Arquivo da tag: Torneio de Marselha

Fichas técnicas 1987

11/07/1987 Santos FC 1×0 Hamburgo SV (ALE)

L: Velódromo – Marselha (FRA)

C: Torneio de Marselha

A: Leduc

G: Mendonça

SFC: Rodolfo Rodrigues; Ijuí, Nildo, Toninho Carlos e Claudinho; Cesar Sampaio, De León, Osvaldo e Mendonça (Celso); Luis Carlos e Arizinho (Pedro Paulo)

Técnico: Candinho

HSV: Stein; Kauser, Bibsdorfer, Jakbos e Horbi; Dinhasen, Kroth, Jussusi e Klaus; Okoski e Baine. (entraram Michel, Rhan e Loyar).

12/07/1987 Santos FC 1×0 Olympique Marseille (FRA)

L: Velódromo – Marselha (FRA)

C: Torneio de Marselha

G: Luisinho

SFC: Rodolfo Rodriguez, Ijuí (Luisinho), Nildo, Toninho Carlos e Claudinho; César Sampaio, De Leon e Mendonça; Osvaldo (Celso), Luis Carlos e Arizinho.

Técnico: Candinho

OM: Bell; Bassi, Falls, Lovits e Ayache; Domelque, De la Montanha, Afeus e Papin; Allos e ???? (entraram Dialeau e Silislowski).

Santos Campeão do Torneio de Marselha

29/07/1987 Santos FC 6×1 AA Ponte Preta (Campinas)

L: Vila Belmiro – Santos (SP)

C: Campeonato Paulista

R: Cz$ 777.120

P: 11.482 + 1.549 (13.031)

A: Antonio de Paula e Silva

Expulsão: Jéferson (AAPP) expulso

G: Luis Carlos 18′, 27′, 63′ e 80′ e Mendonça 73′ e 82′ – Gilmar 35′

SFC: Rodolfo Rodrigues; Paulo Vargas, Nildo, Pedro Paulo e Claudinho; Cesar Sampaio, De León (Marquinhos), Osvaldo (Osmarzinho) e Mendonça; Luis Carlos e Arizinho

Técnico: Candinho

AAPP: Sergio; Odair (Vanderlei, depois Regis), André Cruz, Junior e Paulo Cesar; Zé Mario, Marquinhos e Gilmar; Vagner, Hélio e Jefferson.

Técnico: Nelsinho

Um bela apresnetação de Luis Carlos, que voltava ao time depois de participar dos jogos Pan-Americanos de 1987

27/09/1987 Santos FC 0x0 SC Corinthians P (São Paulo)

L: Pacaembu – São Paulo (SP)

C: Campeonato Brasileiro

R: Cz$ 1.007.450

P: 10.127

A: Wilson Carlos Santos

SFC: Rodolfo Rodrigues; Raul (Nildo), Davi, Pedro Paulo e Ijuí; Celso (Marquinhos), Antonio Carlos e Glauco; Osmarzinho, Luis Carlos e Edelvan

Técnico: Candinho

SCCP: Waldir Perez; Edson, Luis Cláudio (Mauro), Dama e Dida; Biro-Biro, Everton (Dicão) e Eduardo; Jorginho, Edmar e João Paulo.

Técnico: Formiga

Marquinhos entrou em campo e o árbitro não percebeu quem deveria sair… nem mesmo Celso (o substituido) sabia que irar sair… por 1 minuto o Santos ficou com 12 atletas em campo… uma várzea, por sinal um retrato perfeito da partida. Nas arquibancadas, Eduardo Suplicy conversava animadamente com os torcedores santistas, inclusive com esse blogueiro.

A partida foi tão ruim que merecia cartão vermelho

Tempos difíceis

Santistas de todo Mundo, Uni-vos!

Depois do fracasso no Brasileirão de 1986, o elenco do SFC foi reformulado. Até mesmo Chico Formiga não ficou muito tempo na Vila… em março,  já estava de saída para a chegada de Candinho.

Entre os atletas que desembarcavam na Vila Belmiro estavam o polêmico ponta esquerda Éder  e o meio campista Mendonça (ambos vindos do Palmeiras). Osvaldo (Ex Ponte e Grêmio) reforçava o meio de campo, assim como Hugo de León que retornava ao SFC. Permaneciam no clube RR, César Sampaio e Toninho Carlos, além do atacante Chicão (Ex Ponte Preta). Veja uma foto do início  do Campeonato Paulista de 1987:

Em pé: Rodolfo Rodrigues, Nildo, Raul, Toninho Carlos e Claudinho; Sentados: Osmarzinho, Oswaldo, Chicão, César Sampaio, Mendonça e Éder.

A estreia de Éder aconteceu num amistoso contra o Flamengo na Vila Belmiro em 26/02 (SFC 3×2) e a de Mendonça foi contra o Palmeiras, no Pacaembu (SFC 3×2).

E animado com as duas vitórias, o Santos partia para o Paulistão 87, com um regulamento mais simples: Turno e returno, os 4 melhores disputam as semi-finais e final em “mata-mata”.  Se o mesmo time vencesse o 1º e o 2º turno seria declarado Campeão, sem a necessidade de semi-finais e final.

Mas as coisas estavam estranhas na Vila… depois de dois bons resultados nos amistosos, o ataque parou de fazer gols, ficando três partidas no “zero” (0x0 contra o São José – amistoso; 0x1 Santo André e 0x0 com o América). A situação de Formiga se complicava… a torcida santista pegava no pé do técnico… a Direção do Clube contrata Hugo de León em total desacordo com Formiga… e na vitória magra contra o Mogi Mirim  (VB -2×1), Formiga deixa o campo contrariado com as vaias e, acreditem, sofre uma agrassão estúpida de algum tresloucado: uma cusparada em seu rosto. Nos vestiários ainda, Chico Formiga pede demissão e afirma que seu ciclo terminava no Santos FC. Que forma triste de sair do clube tão querido…

No entanto a crueldade do futebol é implacável… na verdade, sem Formiga e com Candinho no comando e com De León como volante , o time engrena e atinge 15 partidas invictas… incluvise nos clássicos contra o Palmeiras, São Paulo e Corinthians, além do confronto contra a Campeã de 86, a Inter de Limeira.

No meio da boa campanha, uma surpresa: Éder é transferido ao Sport Recife, e vindo parta o Peixe mais dois reforços, Luis Carlos (atacante) e Luisinho (Lateral). Na sua curta passagem pelo alvinegro praiano, Éder conquistou apenas uma Taça, A “Taça Ademar Santillo”, na vitória sobre o Atlético Goianiense por 2×1, no Serra Dourada.

Veja, aqui, dois gols de Éder:

A invencibilidade santista é derrubada em Bauru, pelo Noroeste, na derrota por 3×1. Conheça a série invicta:

América FC  – 0x0(VB)

Mogi Mirim EC  – 2×1 (VB)

SE Palmeiras – 2×2 (Pacaembu)

Atlético C Goianiense  – 2×1 (Serra Dourada)  – amistoso

AA Internacional – 2×2 – (Limeira)

Botafogo FC – 1×1 (VB)

AA Ponte Preta  – 1×0 (Moisés Lucarelli)

Bandeirante EC  – 3×0 (VB)

São Paulo FC – 3×2 (VB)

EC XV de Novembro (Jaú) – 0x0 (VB)

EC São Bento – 0x0 (Sorocaba)

CA Juventus – 1×1 (Pacaembu)

SC Corinthinas P – 0x0 (Pacaembu)

EC XV de Novembro (Piracicaba) – 1×0(VB)

A Portuguesa D – 3×1 (Canindé)

GE Novorizontino – 0x0 (Novo Horizonte)

E mesmo após a derrota para o Noroste, o Santos continuou bem no Campeonato Paulista… Luis Carlos era realmente um bom atacante… fazedor de gols… Candinho montou o time no 4-4-2, com um meio de campo de excelente técnica: César Sampaio, Hugo de León,  Osvaldo e Mendonça.  Luis Carlos e Arizinho (pela esquerda) ou Osmarzinho (pela direita) um ataque rápido. RR era  a segurança que qualquer defesa queria ter…e a defesa era razoável… contava muito com a cobertura dos dois volantes (César Sampaio e De León).

Perceba como o ataque era eficiente, como na partida contra a Portuguesa:

Mesmo com a boa campanha, não venceu o 1º turno, ficando o título com o Palmeiras.

No returno o SFC manteve a mesma batida… vitórias convincentes em casa e alguns empates no interior… O Palmeiras perde o ritmo; o Corithians que havia terminado o 1º turno em último, troca de técnico e quem assume é Chico Formiga, que coloca o alvinegro de Parque São Jorge novamente no páreo; no Morumbi, Pita comanda o tricolor, jogando muita bola; e a Inter de Limeira acumula empates e mais empates… Desta forma, quando o Peixe parte para a Europa, quem liderava o campeoanto era o glorioso alvinegro praiano…

O giro na Europa é curto, apenas 3 partidas. Duas serão no torneio de Marselha (França), contra os fortes Hamburgo (Alemanha) e Olympique de Marselha (França) e mais um amistoso em Paris.

No torneio de Marselha, o Santos vence o Hamburgo e o Olympique, ambos por 1×0 e coloca na bagagem a taça do torneio de Marselha.

Aqui, o Santos enfrentou o Belenenses.

Em Paris, enfrenta o Belenenses (Portugal), numa partida dirigida à colônia Portuguesa na França. A partida acontece no acanhado (e simpático) Estádio Saint-Maur, pertencente ao US Lustanos, clube fundado em 1966, por portugueses exilados em Paris, devido a Ditadura Salazarista.

Campanha do SFC na França:

1×0 Hamburgo SV (Alemanha) – Torneio de Marselha

1×0 Olympique de Marselha (França) – Torneio de Marselha

2×0 CF Os Belenenses (Portugal) – Paris (França)
Ao retornar ao Brasil, o time fica muito irregular… alterna vitórias e derrotas, porém termina a fase de classificação em 1º lugar. O Corinthians vence o 2º turno e a tabela marca nas semi-finais: Santos x Corinthians e Palmeiras x São Paulo

Se o Santos enfrentasse o Corinthians com a mesma disposição que enfrentara a Ponte, o clube paulistano passaria por maus momentos… assim pensava a massa santista. Veja os gols e entenda o motivo:

Porém enfrentar um Corinthians embalado, comandado por Chico Formiga (ressentido com o SFC), não seria a mesma coisa de enfrentar a Ponte Preta…

E Formiga surpreendeu até o mais fanático corintiano… com Edmar em atuação inspiradíssima, o  Santos caiu por 5×1!

Havia a partida de volta… Friamente, bastava uma vitória por 1×0 e um empate na prorrogação que o Peixe estaria na final… porém o abalo emocional foi enorme…

Na semana seguinte, um empate em 0x0 eliminava o time de melhor campanha do campeonato e colocava seu rival  numa final contra o São Paulo.

A vitória em Marselha era na verdade, o canto do cisne santista… O Alvinegro entraria numa curva descendente que terminaria, parcialmente, em 1995. Seriam anos de jejum, penitencias e sofrimentos.

O Campeonato Brasileiro de 1987 seria a prova maior da derrocada santista… disputado por apenas 16 agremiações, o SFC ficou em 15º, acima apenas do Corinthians , que voltava a ocupar a última colocação.

Brasileiro de 87 que foi o retrato da incompetência e bagunça da CBF… Como comentamos por aqui, na postagem de 1986, o Brasileirão daquele ano foi uma chuva de ações na justiça e de decisões extra-campo… o tapetão comeu solto, permitindo que este ou aquele clube estivesse numa fase ou outra… Assim, não foi surpresa que os clubes se unissem e estabelecessem novas regras para a uma competição nacional. Era a época de fundação do “Clube dos 13″, rebelados contra a CBF…. Desta forma foi organizado um campeonato com apenas os 16 clubes de maior rentabilidade (4 de São Paulo, 4 do Rio de Janeiro, 2 de Minas, 2 do Rio Grande do Sul, o EC Bahia, além dos convidados Coritiba, Santa Cruz e Goiás). No final da rebelião, houve um “acordão”. O Campeonato do “Clube dos 13″, a Copa União, seria denominada de “Módulo verde”… os clubes que ficaram de fora e que deveriam disputar o Campeonato Brasileiro da 1ª divisão (conforme regulamento de 86), ficaram no “Módulo amarelo”. Foram criados ainda, os Módulos azul e branco (uma 2ª divisão).

No regulamento da competição da CBF, os dois melhores do módulo verde enfrentariam os dois melhores do módulo amarelo para apontar o campeão Brasileiro e os reperesentantes na Taça Libertadores da América.  Os times do módulo verde inicialmente aceitaram a proposta e depois recusaram-se a fazer o “cruzamento” com os times do módulo amarelo… resultado é o imbróglio que dura até hoje… Oficialmente, e por determinação da Justiça, o Sport Clube do Recife é o Campeão Brasileiro e 1987.

Em Relação ao Santos… uma campanha vergonhosa… um ataque totalmente inoperante e que contava com apenas um atleta digno das tradições vencedoras do Santos FC; RODOLFO RODRIGUES. Esse goleiro carregou outros 10 atletas nas costas ao longo daquelas 15 partidas que não terminavam nunca… e foi graças as suas intervenções e espírito de luta que o Santos levou apenas 17 gols, nas 6 derrotas que sofreu. Garantiu o 0x0 em nada menos que 6 vezes.

Rodolfo Rodrigues, pelo que fez em 1987 e 1988 (além da defesa de placa em 1984) merece de todos os santistas o maior carinho e respeito. Merece mais que um nome num camarote, ou placa recebida… merece ficar na memória como um herói, como a verdadeira e legítima Muralha!


Na ilustração de goleiro de futebol de mesa, Rodolfo Rodrigues, um mito na história santista .

As campanhas santistas em 1987:

Paulista:

EC Santo André  – 0x1 (Santo André); 0x0 (VB)

América FC  – 0x0(VB); 3×0 (SJRP)

Mogi Mirim EC  – 2×1 (VB); 0x2 (MM)

SE Palmeiras – 2×2 (Pacaembu); 1×2 (Pacaembu)

AA Internacional – 2×2 – (Limeira); 1×0 (VB)

Botafogo FC – 1×1 (VB); 2×1 (Santa Cruz)

AA Ponte Preta  – 1×0 (Moisés Lucarelli); 6×1 (VB)

Bandeirante EC  – 3×0 (VB); 1×1 (Birigui)

São Paulo FC – 3×2 (VB); 0x1 (Morumbi)

EC XV de Novembro (Jaú) – 0x0 (VB); 0x0 (Jaú)

EC São Bento – 0x0 (Sorocaba); 1×1 (VB)

CA Juventus – 1×1 (Pacaembu); 1×0 (Pacaembu)

SC Corinthians P – 0x0 (Pacaembu); 0x2 (Morumbi)

EC XV de Novembro (Piracicaba) – 1×0(VB); 0x0 (Piracicaba)

A Portuguesa D – 3×1 (Canindé); 0x0 (VB)

GE Novorizontino – 0x0 (Novo Horizonte); 2×0 (VB)

EC Noroeste  – 1×3 (Bauru); 2×1 (VB)

Guarani Fc – 1×0 (VB); 0x0 (Brinco de Ouro)

A Ferroviária E – 4×0 (Araraquara); 3×1 (VB)

Nas semi-finais: SC Corinthinas P – 1×5 e 0x0 (ambas no Morumbi)

Brasileiro -87 – 16 clubes, divididos em 2 grupos. No 1º turno, times de um grupo enfrentam clubes de outro grupo. No 2º turno, os times se enfrentam no mesmo mesmo grupo. Os campeões de cada grupo em cada turno disputam as semi-finais e finais em “mata-mata”

C Atlético Mineiro – 1×5 (Mineirão)

SE Palmeiras – 0x0 (Pacaembu)

CR Flamengo – 0x0 (Pacaembu)

SC Corinthians P – 0x0 (Pacaembu)

Grêmio FPA – 1×0 (Pacaembu)

Botafogo FR – 0x0 (Maracanã)

Santa Cruz FC – 1×3 (Arruda)

EC Bahia – 0x1 (Pacaembu)

Com esse resultados, o SFC ficou em último em seu grupo , ao lado de São Paulo e Coritiba

2º turno:

São Paulo  FC –  1×3 (Morumbi)

Coritiba FC – 2×1 (Pacaembu)

Goiás EC – 0x0 (Serra Dourada)

CR Vasco da Gama  – 0x0 (Pacaembu)

SC Internacional – 0x2 (Beira Rio)

Fluminense Fc – 1×1 (Maracanã)

Cruzeiro EC – 0x1 (Pacaembu)

Com esses resultados, o alvinegro ficou em 6º lugar em seu grupo e em penúltimo na classificação geral.