Arquivo da tag: SFC

Santos FC: Cidades do Brasil que já receberam o alvinegro

“Santistas de todo mundo, uni-vos!”

Na 2ª parte da relação, as outras cidades brasileiras que já puderam apreciar o futebol-arte do SFC:

Seguem as mesmas observações da postagem anterior.

RIO DE JANEIRO

89 – Rio de Janeiro- 1916

90 – Campos – 1952

91 – Niterói – 1957

92 – Volta Redonda – 1976

93 – Mesquita – 2001

94 – Barra Mansa – 1961

95 – Petrópolis – 2000

PARANÁ

96 – Curitiba – 1926

97 – Jacarezinho – 1944

98 – Cambará -1945

99 – Cambé – 1946

100 – Londrina – 1946

101 – Arapongas – 1951

102 – Paranaguá – 1957

103 – Ponta Grossa – 1958

104 – Cornélio Procópio – 1958

105 – Maringá -1965

106 – Bandeirante – 1969

107 – Cianorte – 1972

108 – Cascavel – 1979

109 – Umuarama – 1988

110 – Apucarana – 1989

111 – União da Vitória – 1989

112 – Jandaia – 1966

113 – Rolândia – 1966

114 – Toledo – 1966

115 – Foz do Iguaçú – 1966

116 – Campo Mourão – 1968

117 – Assis Chateaubriand – 1977
MINAS GERAIS

118 – Belo Horizonte – 1929

119 – Juiz de Fora – 1950

120 – Uberaba – 1951

121 – Poços de Caldas – 1951

122 – Uberlândia – 1956

123 – Lavras – 1957

124 – Itabira – 1958

125 – Timóteo – 1958

126 – Montes Claros – 1958

127 – Itajubá – 1958

128 – Itaú de Minas – 1960

129 – São Sebastião do Paraíso -1969

130 – Ituiutaba – 1973

131 – Passos – 1986

132 – Monte Sião – 1987

133 – Nova Lima – 1998

134 – Patos de Minas – 2006

135 – Ipatinga – 2006

136 – Sete Lagoas – 2010

137 – Pouso Alegre – 1967

138 – Ubá – 1968

139 – Guaxupé – 1968

140 – Conselheiro Lafayete – 1969

141 – Três Corações – 1971

142 – Divinópolis – 1977

143 – Alfenas – 1977

144 – Caxambu – 1993

BAHIA

145 – Salvador – 1929

146 – Ilhéus – 1965

147 – Alagoinhas – 1972

148 – Feira de Santana – 1975

149 – Conceição do Coité – 1975

150 – Itabuna – 1979

151 – Peri Peri – 1936

RIO GRANDE DO SUL

152 – Porto Alegre – 1935

153 – Novo Hamburgo – 1935

154 – Rio Grande – 1935

155 – Pelotas – 1957

156 – Bagé – 1957

157 – Caxias do Sul – 1957

158 – Erexim – 1970

PERNAMBUCO

159 – Recife – 1946

RIO GRANDE DO NORTE

160 – Natal – 1946

161 – Mossoró – 1975

CEARÁ

162 – Fortaleza – 1946

163 – Juazeiro do Norte – 1974

MARANHÃO

164 – São Luiz – 1947

165 – Bacabal – 1976

PARÁ

166 – Belém – 1947

ESPìRITO SANTO

167 – Cachoeiro do Itapemirim – 1952

168 – Vitória – 1953

169 – Cariacica – 1973

SANTA CATARINA

170 – Joinville – 1957

171 – Blumenau – 1961

172 – Criciúma -1964

173 – Taió – 1967

174 – Itajaí – 1969

175 – Florianópolis – 1972

176 – Lages – 1978

177 – Caçador – 1978

178 – Brusque – 1979

179 – Concórdia – 1989

180 – Joaçaba – 1989

181 – Videira – 1989

182 – Jaraguá do Sul – 1999

GOIÁS

183 – Goiânia – 1958

184 – Itumbiara – 1977

185 – Anápolis – 1978

186 – Pires do Rio – 1991

DISTRITO FEDERAL

187 – Brasília – 1961

188 – Taguatinga – 2001

189 – Gama – 2002

SERGIPE

190 – Aracajú -1963

MATO GROSSO

191 – Cuiabá – 1965

192 – Sinop – 1999

193 – Mirassol d’Oeste – 1989

194 – Pontes e Lacerda – 1989

195 – Diamantino – 1989

196 – Tangará da Serra – 1989

197 – Nortelândia – 1989

MATO GROSSO DO SUL

198 – Campo Grande – 1965

199 – Corumbá – 1966

200 – Dourados – 1980

201 – Três Lagoas – 1975

202 – Naviraí – 1989

ALAGOAS

203 – Maceió – 1965

AMAZONAS

204 – Manaus – 1968

PARAÍBA

205 – João Pessoa – 1969

206 – Campina Grande – 1986

PIAUÍ

207 – Teresina – 1976

RORAIMA

208 – Boa Vista – 1995

RONDÔNIA

209 – Rolim de Moura – 2002

ACRE

210 – Rio Branco -2009

Santos FC: Cidades que o alvinegro já visitou

“Santistas de todo mundo, uni-vos!”

Caro amigo santista, volto com um texto sobre o alvinegro depois de um bom tempo.

É um levantamento inédito mostrando todas as cidades que já receberam a visita do SFC.

Como a lista é muito grande, publicarei em etapas.  A primeira delas mostra as cidades do Estado de São Paulo, naturalmente a maior lista com quase cem cidades.

Vamos a elas:

Obs: As cidades grafadas em preto receberam o time principal, as cidades em vermelho receberam o time misto ou jogos-treino.

O ano que segue a frente do nome da cidade, indica a data do primeiro confronto naquela localidade

1 – Santos – 1912

2 – São Paulo – 1913

3 – São Vicente – 1913

4 – Santo André – 1914

5 – Amparo – 1915

6 – São Carlos – 1915

7 – Votorantim – 1917

8 – Botucatu – 1922

9 – Ribeirão Preto – 1922

10 – São Manoel – 1922

11 – Jundiaí – 1923

12 – Limeira – 1924

13 – Piracicaba – 1925

14 – Espírito Santo do Pinhal – 1926

15 – São João da Boa Vista – 1926

16 – Rio Claro – 1927

17 – Campinas – 1928

18 – Mogi das Cruzes -1930

19 – Jaú -1935

20 – São José do Rio Preto -1938

21 – Marília -1940

22 – Catanduva – 1941

23 – São Caetano do Sul – 1942

24 – Araraquara – 1942

25 – Bauru -1943

26 – Ourinhos – 1944

27 – Lins -1945

28 – Itu – 1945

29 – Taubaté – 1945

30 – Franca – 1948

31 – Presidente Prudente – 1949

32 – Ibitinga – 1949

33 – Bebedouro – 1950

34 – Santa Cruz do Rio Pardo -1950

35 – Araçatuba – 1951

36 – Tupã – 1951

37 – Mococa – 1951

38 – São Bernardo do Campo -1953

39 – Araras – 1956

40 – Sorocaba – 1956

41 – Garça – 1956

42 – Guaratinguetá – 1958

43 – Bragança Paulista – 1958

44 – Adamantina – 1959

45 – Ituverava – 1962

46 – São José dos Campos – 1975

47 – Barretos – 1976

48 – Guaíra – 1979

49 – Fernandópolis – 1981

50 – Suzano -1982

51 – Taquaritinga – 1983

52 – Votuporanga – 1984

53 – Mogi Mirim – 1986

54 – Novo Horizonte – 1986

55 – Birigui – 1987

56 – Guarujá – 1991

57 – São Roque – 1991

58 – Guarulhos – 1991

59 – Americana – 1993

60 – Assis – 1993

61 – Hortolândia – 1994

62 – São Joaquim da Barra – 1994

63 – Santa Rita do Passa Quatro – 1995

64 – Matão – 1998

65 – Santa Bárbara d’Oeste – 1999

66 – Serra Negra – 2001

67 – Itapira – 2001

68 – Itápolis – 2004

69 – Sertãozinho -2008

70 – Barueri – 2009

71 – Mirassol – 2010

72 – Mauá – 1953

73 – Iguape – 1960

74 – Várzea Paulista – 1961

75 – Igarapava -1962

76 – Mogi Guaçú – 1964

77 – Pindamonhangaba – 1965

78 – Osasco -1967

79 – Campos do Jordão – 1967

80 – Registro – 1968

81 – Oswaldo Cruz – 1973

82 – Jales – 1975

83 – Penápolis – 1976

84 – Jacupiranga – 1985

85 – Caçapava – 1988

86 – Águas da Prata – 1991

87 – Atibaia – 1997

88 –  Bom Jesus dos Perdões – 1997


As partidas de 2004

15/02/2004 Santos FC 8×3 União São João EC (Araras)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Campeonato Paulista

R: R$ 71.590

P: 5.223

A: Romildo Correia

G: Basílio 4′ e 20′, Paulo Cesar (f) 25′, Andre Luis 31′, Alex 35′, Robinho 51′, Robgol (p) 56′ e Renato 87′ – Osmar 39′, Marcelinho (f) 45′ + 1′ e João Paulo 77′

SFC: Doni; Paulo Cesar, Alex, André Luis e Leo; Claiton, Renato e Diego (Paulo Almeida); Robinho (Luis Augusto), Basílio e Robgol (Lopes).

Técnico: Emerson Leão.

USJEC: Gilvan; Vagner (Roger), Diguinho, Félix e eduardo (Luis Henrique); Lico, Wilson Mathias, Gerson Leite e Marcelinho; Osmar e João Paulo.

Técnico: Arnaldo Lira

Presença de um solitário torcedor do União. Turista em Mongaguá, aproveitou as férias para ver a goleada em seu time… segundo FSP, ele vibrou muito com os gols do clube interiorano.

14/04/2004 Santos FC 5×0 C Jorge Wilsterman (BOL)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Taça Libertadores de América

R: R$ 51.513

P: 12.319

A: Jorge Larrionda (URU)

Expulsão: Morejón (CJW) expulso

G: Diego 20′ e 71′, Elano 40′, Preto Casagrande 61′ e Robinho (p) 87′

SFC: Júlio Sergio; Paulo César (Lopes), Alcides, André Luis e Leo; Claiton (Paulo Almeida), Renato, Preto Casagrande e Diego; Elano (Luis Augusto) e Robinho.

Técnico: Emerson Leão.

CJW: Sergio Galarza; Arévalo, Tierradentro, Zenteno e Morejon; Mendez, Marín, Thiago Leitão (Castillo) e Olivares; Hector Nuñez (Vargas) e Cardenas (Suaréz).

Técnico: Juan Carlos Blanco

11/08/2004 Santos FC 3×2 CR Vasco da Gama (Rio de Janeiro)

L: São JanuárioRio de Janeiro (RJ)

C: Campeonato Brasileiro

R: R$ 23.070

P: 1.866

A: Leonardo Gaciba

G: Deivid 4′ e 68′ e Robinho 82′Petkovic 60′ e Ygor 47′

SFC: Tápia; Paulo Cesar, André Luis, Domingos e Leo (Flávio); Bóvio (Luis Augusto), Fabinho, Ricardinho e Elano (Basílio); Robinho e Deivid.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

CRVG: Fabio; Chiquinho (Silva), Henrique, Gomes e Diego; Coutinho, Ygor, Junior (André Lima) e Petkovic; Anderson (Rodrigo Souto) e Valdir.

Técnico: Mauro Galvão

SFC levou o Trofeu “Osmar Santos” oferecido pelo jornal “Lance!” como campeão do 1º turno

20/10/2004 Santos FC 1×1 São Paulo FC

L: Morumbi - São Paulo (SP)

C: Copa Sul-Americana

R: R$ 110.624

P: 8.196

A: Wagner Tardelli

Expulsões: Ávalos (SFC) e Fabão (SPFC)

G: Preto Casagrande 81′Rodrigo 49′

SFC: Mauro; Leonardo, Ávalos e Domingos; Bóvio, Elias (Paulo Cesar), Fabinho (Preto Casagrande), Luis Augusto e Márcio; Marcinho e Willian (Deivid).

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SPFC: Rogério Ceni; Fabão, Lugano e Rodrigo; Cicinho, Renan, Alê, Danilo e Junior (Souza); Grafite e Jean (Rondon).
Técnico: Leão

Um mistão do SFC elimina o time principal do tricolor na Copa Sulamericana

30/10/2004 Santos FC 5×0 Fluminense FC (Rio de Janeiro)

L: TeixeirãoSão José do Rio Preto (SP)

C: Campeonato Brasileiro

R: R$ 297.906

P: 21.763

A: Clever Assunção

G: Robinho 7′ e 55′, Laerte (contra) 19′ e Deivid 47′ e 81′

SFC: Mauro; Paulo Cesar, Leonardo, André Luis e Leo; Fabinho, Bóvio (Zé Elias), Ricardinho (Marcinho) e Elano; Robinho (Basílio) e Deivid.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

FFC: Fernando Henrique; Leonardo Moura, Antonio Carlos, Laerte e Junior Cesar (Mineiro); Marciel, Diego, Esquerdinha (Marcão) e Roger; Alesandro e Rodrigo Tiui (Alex).

Técnico: Alexandre Gama

Mando do SFC, Vila interditada pelo copo d’água.. massacre santista.

19/12/2004 Santos FC 2×1 CR Vasco da Gama (Rio de Janeiro)

L: TeixeirãoSão José do Rio Preto (SP)

C: Campeonato Brasileiro

R: R$ 529.190

P: 36.426

A: Leonardo Gaciba

G: Ricardinho (f) 5′ e Elano 30′ – Marco Brito 61′

SFC: Mauro; Paulo Cesar, Ávalos, Leonardo e Leo; Fabinho, Preto Casagrande, Ricardinho e Elano (Marcinho); Robinho (Basílio) e Deivid (Willian).

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CRVG: Everton; Henrique, Fabiano (Gomes), Daniel e Claudemir; Coutinho, Ygor, Junior (Rubens) e Rodrigo Souto (Rafael); Diego e Marco Brito.

Técnico: Joel Santana

Até no último jogo teve gol anulado (9º), agora de Robinho… Robinho que voltou ao time com a solução do sequestro de sua mãe no dia anterior da partida.

SFC Campeão brasileiro de 2004

SFC levou o Trofeu “João Saldanha” oferecido pelo jornal “Lance!” como campeão do 2º turno

A confirmação de Diego e Robinho (2003)

Santistas de todo mundo, uni-vos!

Depois da apoteótica conquista do Brasileiro de 2002, parecia que não haveria limites para o alvinegro praiano. A base do time era mantida, e se Alberto e Robert deixavam o clube, Ricardo Oliveira era um reforço de grande peso para o ataque santista.

Confiante, o torcedor santista esperava por títulos em 2003… Paulista, Brasileiro, Libertadores ou mesmo a neófita Copa Sul-Americana. Continue lendo

Fichas técnicas

20/01/2002 Santos FC 3×0 América FC (Rio de Janeiro)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Torneio Rio/ São Paulo

R: R$ 38.060

P: 4.592

A: Leonardo Gaciba

G: Cleber 85′, Robert 89′ e Willian 91′

SFC: Fábio Costa; Michel (Douglas), Preto, Cleber e Leo; Paulo Almeida, Marcelo Silva, Eduardo Marques (Diego) e Robert; Elano e Thiago (Willian).

Técnico: Celso Roth

AFC: Marcelo Leite; Mario Neto, Luciano, Leonardo e Luciano Netter; Piá Carioca, Serginho (Marcio), Ratinho (Andrei) e Fabio Araújo; Edmar e Fagner.

Técnico: Mario Marques

Estreia de Diego. Robert cobrou um pênalti na trave

13/02/2002 Santos FC 4×2 Ji-Paraná FC

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Copa do Brasil

R: R$ 17.992,00

P: 3.487

A: Jamir Carlos Garcez

G: Willian 21′ e 62′, Odvan 45′ e Diego 71′ – Jardel 69′ e Gélson 90′

SFC: Fábio Costa; Michel, Odvan, Preto e Leo; Paulo Almeida (Wellington), Marcelo Silva, Esquerdinha e Robert (Diego); Oséas (Douglas) e Willian

Técnico: Celso Roth

JPFC: Julio Cesar; Kite, Dudu, Celso e Odair; Anderson, Marialvo (Dunante), Juliano e Cesar (Chita); Praguinha (Gelson) e Jardel.

Técnico: Da Costa

Robert perdeu pênalti, chutou por cima do travessão. Primeiro gol de Diego. Santos classificado para a fase seguinte da Copa do Brasil.


24/03/2002 Santos FC 2×0 Guarani FC (Campinas)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Torneio Rio/ São Paulo

R: R$ 7.515,00

P: 1.099

A: Anselmo da Costa

G: Robert 19′ e 77′

SFC: Fábio Costa; Valdir (Esquerdinha), André Luís, Odvan e Léo; Marcelo Silva, Renato, Wellington (Preto) e Robert (Robinho); Diego e Douglas.

Técnico: Celso Roth.

GFC: Cesar; Gustavo, Edu Dracena, Aderldo e Luciano; Sangaletti, Alexandre (Guilherme), Dudu e Jadílson; Rafael Silva e Afonso (Leo).

Técnico: Mário

Estreia de Robinho

13/07/2002 Santos FC 5×0 Comercial FC (Ribeirão Preto)

L: Franciso Palma Travassos – Ribeirão Preto (SP)

C: Amistoso

P: 5.000

A: Tadeu Bosco Silva

G: André Luis 9′, Diego 38′, Elano 40′, Júlio Cesar 70′ e Robinho 90′

SFC: Julio Sérgio (Rafael); Valdir (Marcão), Preto, André Luís e Léo (Leandro); Paulo Almeida, Renato, Elano (Robinho), Diego (Douglas); Fabiano Souza (Júlio César) e Alberto (Willian).

Técnico: Leão

CFC: Vilson (Fabrício); David, Mauro, Marcel (Waldemar) e Dudu; Mazinho (rogério), Daniel, Cesar e Mateus; Minardi (Leandro) e Elias (Paulinho).

Primeiro gol de Robinho… o time começava a se acertar


27/07/2002 Santos FC  3×1 SC Corinthians P (São Paulo)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Amistoso

R: R$ 42.540,00

P: 8.508

A: Rodrigo Braghetto

Expulsão: Kleber (CP) expulso

G: André Luis 32′, Renato 92′ e Willian 83′ – Gilmar 55′

SFC: Júlio Sérgio; Maurinho, André Luís, Preto e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Wellington) e Diego ; Robinho e Alberto (Willian).

Técnico: Emerson Leão.

SCCP: Doni; Rogério,Anderson (Scheidt), Fabio Luciano e Kleber; Fabrício (Fabinho),Vampeta, Ricardinho e Leandro (Luciano Ratinho, depois Renato); Gil e Gilmar.

Técnico: Carlos Alberto Parreira

Meninos da Vila, geração 2002.

No ano de 2002 o Santos enfrentou o Corinthians em cinco oportunidades, venceu as cinco!  Marcou 13 gols e sofreu 5. Elano e Alberto marcaram 3 gols; Willian e Renato marcaram 2 e André Luis, Robinho e Léo  marcaram 1 gol cada.


Jogos de 2001

28/01/2001 Santos FC 5×0 AA Portuguesa (Santos)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Campeonato Paulista

R: R$ 44.677,50

P: 8.751

A: Edilson de Carvalho/ Tadeu Bosco da Cruz

Expulsão: Valdir (AAP)

G: Deivid 4′, Leo 68′, Robert 82′ e Rodrigão (p) 84′ e 88′

SFC: Fabio Costa; Russo (Caíco), Pereira, André Luis (Marcelo Silva) e Léo ; Galvan, Claudiomiro e Renato; Deivid (Julio Cesar), Rodrigão e Robert.

Técnico: Geninho

AAP: Sandro; Marcio Goiano, Lima e Orestes; Valdir, Capitão, Caçapa (Marcos Basílio), Jean Carlo (Zinho) e Rossato (Ceará); Tico Mineiro e Jean.

Técnico: Muricy Ramalho

SFC recebeu Troféu ACESAN (em homenagem ao aniversário de Santos)

11/02/2001 Santos FC 5×1 União A Barbarense FC (Santa Bárbara d’Oeste)

L: Antonio Lins Ribeiro Guimarães – Santa Barbara D’Oeste (SP)

C: Campeonato Paulista

P: 7.049

A: Romildo Correa/ Rogério Pereira Pires

G: Rodrigão 42′ e 68′, Dodô 50′, Marcelo Silva 60′ e Deivid 85′ – Mauro (p) 66′

SFC: Fabio Costa, Russo, Pereira, Galvan e Léo; Marcelo Silva (Paulo Almeida), Claudiomiro, Renato e Robert; Dodô (Deivid) e Rodrigão (Caíco).

Técnico: Geninho

UABFC: Zetti; Toninho, Emerson e Valder; Marquinhos (Luciano), Eduardo, Agnaldo Xavier, Bira (Paulo Santos) e Renan; Johson (Junior Ferreira) e Mauro.

Técnico: Luis Carlos Martins

A Justiça de Santa Bárbara proibiu a entrada de menores de 18 anos ao estádio!

06/09/2001 Santos FC 0x2 CR Flamengo (Rio de Janeiro)

L: Elmo Serejo – Taguatinga (DF)

C: Campeonato Brasileiro

R: R$ 57.114

P: 7.401

A: Wilson de Souza Mendonça

G: – Roma 31′ e Reinaldo 62′

SFC: Fabio Costa; Preto, Galván (Weldon) e Cleber; Renato (Julio Cesar), Válber (Elano), Paulo Almeida, Robert e Leo; Marcelinho Carioca e Viola.

Técnico: Serginho Chulapa

CRF: Julio Cesar; Alessandro, Juan, André Bahia e Cássio; Jorginho, Vampeta (Fabio Augusto), Beto e Alexandre Gaucho (Rocha); Roma e Reinaldo.

Técnico: Zagallo

Que constelação: Cleber, Galván, Valber e  Marcelinho Carioca…

Por 10 segundos…

Santistas de todo mundo, uni-vos!

2001, um ano tão impactante para o santista como o filme de Stanley Kubrik..

2001, um ano tão incompreensível como o monolito negro…

2001, um ano tão indecifrável como o computador Hall 9000…

2001, um ano para o alvorecer de uma nova era.

Tudo começou no Rio/São Paulo daquele ano…

Geninho assume o comando técnco do Peixe depois do breve reinado de Carlos Alberto Parreira. O time estava modificado, os medalhões não haviam obtido êxito e as contratações eram mais modestas… Deivid, Elano, Leo, Fabio Costa, Renato, André Luis e Paulo Almeida  se juntavam a Caio, Dodô, Claudiomiro, Rincón e  Robert, deixando o time bem mais jovem e raçudo.

Porém, Geninho padecia de um mal; sempre que possível colocava o time para trás buscando garantir o resultado… muitas vezes deu certo, mas o DNA ofensivo santista estava impregnado na massa santista, que em diversas oportunidades não aceitava tal postura por parte do time.

Mesmo assim, o time saiu-se bem na primeira fase do Rio São Paulo de 2001. Torneio que apresenta uma novidade: na fase de classificação eram dois grupos: um só de times paulistas e outro de times cariocas, os jogos seriam entre paulistas e cariocas. Classificavam-se dois de cada grupo e disputavam-se as semi-finais e finais em mata-mata.

E o Alvinegro foi bem na fase inicial, ficando invicto nas 4 partidas. Na semi-final pegou o Botafogo e empatou no Rio de Janeiro. Todos tinham certeza da classificação santista na partida de volta em Vila Belmiro. Com o alçapão lotado, a classificação foi perdida aos 88’!

1×0 para o time da estrela solitária e uma grande frustação.

CR Flamengo – 3×0 (Edson Passos – Mesquita)

Botafogo FR – 3×0 (VB)

Fluminense FC – 2×2 (Maracanã)

CR Vasco da Gama – 3×0 (VB)

Semi-finais:

Botafogo FR – 2×2 (Maracanã) e 0x1 (VB)

O Campeonato Paulista passava a ser a grande esperança de título…

Em 2001, a cartolagem continuava a fazer suas estrepolias… A competição teria 16 equipes jogando em turno único, para a classificação de 4 equipes para a fase semi-final e final (em mata-mata). A grande invencionice dos dirigentes era que, em caso de empate, haveria decisão por pênaltis, o vencedor ficaria com dois pontos e o derrotado 1 ponto. Porém se o empate fosse em 0x0, o vencedor receberia 1 ponto apenas e o derrotado, nenhum.

O Peixe até que começou bem a competição, com algumas goleadas (5×0 AA Portuguesa, 4×0 Portuguesa Desportos, 5×1 União Barbarense). Mas tudo mudou ao ser goleado, novamente,  pelo arquirival Corinthians: 0x5!

As torcidas organizadas não suportaram mais uma humilhação, e em protesto viraram as faixas de ponta cabeça e só retornariam se o SFC ganhasse um título!

Tempos difíceis…

Mesmo assim , graças a mais algumas vitórias o Alvinegro classificou-se em 2 º lugar na pontuação geral. Com isso, levaria vantagem contra o seu adversário, o Corinthians; na outra semi-final, um clássico do interior: Ponte Preta x Botafogo (RP).

Campanha na fase de classificação:

Guarani FC – 1×0 (VB)

AA Portuguesa  – 5×0 (VB) * Nesse jogo, o SFC recebeu o Troféu ACESAN (Associação dos Cronistas Esportivos de Santos), pelo aniversário da Cidade de Santos.

São Paulo FC  – 2×4 (Morumbi)

União Agrícola Barbarense FC – 5×1 (Santa Bárbara D’Oeste)

A Portuguesa D – 4×0 (VB)

União São João EC -1×1 (Araras) – decisão por penaltis: 2×1

Rio Branco EC – 2×3 (Americana)

Botafogo FC – 1×2 (Santa Cruz)

SC Corinthians P – 0x5 (Pacaembu)

AA Ponte Preta – 0x1 (Moisés Lucarelli)

SE Palmeiras  – 3×1 (VB)

SE Matonense  – 5×4 (Matão)

AA Internacional – 1×0 (Limeira)

AD São Caetano – 2×1 (Sâo Caetano)

Mogi Mirim EC – 5×1 (Mogi Mirim)

Contra o  Corinthians, o Peixe jogava por dois empates.

Na 1ª partida, jogou melhor, poderia ter liquidado no 1º tempo, mas ficou no 1×1. O time dominava o Corinthians até que Geninho tirou Deivid e colocou o volante Marcelo SIlva… acabou dando campo para o rival e saiu o empate.

Para a decisão, a massa santista estava otimista… o Botafogo praticamente havia elimindo a Ponte, e caso o Peixe superasse o Corinthians, muitos já viam a Taça de Campeão descendo a Serra…

Na grande decisão, o Santos, mais uma vez era melhor em campo… Logo no início,  pênalti para o SFC… Dodô cobra na trave… O Corinthians também tem um p?nalti ao seu favor, mas também manda na trave a cobrança de Marcelinho Carioca… Aos 33′, Renato abre o placar, mas nem há tempo de comemoração, pois Marcelinho Carioca empata no minuto seguinte… o jogo é equilibrado, mas o SFC esta firme em campo, não dando muitas chances ao adversário.

Sai Deivid e entra o zagueiro André Luis em seu lugar… o tempo vai passando e o SFC resolve segurar o placar… o time já atuava com 3 volantes (Paulo Almeida, Rincón e Renato) e Geninho tira o único atacante (Dodô) e coloca o meia-atacante Caio… Do outro lado, Vanderley Luxemburgo faz o inverso, colocando o Corinthians no ataque… entrando Marcos Sena e Gil em campo.  Fim de jogo se aproximando e uma entrada mais dura de Galván provoca sua expulsão. Quem sai é Robert, dando lugar para Marcelo Silva. Assim, com 4 defensores, 4 volantes e apenas Caio na frente…

Partida acabando e o SFC tem a bola no ataque… ao invés de segurar a bola e gastar o tempo, alguém dá um chutão para a linha de fundo… Faltam 30 segundos… o Corinthians avança e a bola chega ate Gil… Gil, corre, corre, dribla André Luis que cai sentado … faltam 15 segundos… Gil cruza, Marcelinho Carioca faz o corta-luz e Ricardinho bate de primeira… gol.

Um gol inacreditável…

Faltavam 10 segundos…

Fabio Costa vai ao desespero e discute com André Luis… Paulo Almeida  chora, Leo chora, Renato esta atônito e Geninho briga com a arbitragem, sendo expulso… o Morumbi chora… metade de alegria, a outra metade de tristeza profunda.

Nem há ânimo para reclamar que uns 3 atacantes do Corinthians encobriam a visão de Fabio Costa e poderia ser interpretado como impedimento… nem que Ricardinho jogou com um ponto eletrônico, infringindo as normas da FIFA. O Santos estava eliminado da maneira mais brutal, mais dolorida possível. Eram 17 anos de fila…

Pode parecer masoquismo, mas as imagens devem ser revistas… são imagens fortes, sofridas, dolorosas, porém significativas quando, vemos um Leo chorando em campo, quando vemos um Paulo Almeida em prantos…

Depois disso, o ano acabou… acabou em 13 de maio.

Antes disso, a equipe já havia sido eliminada da Copa do Brasil. Não teria sucesso no Campeonato Brasileiro, nem na Copa Nike (Torneio Internacional do México), o SFC entrava numa grave crise existencial  que parecia não teria saída.

Bom, voltando ao o que foi 2001, vamos conhecer a breve campanha na Copa do Brasil:

AA Anapolina  -2×1 (Anápolis) e 5×1 (VB)

EC Bahia  – 0x2 (Fonte Nova ) e 0x2 (VB)

Nos jogos internacionais, uma vitória de destaque: na inauguração do Estádio de Taegu, na Coréia do Sul. Estádio que seria usado na Copa de 2002:

20/05 – SFC 2×1 Seongnam Ilhwa Chunma (Coréia do Sul) – Em Taegu – Coréia do Sul

13/07 – SFC 0x2 CF Atlas (México) – Guadalajara – Copa Nike

15/07 – SFC 1×1 CF America (México) (2×4 Pênaltis) – Guadalajara – Copa Nike

O destaque negativo foi a quantidade de jogadores santistas expulsos nas duas partidas: 4 (Fabio Costa, Paulo Almeida,  Claudiomiro e Orestes) mostrando que o time estava abalado psicologicamente depois do fátidico jogo.

Para o Campeonato Brasileiro o santista não tinha ilusões… seriam 28 equipes correndo atrás de 8 vagas para a fase eliminatória. Mas poucos acreditavam que o alvinegro poderia ser classificar.

Viola retornava ao time e no meio da competição a contratação mais polêmica da história do Santos FC: Marcelinho Carioca!

Marcelinho havia brigado com Luxemburgo e pediu para sair do Corinthians. Deu declarações em jornais que precisava trabalhar e que estavam impedindo que trabalhasse… foi para programas de TV e chorou em frente as câmaras… Marcelo Teixeira acreditou em Marcelinho Caroca e o camisa sete apareceu na Vila…

A torcida se dividiu de imediato… alguns tinham esperanças que Viola e Marcelinho pudessem reeditar suas passagens pelo time de Parque São Jorge, outros duvidavam da capacidade de Marcelinho em se adaptar ao SFC…  foi um breve namoro… no início, bem no início, as coisas caminharam bem com boas exibições de Viola e Marcelinho, como na goleada sobre o Baha (5×1).

O grande teste seria o clássico na Vila, entre Santos e Corinthians.

Se Marcelinho jogasse bem e o SFC vencesse, Marcelinho tornar-se-ia ídolo, caso contrário seria execredo na Baixada.

Numa partida sem o menor brilho, o Santos de Cabralzinho, perde por 2×0. Os dias de Marcelinho estavam contados…

E Marcelinho não durou até o final do Campeonato, sendo sacado do time titular nas duas últimas apresentações.

Campanha no Brasileiro de 2001:

Santa Cruz FC – 1×1 (VB)

EC Vitória – 1×1 (Barradão)

SE Gama  – 1×1 (Brasília)

Coritiba FC – 2×0 (VB)

Botafogo FC – 1×0 (Santa Cruz)

Botafogo FR – 0x0 (VB)

Juventude EC – 2×2 (VB)

C Atlético Paranaense  – 1×1 (Arena da Baixada)

Goiás EC – 1×2 (VB)

CR Flamengo  – 0x2 (Taguatinga)

Guarani FC  – 1×1 (Brinco de Ouro)

América FC (MG) – 3×0 (VB)

Sport C Recife  – 2×0 (Ilha do Retiro)

EC Bahia  – 5×1 (VB)

Paraná C  – 0x1 (Durival de Brito)

São Paulo FC  -1×0 (VB)

AD São Caetano  – 1×2 (VB)

SE Palmeiras  – 1×2 (Parque Antártica)

C Atlético Mineiro – 1×0 (Mineirão)

SC Corinthians P – 0x2 (VB)

Grêmio FPA  – 4×2 (VB)

A Portuguesa D – 0x0 (Canindé)

Cruzeiro EC  – 4×2 (VB)

SC Internacional – 0x3 (Beira Rio)

AA Ponte Preta  – 1×2 (VB)

Fluminense FC – 1×2 (Maracanã)

CR Vasco da Gama – 2×2 (VB)

Um ano triste, onde a única coisa que salvou era a bela  camisa, com o logo da FIFA: “O melhor do século nas Américas”

http://files.colesantos.webnode.com.br/200000099-ad305ae2c5/2000_AB%20Fifa.jpg

Fichas técnicas 2000

04/06/2000 Santos FC 3×2 SE Palmeiras (São Paulo)

L: Morumbi – São Paulo (SP)

C: Campeonato Paulista

R: R$ 148.530,00 (renda real) 293.030,00

P: 15.377 (público real) (44.277 virtual)

A: Paulo Cesar de Oliveira/ Ilton Honorato

G: Eduardo Marques 68′, Anderson 77′ e Dodô 89′ – Argel 33′ e Euller 52′

SFC: Fabio Costa; Baiano (Eduardo Marques), André Luis, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Preto, Anderson Luis, Valdo e Robert; Valdir (Dodô) e Caio (Deivid)

Técnico: Giba

SEP: Marcos; Neném, Argel, Roque Junior e Junior; Galeano, Rogério (Taddei), Fernando e Asprilla (Marcelo Ramos); Euller (Tiago) e Pena.
Técnico: Luiz Felipe

24/06/2000 Santos FC 4×2 CR Flamengo (Rio de Janeiro)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Copa do Brasil

R: R$ 136.800,00

P: 13.332

A: Wilson de Souza Mendonça

Expulsões: Maurinho e Petkovic (CRF) expulsos

G: Maurinho (contra) 31′ e Dodô 62′, 81′ e 91′ – Petkovic 43′ e Mozart 85′

SFC: Carlos Germano; Baiano, André Luis, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Anderson Luis, Rincon (Preto), Valdo (Piá) e Robert (Eduardo Marques); Caio e Dodô.

Técnico: Giba

CRF: Clemer, Maurinho, Fabão, Luiz Alberto e Leonardo Inácio; Mozart, Leandro Ávila, Petkovic e Lê (Rocha); Lucio e Leandro Machado (Tuta).

Técnico: Carlinhos

30/08/2000 Santos FC 3×0 SC Corinthians P (São Paulo)

L: Morumbi – São Paulo (SP)

C: Campeonato Brasileiro

R: R$ 40.780

P: 4.591

A: Alfredo Loebeling

G: Edmundo 6′ e 38′ e Dodô 23′

SFC: Carlos Germano; Michel, Sangaletti, Claudiomiro e Leo; Rincón, Renato, Valdo e Robert (Caio); Edmundo e Dodô

Técnico: Giba

SCCP: Maurício; Índio, Fabio Luciano, João Carlos e Kleber; Rodrigo Pontes, Pereira (Romeu), Andrezinho (Luiz Mario) e Ricardinho; Fernando Baiano e Gil.

Técnico: Osvaldo Alvarez

Jogando fácil o Santos fez o resultado no tempo. Na etapa final, parou e deixou de aplicar uma goleada histórica.

14/10/2000 Santos FC 1×1 CR Vasco da Gama (Rio de Janeiro)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Campeonato Brasileiro

R: R$ 176.100

P: 16.872

A: Wilson de Souza Mendonça

G: Robert 92′ – Juninho Paulista 42′

SFC: Carlos Germano; Preto, Andre Luis, Sangaletti e Leo (Rubens Cardoso); Anderson Luis (Julio Cesar), Rincón, Valdo e Robert; Edmundo e Dodô (Canindé).

Técnico: Giba

CRVG: Fabio; Clebson, Odvan, Junior Baiano e Jorginho; Henriq ue, Paulo Miranda, Juninho Pernambucano (Alex Oliveira) e Juninho Paulista (Pedrinho); Euller (Zezinho) e Romário.
Técnico:
Osvaldo de Oliveira

Edmundo perdeu duas vezes o mesmo pênalti!!!! Na primeira, o goleiro defendeu, porém o árbitro mandou voltar a cobrança, por invasão… na oportunidade, mandou a bola na trave!

Jogo feio, truncado… o Santos usou e abusou do chuveirinho…

O melhor do século nas Américas

Santistas de todo mundo, uni-vos!

Ano 2000, fim de milênio e as “profecias” de fim de mundo não se concretizaram… nem mesmo do “bug” do milênio, quando diziam que os computadores travariam ao virar de 1999 para 2000.

Para o Santos FC foi mais um ano sem conquistas, com um Campeonato Paulista batendo na trave…

Foi o ano do retorno de Marcelo Teixeira à Presidência do alvinegro e a política dos “pés no chão” sendo definitivamente encerrada. Eram épocas de grandes contratações, com a chegada de atletas de nome e custos elevados.

Logo em janeiro Carlos Alberto Siva assume o comando técnico do SFC. Com ele chegam Carlos Germano, Márcio Santos, o argentino Gálvan, Rubens Cardoso, Rincón, Valdo… no 2º semestre seria a vez de Edmundo, o animal. Todos esses medalhões mais a volta de Caio, Baiano e Robert.

Assim, com um elenco milionário, o santista imaginava que o time deslancharia.. mas, não foi bem dessa forma… logo na primeira partida do ano, pelo Torneio Rio/São Paulo, levou um baile do Botafogo em plena Vila Belmiro por 0x3. Desanimador…

Por sinal, a campanha no Rio/ São Paulo de 2000 foi uma das piores que o alvinegro realizou, sendo goleado em três ocasiões, e obviamente não se classificopu para as finais da competição. Campanha esquecível naquele Rio/ São Paulo:

Botafogo FR – 0x3 (Vila Belmiro); 2×0 (Maracanã)

São PAulo FC – 2×5 (Morumbi); 0x1 (Vila Belmiro)

CR Flamengo  – 1×1 (Pacaembu); 1×4 (Maracanã)

A eliminação do alvinegro deixou a torcida cismada com o Técnico Carlos Alberto Silva, que não conseguia dar um padrão de jogo ao elenco, mantendo uma irregularidade  irritante no Campeonato Paulista.

E mais uma vez, novidades na fórmula de disputa do tradicional Campeonato. A fase classificatória foi algo surreal… As 12 equipes foram divididas em duas chaves de 6 e apenas a última colocada seria eliminada, classificando-se 11 das 12 equipes!!!!

Na fase seguinte, seriam as 11 equipes classificadas, mais o campeão da divisão de acesso, além dos 4 times que disputavam o Rio/São Paulo.

As 16 equipes foram divididas em 4 grupos de 4 clubes (grupos 3, 4, 5 e 6). As equipes do grupo 3 enfrentavam as do grupo 4; enquanto que as equipes do grupo 5 enfrentavam as do grupo 6. Em seguida as equipes se enfrantariam em turno e returno, dentro do mesmo grupo. Finda esta fase, teríamos outra, com a classificação dos dois primeiros de cada um dos 4 grupos.

Os 8 classificados seriam novamente agrupados em 2 chaves de 4 clubes, e as partidas seriam dentro do mesmo grupo em turno e returno. Os dois melhores passariam às semi-finais e depois à s finais, tudo em mata-mata. “Simples e fácil”, não?

O início da campanha santista foi desalentadora… vitórias não convicentes e mais uma goleada sofrida (contra o Corinthians, por 1×5). E foi assim, se arrastando que o SFC chegou a fase seguinte do Paulistão -2000. Porém, uma derrota para a Portuguesa no Canindé provocou a queda de Carlos Alberto Silva. Quem assume foi o Técnico das categorias de base, o Giba.

Com Giba o time se transfigura… passa a jogar no ataque e marca gols… e melhor que isso, passa a apresentar um futebol de qualidade, terminado a fase de quartas de final em 1º lugar em seu grupo e líder na pontuação geral entre os 8 classificados.

Veja a camapanha santista:

1ª fase:

SE Matonense – 2×2 (Matão)

AA Ponte Preta  – 1×0 (VB)

SC Corinthians P – 1×5 (Morumbi)

AE Araçatuba  – 7×2 (VB);

AA Internacional – 2×1 (Limeira); 1×1 (VB)

A Portuguesa D – 1×1 (VB); 1×1 (Canindé)

Mogi Mirim EC – 0x1 (Mogi Mirim); 3×1 (VB)

Quartas de final:

Guarani FC – 2×1 (VB); 1×0 (Brinco de Ouro)

A Portuguesa D 0x2 (Canindé); 3×0 (VB)

São Paulo FC – 2×1 (Morumbi); 1×1 (VB)

Após a grande apresentação contra a Portuguesa, o time embalou de vez para enfrentar o Palmieras pelas semi-finais. Seria a oprtunidade de devolver a sofrida eliminação de 1999. Na 1ª partida um sonolento 0x0, mas na segunda… nem o  mais otimista dos santistas poderia prever a emoção daquele jogo.

O Palmieras abriu 2×0 e seguia no ritmo preferido de Felipão: tocando no banho-maria, esperando o tempo passar e comemorar a classificação para as finais.

Na metade do 2º tempo, Eduardo Marques acerta um balaço e fura o bloqueio de Marcos.

Perdido por 1, perdido por 1000. e Giba manda todo mundo atacar…

Na raço, na vontade, o Peixe encurrala o Palmeiras. Mais 10 minutos e Anderson Luiz empata a partida. A massa santista enlouquece no Morumbi…

Faltava um gol, apenas um gol.

Até que Dodô, aos 89′ abre o mar branco no Morumbi, Santos 3×2!

Épico! Emocionante! Na raça, na vontade!

Veja as imagens dos últimos 7 minutos da partida e entre no clima do que foi aquela virada… grite com a massa santista que urrava nas arquibancadas do Morumbi… perceba a vibração de Giba no comando do SFC e o desalento de Felipão:

O adversário na final seria o sempre perigoso São Paulo FC.

Na primeira partida da decisão, França logo a 1 minuto marca e define o jogo… São Paulo 1×0.

O Santos deveria vencer a 2ª partida por dois gols de diferença… mesmo com a enorme dificuldade, o santista tinha esperança, afinal depois da virada contra o Palmeiras tudo seria possível…

O time tentou… esteve duas vezes na frente do placar, mas permitiu o empate do tricolor nas duas vezes, e sempre levando gol de falta… no final empate em 2×2 e a oportunidade do título escapando entre as mãos…

Campanha na fase final:

SE Palmeiras  – 0x0  (Morumbi) e 3×2 (Morumbi)

São Paulo FC – 0x1 (Morumbi) e 2×2 (Morumbi)

A redenção poderia ser a Copa do Brasil. O alvinegro já havia elimado três adversários: O Serra (ES), o forte Coritiba e o Campeão (da época) da Copa do Brasil, o Juventude.

O rival agora seria o Flamengo.

No Maracanã, um baile: 4×0!

E Na Vila, outra goleada, 4×2.

O time chegava às semi-finais, contra o fortíssimo Cruzeiro. No Mineirão, a derrota por 2×0 praticamente eliminou o time. O Poder de reação do time já não foi o mesmo e na Vila o Peixe ficou apenas no empate (2×2), caindo na penúltimo degrau da Copa do Brasil.

Campanha na Copa do Brasil:

SD Serra FC – 3×0 (Cariacica)

Coritiba FC – 1×0 (CoutoPereira); 1×1 (VB)

Juventude EC – 3×1 (Alfredo Jaconi); 3×0 (VB)

CR Flamengo – 4×1 (Maracanã); 4×2 (VB)

Cruzeiro EC – 0x2 (Mineirão); 2×2 (VB)

A última esperança era de título para 2000 seria o Campeonato Brasileiro.

Campeonato Brasileiro que não houve… devido as confusões na justiça, a CBF estava impedida de organizar a competição. Para não ficar sem campeonato, os clubes (com aopio da CBF), organizam um monstrengo chamado Copa João Havelange!

Com a quantidade modesta de 115 (CENTO E QUNZE) participantes, a competição foi dividida em módulos. Na verdade, eram três divisões dentro do mesmo Torneio.

A 1ª divisão (módulo azul) contava com 25 times que disputavam em turno único 12 vagas para a fase de eliminatórias. Na 2ª divisão (módulo amarelo) eram 36 clubes divididos em dois grupos de 18. Classificavam-se três times para a fase de eliminatórias. E, finalmente,  a 3ª divisão: no módulos verde com 28 clubes divididos em 4 grupos de 7. e no módulo branco 26 clubes divididos em dois grupos de 6 equipes e outros dois grupos com 7 equipes. Apenas o campeão da 3ª divisão seria classificado para a  fase eliminatória.

Com 16 times sobreviventes, as partidas seriam em mata-mata até a final da competição.

Era uma “Copa do Brasil” gigante.

E tamanho absurdo só poderia terminar com a confusa final entre Vasco e São Caetano, onde em qualquer país do mundo o título seria do São Caetano, mas não quando existem cartolas como Eurico Miranda e Ricardo Teixeira… Uma confusão enorme nas arquibancadas de São Januário provocou a interrupção da partida, e como a responsabolidade pertencia ao Vasco da Gama, o regulamento da competição previa perda dos pontos… porém foi marcado outra partida quase um mês depois, no Maracanã. e o Vasco foi o “campeão”… coisas de nossos cartolas.

Queda dos alambrados, por conta da superlotação de São Januário.

O Santos apresentou Edmundo como reforço para o “monstrengo”… Giba caiu no meio da competição e foi substituido por Carlos Alberto Parreira (!!!), numa das maiores contradições históricas no SFC… um técnico sem a menor identificação com o clube, com a forma de jogar e com o histórico do SFC. O resultado não poderia ser outro: eliminação da fase final, ficando na modesta 14ª colocação.

Na campanha, Edmundo protagonizou um momento único, ao desperdiçar dois penaltis contra o Vasco da Gama, seu ex-clube.

De bom, apenas a vitória sobre o Corinthinas (3×0), quando deixou de registrar uma goleada histórica.

Campanha no João Havelange:

EC Vitória – 2×0 (VB)

Fluminense FC- 1×2 (Maracanã)

São Paulo FC  – 1×1 (VB)

Grêmio FPA – 2×0 (Olímpico)

América FC (MG) – 3×0 (VB)

C Atlético Mineiro – 0x1 (Mineirão)

Juventude EC – 1×1 (Alfredo Jaconi)

SE Palmeiras  – 2×3 (VB)

SC Corinthians P – 3×0 (Morumbi)

Cruzeiro EC – 1×1 (VB)

Santa Cruz FC – 1×0 (Arruda)

SC Internacional – 1×1 (Beira Rio)

C Atlético Paranaense  – 2×1 (VB)

CR Flamengo – 0x3 (Maracanã)

SE Gama  – 1×2 (Mané Garrincha)

AA Ponte Preta  – 3×3 (VB)

CR Vasco da Gama – 1×1 (VB)

Goiás EC – 1×3 (Serra Dourada)

EC Bahia – 0x1 (VB)

Coritiba FC – 1×2 (Couto Pereira)

A Portuguesa D – 2×0 (VB)

Sport C Recife  – 3×1 (VB)

Guarani FC – 2×3 (Brinco de Ouro)

Botafogo FR – 4×1 (VB)

Assumiu em 28 de outubro... não chegou a 2001.

No meio do Campeonato , o SFC conseguiu uma “janela” no calendário e seguiu voô até Madrid, para enfrentar o Real. Foi, jogou e perdeu: 0x2

06/09/2000 – 0x2 Real Madrid CF (Espanha) – Em Madrid, Troféu Santiago Bernabeu

Fichas Técnicas de 1996

Conforme lembrou o Marcos, seguem as fichas de 1996:

24/01/1996 Santos FC 3×1 SC Corinthians P (São Paulo)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Torneio de Verão

R: R$ 81.210

G: 9.255

A: Leo Feldman

Expulsão: Gláuber (SCCP)

G: Giovani 9′, Kennedy 18′ e Camanducaia 73′ – Jorginho 28′

SFC: Edinho; Marcos Adriano, Ronaldo Marconato, Sandro e Marcos Paulo (Jean); Gallo, Carlinhos (Cerezo), Marcelo Passos (Wellington) e Kennedy; Camanducaia (Arthur) e Giovani (Kiko)

Técnico: Candinho

SCCP: Ronaldo; Henrique, Célio Silva e Silvinho (Luciano); Julio Cesar, Leônidas (Gláuber), Joao Paulo (Silva) e Marcelinho Carioca (Sandro); Mazinho Loyola e Jorginho.

Técnico: Eduardo Amorim

Santos , Campeão do Torneio de Verão.

07/03/1996 Santos FC 4×2 Rio Branco EC (Americana)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Campeonato Paulista

R: R$ 7.700

P: 1.020

A: Claúdio Vinicius Cerdeira

G: Giovanni 30′ e 53′, Macedo 1′ e Robert 58′ – Chaves 25′ e Marcelinho 71′

SFC: Edinho; Claudio, Sandro, Narciso e Marcos Adriano (Baiano); Gallo, Batista (Cerezo), Giovanni e Robert; Macedo (Marcelo Passos) e Jamelli

Técnico: Candinho

RBEC: Hugo; Polaco, André, Wagner Fernandes e Adriano; Alexandre, Marcos Assunção, Zé Roberto (Garcia) e Aritana (Marcelinho); Chaves e Nelson.

Técnico: Sergio Ramirez

Gol de placade Robert, placa comemorativa na entrada da Vila Belmiro. O meia santista arrancou da defesa, driblou 2 adversários, venceu na corrida outro, driblou o goleiro e marcou um belíssimo gol.

06/04/1996 SAntos FC 8×2 União São João EC (Araras)

L: Hermínio Ormetto – Araras (SP)

C: Campeonato Paulista

R: R$ 17.995

P: 3.566

A: Oscar Godói

G: Giovani 3′, 9′, 32′, (p) 57′, Clóvis 35′, Vágner 78′, Cláudio 88′ e Jamelli 90′ – Cleomar 13′ e (p) 80′

SFC: Edinho; Claudio, Sandro, Ronaldo Marconato e Marcos Paulo; Gallo (Kennedy), Vágner, Robert (Batista) e Giovani; Clóvis (Macedo) e Jamelli

Técnico: Orlando Lelé

USJEC: Adnan; Luciano, Baiano, Fabinho e Edson; Marcelo Lopes (Odair Junior), Rogerinho, Cleomar e Fabrício (Robinho); Valdo e Silvinho (Cilinho).

Técnico: Play Freitas

Uso dos calções quadriculados!!!!!!!

20/06/1996 Santos FC 2×0 Real Madrid CF (ESP)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Amistoso

R: R$ 22.485,00

P: 2.120

A: Oscar Godói

G: Camanducaia 49′ e Jamelli 91′

SFC: Edinho; Claudio, Sandro, Narciso, Marcos Adriano; Gallo (Cerezo), Baiano (Marcos Paulo), Robert (Marcelo Passos) e Jamelli; Macedo (Camanducaia) e Giovanni (Batista).

Técnico: José Teixeira

RMCF: Contreras; Chendo, Sanz, Vaqueriza e Lasa (Molina); Quique, Fernando Redondo (Guti, depois Rincón), Martine (Gomez) e Milla; Ivan Perez e Zamorano (Jaime).

Técnico: Capello (confirmar)

Despedida de Giovanni