com Natinho no lugar de Vitor, e foi Natinho quem fez o gol da vitória, porém o que impressionou foi o que aconteceu no momento do gol, e reproduzo aqui a descrição contida no livro “Álbum do Ouro do SFC – De Vaney”:

“Quem esteve em Vila Belmiro naquela noite de 22 de abril de 1931 sabe muito bem que de repente a chuva parou. De repente, o céu se abriu. De repente luziram estrelas de onde pingava garoa. Não eram muitas estrelas, nem o céu ficou de todo limpo. Mas que a vestimenta do céu ficou de repente mais bonita, ficou. Quem estava em Vila Belmiro na noite de 22 de abril de 1931, sabe bem disso. E foi no instante que Natinho chutou que as estrelas puseram a cabeça prateada para fora das janelas de nuvens, a verem como o chute terminaria”.

Como descrever melhor um gol do Santos FC?

22/04/1931 Santos FC 2×1 CA Bella Vista (URU)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Amistoso

Árbitro: Vitorino Sylvestre

Renda: R 15:670$000

Gols: Camarão e Natinho – Dorado

SFC: Athiê; Pinheiro e Sílvio Hoffman; Oswaldo, Floriano e Alfredo; Vitor (Natinho), Camarão, Feitiço, Mario Seixas e Evangelista

Técnico: Platero

CABV: Ballesteros; Nasazzi e Mascheroni; Andrade, Romero e Riolfo; Dorado, Castro, Borja, Lago e Iriarte

A primeira visita do Santos FC ao estádio Centenário foi em 1958, num amistoso contra o C Nacional F (rival do CA Peñarol). Uma derrota por 3×1 foi o gosto amargo da viagem ao País vizinho.

Outro confronto histórico ocorreu em 1985, no Japão na disputa da Copa Kirin. Desta vez, o alvinegro enfrentou a própria Seleção Uruguai., e o resultado foi uma vitória clássica por 4×2. Imagens espetaculares desta partida estão disponíveis na rede de computadores (www.youtube.com/watch?v=FUgjv90X6V0) (www.youtube.com/watch?v=8Bu6I9n3MXE&feature=watch_response).

06/06/1985 Santos FC 4×2 URUGUAI

Local: Estadio Nacional de Tóquio – Tóquio (JAP)

Competição: Copa Kirim

Público: 35.000

Árbitro: Shizuo Takada

Expulsão: Montelongo (URU) expulso

Gols: Zé Sérgio 22′ e 89′ e Mirandinha 41′ e 50′ – Aguillera 15′ e Carrasco (f) 81′

SFC: Rodolfo Rodrigues; Paulo Roberto, Davi (Fernando), Toninho Carlos e Jaime Bôni; Serginho, Mario Sérgio e Humberto (Formiga); Gersinho, Mirandinha e Zé Sérgio

Técnico: Castilho

URU: Gualberto Velicoosé Luis Russo, Eduardo Acevedo, César Pereira; Abraham Yeladion, Jorge Walter Barrios, Juan Ramón Carrasco; Carlos Aguilera, Jorge Da Silva, Jacinto Cabrera (Alzucaray). Técnico: Omar Borrás. Nota-se a presença do maior jogador uruguaio a defender as cores santistas: Rodolfo Rodriguez! RR era a verdadeira muralha! Ágil, seguro e com a tradicional gana uruguaia, não deixava os colegas se acomodarem em campo, um líder!
Nos duros anos de 1987, 1988 cansou de levar o time nas costas. Em mais de uma ocasião tentou o gol em cobranças de escanteio…
Chegou no SFC em 1984, disputou a Copa do Mundo de 1986. Junto com Gilmar, um dos maiores goleiros da história do Santos.
Sua sequência de defesas contra o América , em 1984 é impressionante:

Em 1988, Sócrates vem atuar pelo Santos FC. Sua estréia foi contra um clube uruguaio, o Cerro. A Vila Belmiro recebeu um bom público e viu Dr Sócrates desmontar a defesa uruguaia, novamente uma vitória por 4×2.

29/11/1988 Santos FC 4×2 CA Cerro (URU)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Amistoso

Renda: Cz$ 4.667.000

Público: 8.058 + 1.526 (9.584 total)

Árbitro: Romualdo Arpi Filho

Gols: Mendonça 36′, Sócrates 38′, Junior 66′ e Giba (p) 90′ – Vingnello 24′ e Fernandez 59′

SFC: Ferreira; César Ferreira (Heraldo), Nildo, Davi (Cássio) e Luiz Carlos (Ijuí); César Sampaio, Mendonça (César Pereira), Sócrates (Zimmerman) e Giba; Junior e Sidnei

Técnico: Marinho Perez

CAC: Revereno; De Leon (Gonzales), Ponze, Wilson Gonzalez e Operti (Ferrem); Escobal (Nestor Martins), Dorneli e Carabajo; Fernandez, Vingnello e De Los Santos (Jorge).

Obs: estréia de Sócrates no SFC. Partida teve pontapé inicial de Telma de Souza, recém eleita Prefeita de Santos pelo PT.

Em 1990, outra partida cheia de “causos”… Santos e Nacional disputam em Taiwan (!!!), a Super Copa Sul-americana.
Na decisão, já na prorrogação, o Santos anotou o gol de empate, Camilo de cabeça. Os uruguaios alegando falta do zagueiro santista, não aceitaram o gol e foram para cima do árbitro,  que acabou reagindo e agredindo três uruguaios! Os atletas do SFC vendo que o juiz podia anular o gol, também se envolveram na confusão!!! Os dois times brigaram em campo e chegaram a quebrar a taça em disputa!!! O jogo acabou sem campeão.

Uma enorme confusão… sobrando até na delegação brasileira. O árbitro convidado, Dulcídio Vanderley Boschila, agrediu o outro árbitro convidado (Romualdo Arpi Filho) com um tapa, pois segundo Boschila, Romualdo estaria fazendo “média” com os uruguaios.
Três dias depois, Santos e Nacional foram proclamados campeões.
E fizeram taças novas para os dois

03/06/1990 Santos FC 0x0 C Nacional F (URU) (1×1 prorrogação)

Local: Chunqcheng Soccer Stadium - Tai Pei (TAW)

Competição: Super Copa Sul Americana (American Super Cup of Football)

Árbitro: Abnel Gnecco

Gols: (Prorrogação): Camilo 114′ – José Garcia

SFC: Sérgio; César Ferreira, Márcio Rossini, Luiz Carlos e Flavinho; César Sampaio, Derval (Camilo), Axel e Zé Humberto; Sérgio Manoel (Mendonça) e Kazuo

Técnico: Pepe

CNF: Seré; Milton Gomes, Mozo, Maristan e Cardaccio; Carlos Soca, Peña, Moran e De Ly Waldez; Oliveira e Gutierrez.

A última grande batalha contra os vizinhos orientais, foi na Libertadores de 2003, quando o Nacional de Montevidéu foi eliminado na Vila Belmiro na disputa de pênaltis. Naquela noite, Fábio Costa foi de vilão à herói. Durante a partida falhou no gol do Nacional… mas na disputa em pênaltis “baixou o espírito de RR” e fechou o gol santista!

07/05/2003 Santos FC 2×2 C Nacional F (URU) (3×1 pênaltis)

Local: Vila Belmiro – Santos (SP)

Competição: Taça Libertadores de América

Renda: R$ 285.094

Público: 20.000

Árbitro: Héctor Baldassi (ARG)

Gols:Ricardo Oliveira 9′ e Eguren (contra) 65′ – Eguren 38′ e O’Neill 42′

SFC: Fábio Costa; Elano, André Luiz, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Diego e Nenê (Douglas); Robinho e Ricardo Oliveira.

Técnico: Émerson Leão.

CNF: Munuá; Benoit, Machado, Mendez e Curbello; Vanzini (Juarez), Eguren, Scotti e Morales; O’Neill (Mendez) e Gustavo Alvez (Peralta).

Técnico: Daniel Carreño

Decisão por pênaltis: Ricardo Oliveira, Elano e Renato (SFC)

Munúa (CNF); Peralta, Morales e Juarez perderam (Fábio Costa defendeu)