Músicas para o feriado

Amigos,

Como ainda temos mais 29 dias até as eleições e veremos mais ações desesperadas do candidato que segue serra abaixo, um pouco de música. Para que tenhamos paciência, segue alguns vídeos:

Começo por “Paixão e Fé”, de Tavinho Moura e Fernando Brant, com Milton Nascimento.

Considero letra e música excepcionais. Achei uma montagem no youtube muito feliz, com imagens de Ouro Preto e Mariana.

Dunga responde a Serra, só faltou o “algum problema, Serra?”

Amigos,

Quando li, mal acreditei..só faltou o “Algum problema, Serra?”

Quem disse que Dunga não é craque?

Segue a matéria , na íntegra, retirado do Diário de São Paulo (http://www.diariosp.com.br/_conteudo/2010/09/5982-ironizado+por+tucano+dunga+afaga+lula+e+dilma.html)

“Usado como exemplo pela campanha de José Serra no rádio para criticar a falta de experiência da candidata do PT Dilma Rousseff, o ex-treinador da seleção brasileira Dunga respondeu bem ao seu estilo. Em entrevista exclusiva ao DIÁRIO, Dunga rebateu a comparação feita pela campanha de Serra entre ele e Dilma. “O Serra tem experiência. É um craque para governar o Brasil. A Dilma não. É que nem o Dunga. Nunca foi técnico de nenhum time, foi para a seleção e deu no que deu”, diz uma pessoa não identificada.

Veja o que diz o ex-técnico da seleção:
Comparação
É só ver os meus resultados e comparar. Quando eu fui campeão da Copa América e da Copa das Confederações, ele me elogiou. Agora crítica. Talvez ele esteja desesperado.

Defeitos
Eu acho que ele deveria assumir os seus defeitos para depois achar defeito nos outros.

Problemas
São Paulo não tem problema? Alaga mais que Veneza, ônibus são incendiados todos os dias.   Só o fato de São Paulo ter decidido na última hora o estádio da Copa já diz tudo. Por que ele está preocupado comigo?

Lula
O Lula também não tinha experiência e tem 80% de popularidade. Ele está fazendo o que os outros não fizeram em cem anos.

Dilma
Dilma é uma mulher e pode  ser a primeira mulher presidente do Brasil.

Democracia
Quando o Brasil precisou da Dilma ela não fugiu, lutou aqui pela democracia. Alguns correram.

Política
Para mim isso é natural (ser citado na propaganda). Se eles falassem o que deixaram de fazer seria melhor para o eleitor escolher”.

Uma história do Santos FC: Quando o alvinegro humilhou Pinochet.

Amigos,

Vou aproveitar o espaço do blog para contar algumas passagens da história do alvinegro de Vila Belmiro, o Santos FC. São histórias baseadas num dos maiores arquivos de jogos do Santos FC… modestamente, o meu… um arquivo continuamente atualizado a mais de 30 anos.

Começaremos pelo “dia que o Santos derrubou Pinochet”.

Que o Santos já foi capaz de interromper guerras civis, de provocar faltas coletivas ao trabalho, ou “fechar o comércio”, todos os santistas conhecem. Mas, uma história pouco comentada é aquela que o Santos FC provocou a humilhação do sanguinário Ditador Chileno, o General Augusto Pinochet.

O caso inicia-se em 1973, mais precisamente em 11 de setembro de 1973, quando Pinochet lidera o bombardeio ao Palácio Presidencial Chileno, provocando a morte do Presidente eleito livremente pelo povo chileno, o socialista Salvador Allende. Com o golpe, os militares executam um plano de prisões e mortes em massa dos aliados do Governo legalmente constituído, chegando ao cúmulo de manter mais de 5.000 pessoas presas (algumas fontes indicam até 10.000 pessoas) no lendário Estádio Nacional de Santiago.

Nesse estádio, em 1962, a Seleção Brasileira tornava-se bi-campeã mundial (com Gilmar, Mauro e Zito em campo, mais Mengálvio, Coutinho, Pepe e Pelé –  contundido – no banco),  e onde o Santos já havia sido campeão dos hexagonais de 65 e 70, além do octogonal de 1968.

Na mesma época estavam sendo jogadas as eliminatórias para a Copa do Mundo de 1974,  e pelo capricho dos deuses do futebol, a tabela marcava: Chile x U.R.S.S.

Local: Estádio Nacional de Santiago.


Mesmo após empatar por 0x0 em Moscou, a forte Seleção Soviética poderia vencer o bom time chileno de Figueroa e Cazsely, em Santiago.
Porém, os dirigentes soviéticos recusavam-se a jogar num estádio transformado em campo de concentração, onde os militares chilenos prenderam, torturaram e mataram (no centro do gramado,  4 em 4 presos de cada vez) intelectuais, artistas, sindicalistas, socialistas e comunistas, entre eles o compositor Victor Jara (que além de compositor, era músico, teatrólogo, jornalista e comunista).

Victor Jara teve as mãos amputadas durante as torturas sofridas e foi morto a tiros, no interior do Estádio Nacional.

Os soviéticos afirmavam que jogariam em qualquer lugar no Chile, menos no Estádio Nacional de Santiago.

O Presidente da FIFA, o inglês Sir Stanley Rous, nem quis ouvir os argumentos soviéticos e manteve o jogo no Estádio Nacional.

A União Soviética prometeu e cumpriu: não viajou até Santiago. Sendo assim, o Chile iria classificar-se para a Copa da Alemanha sem jogar, como de fato, aconteceu.

Mas, os dirigentes da Federação Chilena de Futebol, em sintonia com os militares golpistas, queriam uma festa para celebrar a vitória do Chile frente aos “comunistas soviéticos”. E para não ficar sem futebol, convidaram o Santos FC para enfrentar o Selecionado Chileno, com a TV local transmitindo para a Europa e América.

Por um bom punhado de dólares (30.000 dólares americanos), os dirigentes santistas aceitaram o amistoso, e a delegação do alvinegro praiano seguiu viagem para Santiago.

Lá chegando, o Santos entrou no então sinistro estádio Nacional de Santiago.

Apenas 25.000 presentes (os tempos não eram favoráveis a grandes aglomerações, e o comparecimento ao estádio Nacional poderia trazer recordações nada agradáveis à boa parte do povo chileno). Os santistas, alheios aos problemas políticos, defendiam a imaculada camisa branca contra “la roja” (como a seleção chilena é conhecida).

Para o desgosto do ditador Pinochet, o jogo terminou com uma grande goleada santista – 5×0, estragando a festa preparada pelos cartolas e militares Chilenos e sendo uma saborosa vingança daqueles que abominam a violência e a brutalidade (lembrando episódio semelhante acontecido em Berlim, nas Olimpíadas de 1936, onde o atleta negro Jesse Owens ganhou medalha de ouro nas provas de atletismo, com Hitler no estádio).
Interessante saber que a imprensa brasileira pouco divulgava os motivos soviéticos, insistia que seria por meros caprichos políticos, por não concordar com o governo chileno. Era uma época de censura nos meios de comunicação, além do fato de que o regime de Pinochet era simpático aos militares brasileiros…

Os dirigentes da Federação Chilena pretendiam homenagear o Rei do Futebol… e Pelé não jogou pelo Santos FC nesse dia, alegou uma contusão. Ou será que se recusara a participar de tal evento?

Bom, se não pôde ou se não quis, apenas o Rei do Futebol poderá esclarecer.

O que fica para nós, santistas, é que além golear uma das principais seleções da América do Sul, o Santos FC humilhou e estragou a festa preparada ao Ditador, para a alegria daqueles que gostam de futebol, da liberdade e da vida.

Segue a ficha técnica da partida:

21/11/1973 Santos FC  5×0 CHILE
Local: Estádio Nacional – Santiago (CHIL)
Competição: Amistoso
Público: 25.000
Árbitro: Rafael Hormozabal
Gols: Nenê 21′ e 38′, Edu 26′ e Eusébio 29′ e 65′
SFC: Cejas; Hermes, Marinho Perez, Vicente e Roberto; Carlos Alberto Torres e Leo Oliveira (Nelsi); Mazinho, Eusébio, Nenê (Cláudio Adão) e Edu.
Técnico: Pepe
CHILE: Olivares; Machuca, Figueroa, Quintano e Arias; Rodriguez e Valdez (Yavar); Reinoso, Cazsely, Ahumada e Crisosto (Velez).

E para encerrar, um pequeno trecho (já traduzido à Língua Portuguesa) do último poema escrito  por Victor Jara, feito no interior do Estádio Nacional, pouco antes de ser assassinado:


“Somos cinco mil
nesta pequena parte da cidade.
Somos cinco mil.
Quantos seremos no total,
nas cidades e em todo o país?
Somente aqui, dez mil mãos que semeiam
e fazem andar as fábricas.


Quanta humanidade
com fome, frio, pânico, dor,
pressão moral, terror e loucura!


Seis de nós se perderam
no espaço das estrelas.
Um morto, um espancado como jamais imaginei
que se pudesse espancar um ser humano.
Os outros quatro quiseram livrar-se de todos os temores
um saltando no vazio,
outro batendo a cabeça contra o muro,
mas todos com o olhar fixo da morte.


Que espanto causa o rosto do fascismo!”

Mariângela Duarte no CAPESP

Amigos,

Nesta 5ª feira (02/09/2010) a professora Mariângela Duarte, candidata a Deputada Estadual pelo PSB, esteve no CAPESP, em Mongaguá, conversando com dirigentes da Entidade, associados e amigos.

Mariângela Duarte já foi Deputada Estadual (1995/2002) e Deputada Federal (2003/2006) pelo Partido dos Trabalhadores. Na Assembléia Legislativa se destacou pela luta da instalação de Universidade Pública na Baixada Santista (luta essa que levou para Brasília) e na participação da CPI da Educação em 1999/2000.

No encontro, foi entregue à candidata uma carta compromisso elaborada pela direção do CAPESP, com as lutas conjuntas do funcionalismo.

Para ler mais sobre o encontro e conhecr na íntegra o documento, acesse:

http://www.capesp.org.br/portal/lendonews/1754/

Também fui vítima de dossiê!

Amigos,

Também fui vítima de dossiê!

Também sou vítima de quebra de sigilo bancário!

Recebi nesta manhã, um telefonema de alguém se identificando como funcionário de um banco (de onde obtive o financiamento de meu automóvel).

Após checar meu nome e confirmar o financiamento de um veículo pelo banco, avisou-me  que havia um outro financiamento feito em meu nome em Juazeiro – BA!

E que para verificar se o financiamento estava em ordem precisava confirmar meus dados, começando pelo endereço…

Desconfiei que se tratava de um golpe qualquer e após avisar que tal informação não passaria por telefone, imediatamente desliguei o aparelho.

Em seguida entrei em contato com a financeira do Banco, a qual confirmou que não havia nenhum outro financiamento de veículo em meu nome.

Mais um caso de tentativa de golpe!

Mas, eu não dou trela para golpista!

Será que os “jornalões” se interessariam pela quebra do meu sigilo bancário?

O Terço

Amigos,

O Terço a que me refiro não é o rosário religioso da Igreja Católica, mas a banda de rock progressivo brasileira oriunda dos anos 70.

Tenho como uma das melhores bandas de Rock e pude em meus tempos de Rock’n Roll, assistir o antológico concerto: Mutantes + Terço = Beatles. Um marco do Rock nacional, em 1977.

Recentemente pude acompanhar um novo espetáculo do Terço, no teatro do SESC – Vila Mariana, em São Paulo. Uma apresentação de cerca de 1h30′ do melhor do progressivo, do rock rural e do som de Minas.

A abertura foi o arrebatador “1974” e o encerramento com o hino “Hey, amigo”.

Depois de 33 anos, os “velhinhos” estão em plena forma. Sergio Hinds (Violão e Guitarra), Sergio Magrão (baixo), e Flávio Venturine (teclados) estavam perfeitos, além da poderosa bateria do mais novo integrante do grupo, Sergio Mello. Nem a presença ( em apenas 2 músicas) de Paulo Ricardo foi capaz de arranhar a apresentação da banda (foi apenas backing vocal)

Para quem quiser conhecer mais sobre “O Terço”, acesse:

http://www.oterco.com.br/

Se quiser ouvir e ver ” O Terço”:

Judiciário: Final de greve!

Amigos,

E o servidores do Judiciário encerraram a mais longa greve no Serviço Público no Estado de São Paulo. Depois de mais de 120 dias em greve, 127 dias para ser mais preciso, em assembleia na Praça João Mendes os trabalhadores do Judiciário suspenderam o movimento. Segundo o site da ASSETJ, a reposição de 4,77% será paga este ano ou até janeiro de 2011 e os demais 20,16% negociados para inclusão no orçamento do Estado, que segue no final do mês para a Assembléia.

Um exemplo de união e garra para o conjunto do funcionalismo.

Uma greve heróica.

Que tornou-se tão longa pelo desinteresse do Tribunal de Justiça e do Governo do Estado de São Paulo.

Leia a notícia completa na página: http://www.assetj.org.br/portal/index.php?secao=lendonews&taskCat=4&taskNot=3310

Serra esperneia

Amigos,

José Serra, principal adversário de Dilma, atribui a candidata petista a responsabilidade da história da quebra de sigilo fiscal de sua filha.

Quem já andou pelas ruas do Centro se São Paulo, já deve ter encontrado tipos que vendem CD’s de tudo… E não é de hoje, que venda de cadastro dá um baita dinheiro… são diversos os interessados, para os mais variados fins.

A data de origem desta história toda é de setembro de 2009, quando o PSDB ainda estava em dúvida quem seria seu candidato às eleições…

O que eu vejo nessa “confusão”, é muita fumaça e pouca pólvora…

José Serra está com uma campanha em enorme crise… seus aliados “esquecem” seu nome ou foto nas propagandas, a cada dia perde mais e mais eleitores em potencial, com a sua taxa de rejeição subindo com a mesma velocidade que diminui sua intenção de votos… seu programa eleitoral beira o desastre, com sua favela de plástico, do votar no “Zé” ou de sua suposta amizade com Lula.

Diante de uma campanha que pode ser chamada de “descampanha”, os Tucanos acreditam que encontraram a sua bala de prata: a cassação da candidatura Dilma!

No futebol isso se chama tentar ganhar no tapetão, e no meu tempo de menino, era como aquele moleque que provocava os outros, e na hora que ia tomar um corretivo fugia, e ia chamar irmão mais velho ou um tio desocupado.

A candidatura do PSDB parece que atingiu o mais alto grau de delírio, pois ainda reclama que a imprensa (Globo, Folha, Estadão, Veja…) não esta dando o destaque que eles queriam… vejam só! Esse mesmo pessoal, dizia a uma semana que eram favoráveis a liberdade de imprensa, agora querem pautar (ainda mais) essa mesma imprensa dos “jornalões”.

Esse pessoal, quando recentemente conversaram com os oficiais da aeronáutica no Rio de Janeiro, impediram a presença da imprensa, porém o que se apurou é que andaram comparando o Brasil pré-64, com o Brasil de hoje, com a conversa de uma suposta “República Sindicalista”…

O que realmente querem esses senhores?

Que fantasmas querem ressuscitar?

No meu entender tais ações e declarações refletem apenas o desespero dessa turma… seus discursos não sensibilizam mais a grande parte da população brasileira, querem repetir o velho e batido discurso “udenista” da moralidade e, pasmem, do anti-comunismo. Eles fazem um discurso do tempo da TV a válvula.

Eu não caio em um truque desse tipo.

Pensamento do dia: “Em eleição e na guerra, mentira é feito terra”.

Educação, Funcionalismo, Música, Política e Santos FC